BREVE RESUMO.

O UFC realizou um evento na cidade de Las Vegas para os seus atletas, na ocasião houveram palestras para mostrar aos lutadores como que a organização iria utilizar o centro de treinamento, dentre outras novidades.

Só que, as coisas não saíram muito bem como o planejado, e não foi por conta da confusão da Cris Cyborg e Angela Magana. No momento que os representantes da patrocinadora oficial do Ultimate discusavam na palestra, o representante de uma marca de cerveja (que é parceira da Reebok), saiu da linha e, indagou que a a empresa quer representar os lutadores que venceram, não os que estão no chão derrotados, que os lutadores deveriam ser como Conor McGregor etc. Há relatos que o mesmo estava embriagado.

Foi quando Kajan Jhonson não suportou ouvir os dizeres do empresário e deu início a um tumultuo no local. O lutador então foi retirado da sala para apaziguar a situação e, posteriormente a isso, os atletas presentes foram chamados para uma reunião. Fim de resumo.

Já devidamente ciente do ocorrido, fica mais fácil entender o teor da reunião. Segundo Sara McMann e Joe Lauzon, que estavam presentes na reunião e conversaram com o portal americano ‘MMA Junkie’, os lutadores fizeram três exigências para a Reebok.

Dos cerca de 100 (cem) lutadores que estavam presentes, as cobranças foram:
1º Trazer de volta os banner’s de patrocinadores para os lutadores (aqueles usados no octógono quando anunciavam o lutador);
2º Mais transparência sobre o financeiro do acordo da Reebok com o UFC; e
3º Contratar um representante do UFC para sondar patrocinadores locais.

Loading Facebook Comments ...