Foto: Evelyn Rodrigues | SporTV | Combate
Foto: Evelyn Rodrigues | SporTV | Combate

Prestes a retornar ao octógono mais famoso do mundo para realizar a primeira ‘trilogia’ de sua carreira no MMA, o brasileiro ex-campeão peso pesado Fabrício Werdum está na reta de sua preparação para encarar pela terceira vez o holandês ex-campeão do DREAM, K-1 e Strikeforce Alistar Overeem, no UFC 213 que acontecerá neste sábado (8) na T-Mobile Arena em Las Vegas, Nevada, nos Estados Unidos.

Em busca de sua segunda vitória seguida, desde que foi destronado pelo norte americano Stipe Miocic, no UFC 198 em Curitiba em maio do ano passado, o gaúcho concedeu uma entrevista ao Combate.com, Werdum fez uma análise da luta, apontando o que o ‘The Reem’ tem de mais forte.

“Ele é um cara que está jogando muito no contra-golpe. Agora mudou um pouquinho o jogo, quando ele estava com o “café da manhã especial” ele estava mais forte, botava mais ritmo. É um cara que cansa bastante e a gente sabe disso. Como dizem na gíria, ele é um leão atacando e um gatinho defendendo. Ninguém gosta de levar porrada, mas ele não sabe apanhar. Então é preciso botar um ritmo bom, ter muito cuidado com essa contra dele, porque ele troca de base toda hora para acertar a esquerda. Ele fez isso duas vezes com o Stipe Miocic, fez com o Cigano, nocauteou o Cigano de canhoto, então tem que tomar cuidado com ele trocar de base toda hora e não correr para cima dele. Encurtar muito a distância, só na hora certa”, afirmou.

Esse bate-papo entre a jornalista do SporTV/Combate Evelyn Rodrigues e o ‘Vai Cavalo’ foi ‘gigantesca’ e o brasileiro comentou sobre diversos assuntos, como: as armas e estratégia do holandês, a confirmação do brasileiro Demian Maia como desafiante ao cinturão dos meio-médios e cutucou mais uma vez seu desafeto e compatriota Junior ‘Cigano’ que recentemente foi confirmado para encarar o camaronês/francês Francis N’Gannou no UFC 215:

Armas do rival:

“Ele é um cara que está jogando muito no contra-golpe. Agora mudou um pouquinho o jogo, quando ele estava com o “café da manhã especial” ele estava mais forte, botava mais ritmo. É um cara que cansa bastante e a gente sabe disso. Como dizem na gíria, ele é um leão atacando e um gatinho defendendo. Ninguém gosta de levar porrada, mas ele não sabe apanhar. Então é preciso botar um ritmo bom, ter muito cuidado com essa contra dele, porque ele troca de base toda hora para acertar a esquerda. Ele fez isso duas vezes com o Stipe Miocic, fez com o Cigano, nocauteou o Cigano de canhoto, então tem que tomar cuidado com ele trocar de base toda hora e não correr para cima dele. Encurtar muito a distância, só na hora certa”.

Estratégia contra o holandês:

“Eu não vou direto para o chão, porque ele deve estar esperando isso, e deve estar treinando wrestling para evitar que eu vá para o chão. Mas alguma situação vai acontecer da gente ir para o chão, caindo por baixo ou por cima. Estou treinando bastante com o Cobrinha agora a parte do chão, pegando bem as costas também, então acho que vai dar tudo certo, vai sair bem como eu estou pensando”.

Confirmação de Demian Maia como desafiante ao cinturão de Tyron Woodley

“Eu fiquei muito feliz. O Demian Maia é um grande amigo meu, é gente boa demais. É um cara que usa o jiu-jítsu. Teve uma época que, quando você começa a treinar em pé, você quer mostrar que está evoluindo em pé, o que é normal. Mas ele voltou às origens agora. O Demian Maia é um cara que faz um jiu-jítsu muito justo, tem aquela guarda que ele faz muito bem, que é difícil fazer no MMA, mas que ele consegue, e o Demian tem essa coisa de manter o jiu-jítsu 100%, e essa oportunidade para ele agora. Eu acho que ele vai finalizar o Tyron Woodley”.

Entressafra de cinturões do UFC no Brasil:

“Eu acho que o MMA no Brasil tem muita qualidade e quantidade, mas agora é só uma fase. A gente teve vários cinturões, eu tive o meu, o Aldo, o Anderson e acho que é uma fase. Agora vão chegando oportunidades de conquistar o título de novo, o Demian Maia vai ter a dele, a Cris também. Eu também posso garantir que vou fazer de tudo para trazer o cinturão dos pesos-pesados de volta para o Brasil”.

Junior ‘Cigano’ vs. Francis N’Gannou:

“Eu vejo essa luta bem difícil pro Cigano, porque ele é um cara que tem a especialidade no boxe e o Francis é um cara grande e gosta de lutar bastante em pé também. Então, se o Cigano fizer uma estratégia boa, de repente levando para o chão e ficando por cima… porque a gente não sabe como é o Francis por baixo. Eu não acredito que ele seja muito bom, acho que a galera está levando muita fé na parte em pé. Se o Cigano quiser trocar, com o tempo que ele tem de luta, são muitos anos… Na minha opinião, não é querendo falar mal nem nada, mas acho que o Cigano levou muita porrada nas lutas dele. As duas com o Cain Velásquez, as duas com o Stipe Miocic, contra o Mark Hunt ele também levou muita porrada, então eu acho que a cabeça dele não está igual. Não é nem questão de ser queixo de vidro, é que a cabeça dele não está mais como antes. De repente está meio, como a gente fala na gíria, “sonado”. Ele está meio “sonado”, o cilindro está solto. Não é querendo falar mal, mas é o que eu vejo. O Cigano tem que parar de garantir que aguenta bastante porrada. Não sei se é o estilo dele, mas na minha opinião sincera, acho que o Francis nocauteia o Cigano”.

Preocupação em não levar muitos golpes na cabeça:

“Eu fico muito preocupado com isso. Em toda a minha carreira, e são quase 28 anos de carreira, eu levei dois nocautes na minha vida e não pretendo tomar mais nenhum. A sensação é ruim, não é bom levar soco na cabeça, até no sparring eu cuido muito disso. Eu me preocupo hoje em dia. Não tem nada a ver uma coisa com a outra, mas antigamente eu não tinha medo de avião, hoje eu tenho. Se eu subo no avião e tem alguma turbulência, já fico com medo. Então, essa coisa da pancada, imagina não poder aproveitar com as minhas filhas. Eu aproveito a vida hoje, lógico, mas depois (de aposentar) imagina se eu fico meio retardado, lento, com “delay” é ruim, né? “Delay”, só na televisão”, finalizou.

Confira abaixo o card completo do UFC 213: Nunes vs. Schevchenko 2:

Card Principal:

  • Amanda Nunes vs.Valentina Shevchenko – Pelo cinturão da categoria peso-galo feminino do UFC;
  • Yoel Romero vs. Robert Whittaker – Pelo cinturão interino da categoria peso médio do UFC;
  • Daniel Omielanczuk vs. Curtis Blaydes;
  • Fabricio Werdum vs. Alistair Overeem;
  • Anthony Pettis vs. Jim Miller.

Card Preliminar:

  • Travis Browne vs. Alexey Oliynyk;
  • Chad Laprise vs. Brian Camozzi;
  • Thiago ‘Marreta’ vs. Gerald Meerschaert;
  • Jordan Mein vs. Belal Muhammad;
  • Rob Font vs. Douglas D’Silva;
  • Cody Stamann vs. Terrion Ware;
  • Trevin Giles vs. James Bochnovic.