Foto: Christian Petersen/Zuffa LLC

Um fato que vem se tornando bastante corriqueiro entre os lutadores, é uma mancha negativa em suas carreiras de estamparem as páginas policias dos jornais locais. O infeliz da vez, foi o americano Cody Pfister e, assim como a maioria dos lutadores detidos, o motivo foi violência doméstica.

Lutadores como Michael Graves, Travis Browne, Jason Miller entre outros, já foram acusados de cometerem esse crime. O caso mais divulgado recentemente foi do também ex-ufc e Bellator Jonathan ‘War Machine’ Koppenhaver, que cometeu uma série de ilícitos penais contra a namorada e, foi condenado a prisão perpétua.

De acordo com BloodyElbow.com , o lutador foi preso em 15 de julho e detido no Centro de Detenção do Condado de Potter em Amarillo, Texas (USA). Como já mencionado, as acusações feitas contra Pfister é de agressão e causar lesões corporais a um membro da família. O incidente ocorreu dez dias antes de sua prisão, ou seja, no dia 5 de junho.

Pouco depois de ter side preso, Cody Pfister pagou fiança de US $ 5.000 (cinco mil dólares, quase dezesseis mil reais, se convertidos na nossa moeda na cotação atual) e foi libertado do centro de detenção.

Atualmente, Cody Pfister está com 27 anos de idade. Sua última luta no UFC foi no UFC Fight Night: McDonald vs. Lineker no ano passado. Após isso ele seguiu o caminho de muitos e migrou para o Bellator, na nova casa, ele lutou em março deste ano contra Jonathan Gary e venceu por finalização.

Estudante de Direito. 20 anos. Mossoró-RN. Apaixonado pelo MMA e dedicado ao jornalismo esportivo desde 2012. “Um espírito nobre, engrandece o menor dos homens” (Jebediah Obadiah Springfield)