Daniel Cormier descarta trilogia com Jones após suspensão e quer o cinturão de volta

0
Foto: Steve Marcus / AP

O histórico evento do UFC 214 foi marcado por três disputas de cinturão, sendo a principal delas, o reencontro dentro do octógono entre Daniel Cormier e Jon ‘Bones’ Jones, duelo que marcava o retorno de Jones a uma luta, após uma séries de problemas que forçou o Ultimate a remover seu título. Na revanche o antigo campeão levou a melhor e tomou o cinturão que estava com Cormier.

Mas quando tudo aparentava ter corrido bem, surge uma notificação da USADA (Agência Anti-Doping dos Estados Unidos) informando uma possível violação de Jon Jones ao permitido pela agência, novamente. Tudo indica que, se confirmado o uso de substancia proibida por parte de Jon Jones, a punição vá de dois a três anos de suspensão, fato que tornaria a trilogia inviável para Cormier, que tem 38 anos e só quer lutar até os 40.
Foi o que o próprio lutador disse em entrevista para o programa ‘MMA Hour’.

– O mais triste disso tudo é que, cara, eu realmente lutaria com ele novamente. Porque, ao final do processo, se houver mesmo a suspensão, eu não sei se teria tempo. Eu sempre disse que não lutarei depois dos 40 anos. Se isso (doping) for verdade, como provavelmente é, afinal a Usada é uma organização muito justa e eles não teriam divulgado nada se tivessem cometido um erro, então, provavelmente, não terei mais tempo. Assim, a última vez que lutamos terá sido o nosso último encontro. Essa é a verdade – afirmou Cormier.

Daniel Cormier ainda ironizou a colocação de alguns que apontaram que ele havia recebido o cinturão em 2015, quando Jones começou a desandar fora do octógono. Além disso, declarou ser merecedor de ter seu título de volta e que isso era questão de justiça.

– O mais louco é que, na primeira vez, em 2015, vi muitas pessoas dizendo que eu tinha “recebido” o cinturão, quando, na verdade, eu o conquistei vencendo o Anthony Johnson. Agora, eu acho que mereço receber esse cinturão por tudo o que aconteceu. Sei que lutamos, mas, se ele não estava lutando de forma limpa, isso seria justo comigo? Se for provado que ele estava dopado, nem teríamos lutado, e eu continuaria sendo o campeão. Então, sim, vou receber o cinturão e serei um campeão orgulhoso. Agora, se ele for inocente, se estiver limpo, vou trabalhar e buscar uma maneira de lutar com ele, mais um vez, pelo cinturão – Finalizou o atleta.

Deixe uma resposta