Jéssica Andrade UFC228

[VÍDEO] Jéssica Andrade opina para Cyborg x Nunes e fala do UFC 228

A brasileira Jéssica Andrade, conhecida também por ‘bate-estaca’ está de luta marcada para o UFC 228 (ver card). Sua adversária para o dia 8 de setembro, será a polonesa Karolina Kowalkiewicz, quarta colocada do Ranking. Essa edição do Ultimate Fighter Championship acontecerá em Dallas, no Texas, Estados Unidos.

Aos 26 anos de idade, Jéssica ‘Bate-Estaca’ Andrade é mais um destaque da geração de ouro da Paraná Vale-Tudo. É uma atleta versátil, tendo diversas vitórias tanto finalizando como nocauteando.

Jéssica luta MMA profissionalmente desde o ano de 2011. De lá para cá, fez 24 combates, saindo como vencedora em 18 oportunidades e tendo 6 revezes. Seu cartel dentro do UFC, como já dito, é de 13 lutas, tendo vencido 10 vezes. Jéssica chegou disputar o cinturão, mas foi derrotada por decisão unânime dos árbitros. Atualmente, vem de duas vitórias consecutivas.

Em entrevista exclusiva para a Tudo Sobre MMA, Jéssica Andrade falou da sua próxima luta no UFC 228. Além disso, a atleta da Paraná Vale-tudo revelou seu palpite para Cris Cyborg x Amanda Nunes. A ‘Bate-estaca’ ainda comentou sobre notícia sensacionalista, onde foi noticiado que a mesma vendia bolo para manter o camp, sendo mentira.

Vídeo da entrevista com a Jéssica Andrade:

Leia mais:
Exclusiva: Jéssica Andrade fala sobre cinturão e revanche contra Joanna
Khabib Nurmagomedov defende cinturão contra Conor McGregor no UFC 229
Confirmado: Rio Heroes de volta a São Paulo em Outubro

Trechos da entrevista com Jéssica Andrade:

0:28 – Pergunta enviada por Jasminie: Toda mulher brasileira é uma lutadora, mas você demonstra isso 100% através de sua profissão, como você de sente como mulher nessa área ?

0:43 – Resposta da lutadora: Como todo brasileiro, a gente é muito guerreiro, a gente já nasce com isso, de aprender a sobreviver onde tem um monte de leões. Poder estar aqui no UFC num evento de MMA, onde jamais imaginaríamos que iam ter mulheres. Inclusive em 2011 Dana White falou que jamais colocaria mulheres no UFC. E hoje nós estamos quebrando todos esses tabus, trazendo o MMA feminino para o mundo. Eu acho que é a melhor coisa que existe no mundo. A gente poder mostrar a nossa força, o nosso caráter, aonde a gente pode chegar. Nós podemos chegar níveis. Se deus quiser esse ano sai a disputa de cinturão e eu vou poder dar  mais orgulho ainda, não só para as mulheres, mas para o Brasil inteiro também.

1:36 – Pergunta do jornalista Edison: Você saindo vencedora dessa luta já crer que o Dana White vai lhe dar a chance de lutar pelo título ?

1:49 – Resposta de Jéssica Andrade: Então, é claro que o foco sempre é na sua próxima luta, mas vencendo essa luta … com certeza o Dana White vai me dar a chancer de disputar esse cinturão. Talvez seja ainda esse ano ou colo que pro ano que vem. O card do final do ano vai ser muito especial, vai ter duas brasileiras lutando (Cyborg x Nunes). Eu queria muito estar nesse card, vou pedir, quem sabe aconteça … mas depende muito da nossa adversária também. A (Rose) Namajunas tem que estar bem para poder acontecer isso. Se acaso a Namajunas não esteja bem, eu vou pedir o cinturão interino, nem que seja para lutar contra a Joanna (Jedrzejczyk), meu calo no sapato. Eu acho que acontece sim essa luta…

2:58 – Pergunta do jornalista Edison: Suponhamos: “ganhou, vai disputar o cinturão, você se torna campeã”,você subiria de peso para fazer uma super luta ?

3:09 – Resposta de Jéssica Andrade:  Ah! Eu subiria sim. Eu acho assim, é uma categoria que não tem outra brasileira como campeã, para mim seria  muito válido ser campeã em duas categorias. E se acontecer mesmo de ter a oportunidade de lutar no até 57kg eu vou sem problema nenhum . Já lutei no 61kg, no 66kg, nos 70kg. A gente só tem que ter força de vontade de querer vencer.

3:36 – Pergunta do Vinícius: Em uma luta importante, para não ter uma derrota, você muda seu jogo para uma luta mais estratégica ou matem o seu jogo ?

4:17 – Resposta de Jéssica Andrade Eu sempre fui uma grande trocadora, aguento muita porrada, nessa categoria é muito difícil encontrar alguém que consiga me nocautear. Eu gosto muito dessa parte de trocação e nessas últimas lutas eu tenho deixado isso um pouco de lado, tenho buscado a luta mais agarrada. Para cada luta a gente tem uma estratégia diferente, mas sempre temos que jogar no ponto forte do nosso adversário. Se você quer ser o melhor, você tem que enfrentar o melhor e pegar no ponto forte dele…

5:28 – Pergunta do jornalista Edison: Você como atleta e como fã, o que acha dessa luta da Cris Cyborg com a Amanda Nunes ?

5:40- Resposta da lutadora: Poxa, como fã é uma luta muito difícil. Como atleta, a gente entende que são duas categorias diferentes e todo mundo quer ser campeão de duas categorias. Mas, eu fiquei muito chateada de ver de ver duas brasileiras lutando. Foi mais a Amanda que pediu, a Cris Cyborg nem queria que essa luta acontecesse. Eu respeito muito a Cris, ela vem com a história do MMA, nossa pioneira. Eu sendo menos graduada que ela, jamais iria querer fazer uma luta contra ela, pelo respeito de graduação, tempo, arte marciais … a hierarquia. Hoje em dia não tem muito isso de hierarquia, uns querem passar por cima dos outros. Foi uma luta que quem pediu mais foi a Amanda, respeito muito ela, mas vou ficar muito triste nesse dia. Se Deus quiser eu vou lutar no mesmo dia, vou ganhar meu cinturão, ai vamos ter três cinturões. Eu creio que a Cris Cyborg não perde o cinturão, ela é muito forte. Muito difícil ter alguém que tire esse título dela, mas nunca se sabe, vai que entra uma mão da Amanda … ,mas eu acredito muito na Cris Cyborg….

7:23 – Pergunta enviada por Robson: Hipoteticamente, você acorda pela manhã e se depara com a notícia: “Dana White libera as mulheres para lutar contra os homens”. Exite um homem dentro do UFC que você tem vontade de enfrentar ?

7:50 – Resposta de Jéssica Andrade: Olha, no MMA a gente acaba sempre querendo lutar com os melhores. Mas nesse caso, para lutar contra um homem, eu ia escolher o mais ‘ruinzinho’ que tivesse (risos). O mais fácil, para não tomar muita porrada e sair campeã, só para mostrar alguém “pelo menos bati nesse ai”. Ia pegar o mais facilzinho, o mais molezinha.

8:22 – Pergunta enviada por Robson: Qual a sua estratégia para essa luta (contra Karolina Kowalkiewicz) para não ser pega de surpresa pelos jabs … o que você estudou com seus treinadores em relação a isso ?

8:44 – Resposta da Jéssica Andrade: A Karolina, é uma lutadora muito boa na parte em pé, ela é muito boa nesses jabs. Mas ela é uma adversária que caminha só para frente e para trás, ela não caminha para as laterais, não foge muito dos golpes. Ela coloca o jab para achar a distancia, depois quando você vai para cima, ela coloca o jab, direto e um chute etc… A estratégia é pegar ela nessa saída do jab, quando ela soltar o jab já ir para cima, encurralar e não deixar ela fazer mais nada. Sem a distância ela não vai conseguir mais trabalhar e eu trabalho muito bem no golpe curto.

9:42- Pergunta enviada da Argentina por Jennifer: Como você imagina sua vida sem o esporte de contato ?

9:55- Resposta da atleta: Eu nunca imaginava que seria lutadora de MMA. Nem imaginava que conheceria a arte marcial, que iria ser lutadora, que iria ter uma carreira tão boa no UFC. Eu trabalhava limpando peixe, trabalhei na roça com meu pai, de moto-táxi, numa farmácia. Antes de conhecer o MMA esse era o meu mundo. Se eu não tivesse conhecido o jiu-jitsu eu teria ficado numa profissão normal. Teria me formado em educação física, talvez seria professora numa escola ou então uma Personal Trainer.

11:34 – Pergunta da Bruna Lisboa: Quais são seus períodos mais difíceis de treino e como você lida com isso ?

11:45 – Resposta de Jéssica Andrade: O período mais difícil de treino é na última semana, antes da pesagem. É um momento que você acaba não treinando tanto porque se desgasta muito com a perca de peso. Mesmo não tendo problema para perder peso, essa é a semana mais difícil. Outra parte que também é difícil, é no começo da dieta. Você ta acostumada a comer de tudo, daí vem uma luta marcada e tem que entrar na dieta.

14:00 – Recado de Jéssica Andrade para os fãs.

16:00 – Jéssica Andrade esclarece que matéria sensacionalista que declarou que a atleta vendia bolos para pagar o camp.

Foto: Susumu Nagao-USA TODAY Sportsa

artes marciais, artes marciais mistas, Jessica Andrade, mixed martial arts, MMA, Paraná Vale-Tudo, UFC, UFC 228, Ultimate Figther Championship


Paulo Filho

Estudante de Direito. 21 anos. Mossoró-RN. Apaixonado pelo MMA e dedicado ao jornalismo esportivo desde 2012. "Um espírito nobre, engrandece o menor dos homens" (Jebediah Obadiah Springfield)

Deixe uma resposta

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs