Foto: Reprodução/OficialUFC)

No dia 11 (onze) de março deste ano, o Ultimate foi até Fortaleza-CE para mais um mega evento em solo brasileiro. Como luta principal do card, estava Vitor Belfort e Kelvin Gastelum, que acabou vencendo o brasileiro ainda no primeiro assalto do combate.

Após a luta contra Vítor Belfort, o americano passou por exames (o que é de praxe), mas o resultado só veio sair há alguns dias atrás. Na coleta feita foi detectado o uso da substância Carboxy – THC.

Quando o resultado do exame saiu, Gastelum já estava de luta marcada, novamente no Brasil e novamente contra outro brasileiro. O americano se preparava para enfrentar Anderson Silva no UFC Rio, quando foi surpreendido. Réu confesso, Kelvin Gastelum pegou uma pena branda por sua confissão e seu pedido público de desculpas, o lutador admitiu ter usado maconha e seus advogados negociaram uma punição mais leve. Com isso, Kelvin pegou 3 (três) meses de suspensão, irá pagar multa de 20% da bolsa de sua última luta e, além disso, por violar a política de doping do Ultimate, o resultado da luta contra Belfort foi revertida para um ‘No contest’.

Confira na integra o texto da decisão apurado pelo Combate.com

“Marcelo Sedlmayer Jorge, Presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva – MMA e o procurador da entidade (Emmanuel Guedes Ferreira), em conjunto de esforços com a CABMMA neste ato representada pelo Sr Cristiano Sampaio, formalizaram um acordo com o atleta Kelvin Gastelum, seus advogados e a USADA.

O atleta confessou oficialmente o uso da substância Carboxy – THC, desculpou-se publicamente. O atleta compromete-se não infringir qualquer outra norma do esporte sob pena de aplicação das agravantes prevista por reincidência.

Por fim, restou fixado a suspensão de 03 meses a contar do dia 11/03/2017, bem como o pagamento da multa de 20% da bolsa recebida na luta contra Vitor Belfort.”


Loading Facebook Comments ...