Imagem: Getty Images

Depois de perder o cinturão em duelo contra Eddie Alvares, Rafael dos Anjos retornou ao octógono em novembro do ano passado em busca de retomar o caminho do cinturão. Entretanto, o brasileiro foi dominado por Tony Ferguson, e acumulou a segunda derrota consecutiva.

Depois de ambos revés, Rafael dos Anjos anunciou a subida para a categoria meio médio. Em entrevista para o combate.com Rafael dos Anjos alegou estar aguardando um adversário para estreia na categoria, e ainda revelou vontade de lutar no Rio de Janeiro no UFC 212 que será realizado no dia 3 de junho.

“Eu avisei já o UFC que estaria pronto para lutar no final de maio ou início de junho. Essa era a data que eu queria voltar a lutar e até agora não ouvi nada de volta deles, mas estou preparando o meu corpo para estar pronto nessas datas. Tenho muito interesse em lutar no Rio. A última vez que lutei no Rio foi em 2007, há 10 anos. Lutei num evento chamado XFC e estava até o Cigano no card. Ele ganhou no peso-pesado, o Antonio Braga Neto ganhou nos 93 kg e eu ganhei nos 77 kg. Foi um Grand Prix, foram duas lutas numa noite e eu lutei nos 77 kg. Seria ótimo agora, 10 anos depois, voltar ao Rio e lutar nesse evento que vai ter o José Aldo defendendo o cinturão contra o Max Holloway. Ia ser maravilhoso poder lutar de novo no Brasil e ainda mais no Rio”

Apesar de ainda não ter nenhum adversário, Rafael afirmou que pelo fato de ser um ex-campeão, merece um adversário ranqueado, e ainda revelou alguns possíveis oponentes.

“Não tenho nenhum adversário em vista ainda. O Robbie Lawler é ex-campeão, eu sou ex-campeão do peso-leve, é uma luta que interessaria. Jorge Masvidal é outro nome que me interessaria também, ele acabou de ganhar do Donald Cerrone. Outro  nome é o Nick Diaz. Eu já ganhei do Nate, uma luta com o Nick seria interessante. Sou ex-campeão dos leves e acho que mereço lutar com um cara ranqueado. Não é porque eu venho de duas derrotas, não estou dando desculpa, não estava bem nessas duas lutas que eu perdi. Acho que no meu dia, bem, tanto fisicamente quanto mentalmente, não perco para ninguém nessas categorias. Então, estou me acertando e acho que esses três nomes me interessam.”

Apesar da nova categoria enfrentar adversários com maior envergadura, e mãos mais pesadas, o ex-campeão revelou que se sente melhor fisicamente, já que não necessita um corte de peso tão complexo.

“Os caras são mais fortes, têm a mão mais pesada, batem mais pesado. Acho que o perigo é esse, mas na divisão dos leves não é muito diferente. Nos leves eu lutei muitos anos com 70%, 80% da minha capacidade. As pessoas que treinam comigo também dizem isso, que eu treino melhor quando estou entre 80 e 82 kg, fico muito bem. Já na semana da luta, tenho que bater 70 kg…agora estou com 32 anos, então tem ficado cada vez mais difícil. Perco muito no dia da luta ali com esse corte de peso, então o perigo dessa categoria são os caras mais fortes, mas eu vou estar mais forte também”

 

Loading Facebook Comments ...