UFC 232 – Fechando 2018 com chave de ouro

O UFC resolveu encerrar 2018 com chave de ouro, fazendo o que pode ser considerado o melhor evento do ano. Isso pela qualidade das lutas programadas que se entregarem o que esperamos, será algo para ficar na memória. Jones, Gustafsson, Cyborg e Amanda Nunes encabeçam o evento.

Na luta principal teremos a revanche de Jon “bones” Jones contra o Alexander Gustafsson que irá valer o cinturão dos meio-pesados, este cinturão que está sendo vago pelo Daniel Comier depois de vencer a disputa do cinturão dos pesados.

E na luta co-principal, teremos a maior luta feminina da história do MMA, Cris Cyborg vs Amanda Nunes. Luta essa que poderia facilmente ser considerada a luta principal do evento, porém como Jon Jones ainda é uma atração que sempre rende boas noticias (dentro e fora do octógono) a luta das brasileiras ficou como co-main event, o que não diminui o brilho desta disputa de cinturão.

Vamos analisar as lutas principais do evento:

Jones vs Gustafsson – Desta vez será diferente?

Na primeira luta, muitos especialistas em MMA consideraram que o Gustafsson havia ganhado a luta, porém os juízes laterais deram o resultado favorável ao americano.

Na época o Jon Jones nunca tinha sido pressionado como foi pelo sueco, a movimentação intensa pareceu ter confundido o americano que passou um primeiro e segundo rounds sem achar o Gustafsson no cage.

Porém agora o Jones está a mais de um ano sem lutar e nesse intervalo perdeu seu cinturão devido a dopping e viu sua vida mais uma vez cair em descrédito. E agora, mais uma vez, foi pego no anti-dopping, só que por um detalhe técnico conseguiu manter a luta alterando o local da realização do evento, de Las Vegas para Califórnia, o que deixou os sócios chineses bem chateados com o americano.

Gustafsson vem de duas boas vitórias sobre o Jan Blachowicz e sobre o Glover Teixeira, porém a quase tanto tempo quanto o Jon Jones não luta. Seu jogo possui uma movimentação diferenciada com um controle de distância surpreendente, defende bem as quedas e possui um boxe muito afiado.

Desta vez o Jon Jones não irá ser o detentor do cinturão o que pode não o ajudar numa eventual disputa por pontos, porém lhe sobram talento e recursos. Sua chave para vitória seria buscar a queda e trabalhar por cima no ground-and-pound, partir para a trocação não seria a melhor das ideias, embora o Jon Jones também seja um ótimo striker.

O Gustafsson deverá buscar a movimentação intensa, boxeando e circulando o Jones, deve buscar a decisão por pontos, que seria sua melhor alternativa para não se expor e ser quedado.

Luta difícil de prever, mas desta vez acho que dará o Gustafsson. Mas diria que é a luta mais equilibrada e difícil de opinar da noite.

Cyborg vs Nunes – Duelo das Brasileiras

Sem dúvidas a maior luta da história do MMA feminino, o duelo de campeã vs Campeã, Cris Cyborg irá defender o cinturão das peso-pena contra a brasileira Amanda Nunes, campeã do peso-galo.

O Duelo das brasileiras foi promovido muito pela Amanda Nunes que depois de vencer a Valentina Shevchenko (Vencer mais ou menos né…) viu nessa uma grande oportunidade de promover uma super luta contra a campeã da categoria de cima, Cris Cyborg.

Por outro lado, a Cris a principio não gostou muito da ideia, porém logo entrou no clima da provocação e fez um trash talk saudável com a compatriota, clima esse que foi adotado da mesma forma pela Amanda.

A Cris possui um jogo de MMA avassalador, ela faz as outras adversárias parecerem que estão em outro ritmo, a única lutadora que conseguiu tirar o melhor da Cyborg foi a Holly Holm, também no UFC de encerramento de ano (UFC 219 – 30/12/17) porém em nenhum momento dos 5 rounds chegou a ameaçar a brasileira.

Sua trocação é de altíssimo nível, e defende quedas bem, porém nesse ponto nunca foi realmente ameaçada, em sua ultima luta por um momento muito breve chegou a ser quedada pela Kunitskaya mas demonstrou um bom jogo de chão ao conseguir levantar-se rapidamente.

Seu nível de chão ainda é uma incógnita no MMA, ela com sua faixa marrom de BJJ ainda não foi verdadeiramente desafiada no solo dentro do octógono. Porém “de pano” ela é Bi-campeão mundial de Jiu-Jitsu (2011/12 – Faixa Roxa – IBJJF), ou seja, se for para o chão, ela sabe se virar.

A Amanda Nunes possui um bom nível em pé, consegue ser contundente em seus socos e ainda chuta muito bem. Seu nível em pé é dos melhores da divisão mas ainda está abaixo ao da Cyborg.

Já no chão a Amanda já mostrou mais no MMA do que a Cyborg, ela tem 3 vitórias por finalização, sendo duas no UFC contra a Sara McMann e contra a Misha Tate.

Embora a Amanda possua uma boa trocação, se testar em cima contra a Cyborg pode leva-la a tomar um nocaute, sua única chance seria levar a luta para o chão e trabalhar bastante para buscar as costas.

Porém como essa alternativa parece ser improvável e ainda a Cris é esperta no chão, não parece que teremos outro resultado que não a vitória da Cris Cyborg defendendo o seu cinturão.


Tarcio Martins

31 anos, Engenheiro, faixa preta de Taekwondo e praticante de MMA

Deixe uma resposta

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs