Felipe Cabocão comenta luta contra Montel Jackson e projeta top 15

0

Vivendo um sonho, assim é o momento do  brasileiro Felipe Cabocão. Natural de Macapá, o atleta de 25 anos vai para sua terceira luta no UFC. Após uma estreia amarga com derrota em fevereiro de 2019, o peso-galo se recuperou em julho do mesmo ano com vitória por decisão dividida sobre Domingo Pilarte.

No próximo sábado (25), ele retorna ao octógono contra o americano Montel Jackson no UFC Raleigh, na Carolina do Norte (EUA). Ao contrário de sua estreia no Ultimate, que ficou sabendo poucos dias antes, Cabocão teve um longo período para se preparar e em entrevista exclusiva para o “Tudo Sobre MMA” comentou sobre a preparação e analisou seu adversário.

“Me preparei muito bem para essa luta, fiquei sabendo dela final de outubro para novembro e desde então comecei a estudar bastante meu adversário. É um cara canhoto, o meu último adversário também era, ai a gente uniu o jogo. Apesar de serem canhotos eles tem jogos diferentes, o Montel Jackson tem um muay thai melhor que do Domingo Pilarte, o boxe dele não é tão forte quando do Pilarte, mas ele chuta mais, tem uns frontais, ele vem do wrestling, consegue botar bem para baixo, gosta da luta de chão ele tem um jogo bastante agressivo”, falou Felipe.

Com um cartel de 9 vitórias e uma derrota, Felipe Cabocão revelou está preparado para lutar quanto na parte da trocação quanto no jogo de solo, mas deixou claro que seu jogo no chão pode fazer a diferença.

“Eu vou tentar anular o jogo dele, não vou dizer que só vou buscar a luta de chão, porque eu tenho treinado muito a parte de trocação, vou ser estratégico, vou lutar minuto por minuto de cada round para ter vantagem e se ele me der oportunidade eu vou colocar ele de costas para o chão e vou mostrar meu jiu-jitsu para ele, mostrar que eu sou faixa-preta e eu tenho certeza que essa faixa preta vai pesar na luta”, disse o atleta da Team Nogueira.

Até o revés em sua estreia na organização contra o compatriota Geraldo de Freitas, Cabocão estava invicto na carreira, mas para ele, a derrota foi importante para se motivar ainda mais nos treinamentos.

“Estreei com derrota, mas foi uma derrota que me colocou com o pés no chão, hoje em dia me vejo totalmente diferente não me vejo mais imbatível por isso treino, treino e treino ao máximo para que eu não tenha mais esse sabor da derrota novamente. Hoje sou um atleta muito mais maduro depois daquela derrota que tive”.

Felipe Cabocão ainda projetou seu futuro no Ultimate, e com um plano ambicioso pretende chegar numa disputa de cinturão em 2021.

“Quero fazer o máximo de lutas possíveis, quero ser um funcionário do UFC, vou já lutar em janeiro agora e se me quiserem colocar lá por maio eu já vou estar preparado e depois se quiser me colocar para lutar em setembro também estarei preparado e para fechar em dezembro também estarei pronto. Quero quatro lutas neste ano e terminar o ano no top 15 e já pro ano de 2021 entrar no top 10 e em seguida conseguir a disputa pelo cinturão”, finalizou Cabocão em papo exclusivo com o Tudo Sobre MMA.  

Veja todos os resultados do UFC 246

Deixe uma resposta