Chael Sonnen domina Wanderlei Silva na posição de meia guarda no solo (Foto: MMAJunkie Official)

Debutando na cidade de Nova York, o Bellator MMA promoveu uma edição ousada com três cinturões em disputa e nomes renomados para compor as lutas principais do evento. O presidente da organização Scott Coker reservou uma data perfeita no Madison Square Garden, uma vez que conseguiu atrair toda atenção dos fãs e mídias especializadas para sua promoção, já que não houve qualquer evento à altura que pudesse concorrer em audiência.

A noite do Bellator 180 foi realmente algo incomum, tivemos desfechos inusitados e situações atípicas em determinados combates, mas deixemos isto para o decorrer do texto, vamos começar então pelo final, pelo duelo mais aguardado!

Estratégia eficiente!

Muitos ficaram decepcionados e profundamente frustrados com a performance do brasileiro Wanderlei Silva (35-13), porém, a fúria maior foi nitidamente contra o adversário Chael Sonnen (30-15) que buscou unicamente a luta de chão, utilizando seu grappling para anular, cansar e dominar o “Cachorro Louco”, que por sua vez desejava um duelo em pé, com trocação franca, o que seria mais favorável para seu estilo agressivo. Ambos não venciam desde 2013, todavia, o “The Bad Guy” estava mais ativo e foi amplamente superior, derrubou quando quis, controlou por quanto tempo achou necessário, trabalhando posições e em certos momentos tentando a finalização.

Chael Sonnen aplica double leg em Wanderlei (Foto: MMAJunkie Official)

Nos pouquíssimos segundos em que o combate ficou de pé, Wanderlei conseguiu conectar bons socos e até aplicou um knockdown no primeirou round, contudo, não soube ser efetivo e expor sua trocação visceral. A rivalidade entre os dois era notória e esta animosidade vinha sendo nutridas por mais de três anos, contudo, o “The American Gangster” preferiu ser inteligente e garantir a vitória, aproveitando as falhas visíveis do brasileiro no quesito defesa de quedas. Após o anúncio da vitória clara por decisão unânime (30×26, 30×27,30×27) a favor de Sonnen, a lenda do pride saiu chateada, enquanto o ex-UFC falastrão comemorou com suas conhecidas provocações no microfone.

A queda do Imperador!

Ambos caíram, porém, em intensidades distintas. Matt Mitrione (12-5) e Fedor Emelianenko (36-5) iniciaram um duelo estudado, o americano soltou alguns jabs até que os dois se acertaram simultaneamente e foram ao chão, entretanto, a potência do soco recebido foi diferente, enquanto o russo caiu quase entregue às cinzas, Mitrione sentiu menos e se recuperou com intrepidez e ferocidade para aplicar um ground and pound brutal e apagar o “Último Imperador”.  O desfecho poderia ter sido literalmente bizarro com um nocaute duplo, mas Mitrione demonstrou boa absorção do golpe para conquistar sua maior vitória na carreira sobre aquele que é considerado por muitos um dos melhores de todos os tempos e que já deveria estar descansando, colhendo os frutos de sua carreira gloriosa e repassando seu infindável conhecimento sobre as artes marciais aos pequenos soviéticos.

Matt Mitrione desferiu socos brutais sobre Fedor (Foto: Esther Lin/MMAFighting)

Matt Mitrione emplaca sua terceira vitória consecutiva por nocaute no Bellator e deve disputar o cinturão dos pesados da organização, que atualmente se encontra vago após a destituição do ex-campeão Vitaly Minakov. Aquele que de modo coerente deve dividir o cage com o americano é o francês Cheick Kongo, que soma cinco vitórias seguidas na divisão, porém, Scott Coker ainda há de dissertar algo sobre esta situação.

Uma vitória adversa!

A última disputa de cinturão da noite teve ironicamente o desfecho mais rápido e também o mais inusitado. O então campeão dos leves Michael Chandler (16-4) vinha embalado após reconquistar o título com um nocaute imponente sobre Patricky Pitbull e defendê-lo em seguida ao triunfar sobre Benson Henderson por decisão dividida. Seu adversário, o compatriota Brent Primus (7-0), dono de uma carreira bem curta, porém, sem reveses. A certeza era de que o combate seria movimentado, o desafiante começou jogando chutes fortes na linha de cintura e o campeão ao recuar acabou caindo de mal jeito e torcendo o tornozelo. Demonstrando bravura Chandler buscou continuar e aplicou uma direita devastadora que derrubou Primus, contudo, quando foi pra cima tentando liquidar voltou a torcer o membro e ficou visível sua incapacidade de seguir lutando em pé, diante disso o juiz interrompeu o confronto. Após a avaliação médica foi constatado sua impossibilidade de prosseguir na luta e o combate foi encerrado, consagrando o azarão Brent Primus como vitorioso por nocaute técnico e novo detentor do cinturão dos leves.

Brent Primus é o novo campeão dos leves do Bellator (Foto: Dave Mandel/Sherdog)

Brent Primus chega a sua oitava vitória seguida na carreira e segue invicto, por outro lado, Chandler perde o cinturão dos leves de sua posse pela segunda vez e agora deve aguardar a oficialização da revanche imediata entre os dois, tendo em vista este resultado no mínimo adverso.

Tática e execução!

Um confronto muito aguardado na noite era o embate pelo cinturão dos meio-médios entre o campeão Douglas Lima (29-6) e o recém-chegado ex-UFC Lorenz Larkin (18-6).  Ambos strikers ferozes não expuseram suas habilidades de modo íntegro e intenso, proporcionando aos fãs um duelo aquém das expectativas, porém, nada monótono. O respeito era mútuo e o notório, os dois tinham receio de errar e acabar desacordado. Houveram momentos de trocação intensa quando Douglas conectou um cruzado de esquerda no segundo round após estar sofrendo um atraso e levar o desafiante ao chão, onde trabalhou o ground and pound. O brasileiro sofreu com alguns golpes duros e viu seu nariz derramar sangue, mas passou a trabalhar com mais inteligência e cautela nos rounds seguintes controlando o centro do cage com sequencias de socos e chutes, aplicando algumas quedas e trabalhando o clinch com mais eficiência para vencer o embate por decisão unânime (50×45, 48×47, 48×47).

Douglas Lima segue como campeão dos meio-médios do Bellator (Foto: Esther Lin/ MMAFighting)

Douglas Lima chegou a sua 11° vitória no Bellator e agora deve se preparar para defender a cinta contra o canadense Rory MacDonald, que estreou na organização com um triunfo por finalização sobre Paul Daley e garantiu sua chance pelo cinturão. Lorenz Larkin que vinha de duas vitórias no UFC sobre Jorge Masvidal e Neil Magny amarga um revés logo na estreia e busca recuperação.

Não vale a pena ver de novo!

Um reencontro que apenas se estendeu um pouco mais. Outro cinturão que esteve em disputa no evento foi o dos meio-pesados, Phil Davis buscou manter a cinta contra o estreante vindo do UFC Ryan Bader, porém, não logrou êxito e reviveu o mesmo desfecho de dois anos atrás no primeiro encontro entre os dois. Os dois já haviam se encontrado no Ultimate em 2015 e “Darth Bader” saiu vitorioso por decisão dividida em um combate morno e equilibrado. O reencontro foi praticamente igual, uma luta sem muita emoção e no final a vitória de Bader, entretanto, conquistou algo a mais além do triunfo, o cinturão da categoria.

Ryan Bader conecta direto de esquerda em Phil Davis (Foto: Esther Lin/MMAFighting)

Ambos compuseram o top 5 da categoria até 93kg do UFC, mas nunca conseguiram sequer disputar o cinturão da divisão, pois sempre batiam na trave. Entre o fim de 2013 e 2015 Bader viveu sua melhor fase na antiga casa, somou cinco vitórias seguidas, mas acabou trucidado pelo monstro aposentado Anthony Johnson e não recebeu a title shot. O “Mr Wonderful” em meados de 2012 estava invicto com 9-0 e só precisava vencer Rashad Evans, todavia, acabou sucumbindo e perdendo a oportunidade.

Na luta os dois se anularam mediante seus respectivos níveis de wrestling, mas o desafiante conseguiu ser mais eficiente na trocação, conectando os melhores golpes. Controlando o centro do cage com jabs e chutes no corpo, defendendo as quedas e impedindo o campeão de entrar em seu raio de ação, Ryan Bader (23-5) repetiu o feito do primeiro duelo e venceu Phil Davis (17-4) por decisão dividida (49×46, 47×48, 49×46).

Ryan Bader é o novo campeão dos meio-pesados do Bellator (Foto: EstherLin/MMAFighting)

Ryan Bader agora deve defender seu título contra o inglês Linton Vassell, que embora limitado, derrotou seus três últimos adversários com superioridade (Emanuel Newton, Francis Carmont e Liam McGeary).

Fique de olho!

Para mim o destaque secundário deste evento foi o jovem promissor dos peso-penas James Gallagher (7-0) que conseguiu uma bela finalização (mata-leão) sobre Chinzo Machida no primeiro assalto. O irlândes de 20 anos já pediu uma chance contra o campeão Patrício Pitbull, mas eu acho cedo, existem outros adversários mais duros com os quais ele precisa se testar antes de encarar um atleta de alto calibre como Patrício. O garoto tem potencial, como parceiro de treinos de Conor McGregor na SBG Ireland tem muito a aprender e evoluir.

 

Loading Facebook Comments ...