Joanne Calderwood na balança no primeiro duelo válido pelos moscas feminino do UFC (Foto: Reprodução/MMA Fighting)

Em meados de 2011, o atual presidente do UFC Dana White descartava implantar o MMA feminino na organização por falta de atletas de bom nível em número suficiente para criar as divisões de peso, mas ele cedeu ao apelo dos fãs e implementou as divisões femininas. Primeiramente até 61kg (Galos) em 2012, depois até 52kg (Palhas) em 2014 e recentemente até 66kg (Penas) em fevereiro de 2017.

Nesta quarta-feira (03) foi anunciado  que a 26° edição do The Ultimate Fighter será válida pela categoria feminina até 57kg (Moscas) e que a vencedora será coroada a campeã inaugural da divisão. O comunicado que traz a informação sobre o reality show informa que o TUF 26 está com suas inscrições abertas no site oficial do UFC para quaisquer lutadoras que tenham entre 21 e 34 anos e possuam pelo menos três lutas profissionais e um recorde de vitórias.

Alguns meses atrás Dana White também havia dito aos jornalista em Las Vegas que o UFC não tinha planos de instituir mais categorias femininas em 2017 além do peso-pena, porém, mudou de convicção. Segundo o site MMA Fighting os planos da organização eram para que o TUF 26 fosse realizado por mulheres no peso-galo e homens no peso-médio, entretanto, foram cancelados.

Em junho de 2016, o UFC promoveu uma luta oficial no peso-mosca feminino entre Joanne Calderwood e Valerie Letourneau no UFC Fight Night 89, onde Calderwood venceu por nocaute técnico no terceiro round em uma luta que serviu de teste para a empresa ou digamos uma pré-inauguração.

Agora com quatro categorias femininas, resta ao Ultimate apenas a criação do peso-átomo feminino (até 48kg), divisão reconhecida e ativa no One FC, Invicta FC, entre outros eventos. As filmagens do TUF 26 devem começar em julho deste ano e a estreia provavelmente em setembro, embora os treinadores principais ainda não tenham sido anunciados.

 

Loading Facebook Comments ...