Maurício “Shogun’ Rua, do Vale Tudo ao MMA

0

Mauricio (Shogun) Rua, lenda do MMA, voltará ao octógono no sábado, para enfrentar Paul Craig no co-evento principal do UFC on ESPN + 22.

 

“Shogun”, embora ainda tenha apenas 37 anos, é essencialmente uma relíquia do esporte atualmente. Ele está entre os últimos de uma geração em dissolução de lutadores que fizeram sua história fora do UFC. O estágio pré-octagon de Mauricio Rua foi no PRIDE Fighting Championships.

O evento Japones PRIDE, que realizou seu evento final em abril de 2007, foi um terreno fértil para algumas das maiores estrelas do esporte antes de ser comprada e teve muito de seus principais talentos transferidos para o UFC. O sucesso do Shogun no PRIDE colocou ele entre os melhores da história da empresa, e ele estará sempre entre os nomes de destaque criados sob a bandeira do PRIDE.

Junto com o  PRIDE varíos lutadores ficaram no caminho para sempre. Shogun, ex-campeão dos meio-pesados ​​do UFC, é um dos poucos ainda lutando no UFC, e ele tem tanto ou mais sucesso do que qualquer um de seus colegas, com cinco vitórias nas últimas seis participações em octógonos.

Estes são os veteranos do PRIDE que ainda fazem parte da lista do UFC, e onde estão hoje:

Nick Diaz (registro no PRIDE: 0-0 com um no contest): Diaz lutou apenas uma vez no PRIDE, contra Takanori Gomi no segundo evento da promoção nos EUA em fevereiro de 2007. Sua vitória na finalização aplicando um gogoplata foi anulada para um no contest. porque ele falhou em um teste pós-luta para a maconha. Faz quase quatro anos que Diaz lutou, recentemente ele pediu por uma luta contra Jorge Masvidal para vingar o irmao dele.

Robbie Lawler (registro no PRIDE: 1-0): Como Diaz, Lawler fez apenas uma aparição no PRIDE, mas foi memorável. Ele marcou um nocaute de 22 segundos no joelho voador em Joey Villaseñor no PRIDE 32 em outubro de 2006, antes de participar de várias eventos pelos próximos anos até retornar ao UFC, onde se tornaria campeão dos meio-médios. No entanto, “Ruthless” está atualmente com três derrotas consecutivas e aguarda sua próxima luta em 2020.

Rogério “Minotouro” Nogueira (registro do PRIDE: 8-2): Embora ele nunca tenha se tornou campeão no PRIDE, como seu irmão, Rodrigo “Minotauro’ Nogueira, teve muitos momentos notáveis ​​no PRIDE, incluindo a “Luta do ano” de 2005 contra Mauricio “Shogun” Rua. Monotouto está no UFC há uma década e, aos 43 anos, perdeu quatro das últimos seis. Ele disse que planeja lutar mais uma vez em 2020 antes de se aposentar do MMA.

Alistair Overeem (registro no PRIDE: 7-7): Overeem foi um dos pilares do PRIDE em meados dos anos 2000, ganhando dos maiores nomes que tinha no Pride na époco. Foi só depois que o PRIDE foi vendido que Overeem voltou ao peso pesado e mudou sua trajetória de carreira. Ele fez uma corrida que finalmente o levou ao UFC, onde já lutou uma vez pelo título. Ele está tentando ser campeão de novo, ele tem uma grande oportunidade, fará a luta principal no UFC ESPN 7 contra Jair Rozenstruik em 7 de dezembro.

Mauricio Rua (registro no PRIDE: 12-1): A passagem de Shogun pelo PRIDE foi uma coisa mágica. Tornou ele um dos maiores lutadores da história do MMA, em 13 lutas dentro da organização, seu dia mal aconteceu quando ele deslocou o braço aos 49 segundos na luta com Mark Coleman. “Shogun” Foi para o UFC, onde reivindicaria o cinturão meio pesado. Lesões atrasaram o caminho para chegar em seu objetivo, mas ele ainda venceu muitas lutas e fará  a luta co-principal contra Craig no UFC São Paulo.

Anderson Silva (registro no PRIDE: 3-2): “The Spider” ficou menos de três anos no PRIDE, sua alta no evento foi o nocaute com o joelho contra Carlos Newton, e a baixa  foi a derrota para Ryo Chonan. Ele chegou ao UFC alguns anos depois e se tornou o maior vencedor da história da empresa em 16 lutas.  Anderson Silva agora tem 44 anos e conquistou apenas uma vitória nas últimas oito lutas.

Fabricio Werdum (registro no PRIDE: 4-2): A trajetória de Werdum no PRIDE foi relativamente curta. Ele lutou seis vezes ao longo de 17 meses, mas ainda era muito jovem em sua carreira no MMA. Mais de oito anos se passaram antes que o brasileiro se tornasse campeão dos pesos pesados ​​do UFC, e já faz mais de três anos desde que ele perdeu o posto. O Werdum agora tem 42 anos e está no meio de uma suspensão da USADA que vai até maio de 2020.

 

Essa matéria é um oferecimento da www.brasilvita.com.br

 

 

 

 

Deixe uma resposta