Autor: Lucas Andrade

Chael Sonnen domina Wanderlei Silva na posição de meia guarda no solo (Foto: MMAJunkie Official)

Debutando na cidade de Nova York, o Bellator MMA promoveu uma edição ousada com três cinturões em disputa e nomes renomados para compor as lutas principais do evento. O presidente da organização Scott Coker reservou uma data perfeita no Madison Square Garden, uma vez que conseguiu atrair toda atenção dos fãs e mídias especializadas para sua promoção, já que não houve qualquer evento à altura que pudesse concorrer em audiência.

A noite do Bellator 180 foi realmente algo incomum, tivemos desfechos inusitados e situações atípicas em determinados combates, mas deixemos isto para o decorrer do texto, vamos começar então pelo final, pelo duelo mais aguardado!

Estratégia eficiente!

Muitos ficaram decepcionados e profundamente frustrados com a performance do brasileiro Wanderlei Silva (35-13), porém, a fúria maior foi nitidamente contra o adversário Chael Sonnen (30-15) que buscou unicamente a luta de chão, utilizando seu grappling para anular, cansar e dominar o “Cachorro Louco”, que por sua vez desejava um duelo em pé, com trocação franca, o que seria mais favorável para seu estilo agressivo. Ambos não venciam desde 2013, todavia, o “The Bad Guy” estava mais ativo e foi amplamente superior, derrubou quando quis, controlou por quanto tempo achou necessário, trabalhando posições e em certos momentos tentando a finalização.

Chael Sonnen aplica double leg em Wanderlei (Foto: MMAJunkie Official)

Nos pouquíssimos segundos em que o combate ficou de pé, Wanderlei conseguiu conectar bons socos e até aplicou um knockdown no primeirou round, contudo, não soube ser efetivo e expor sua trocação visceral. A rivalidade entre os dois era notória e esta animosidade vinha sendo nutridas por mais de três anos, contudo, o “The American Gangster” preferiu ser inteligente e garantir a vitória, aproveitando as falhas visíveis do brasileiro no quesito defesa de quedas. Após o anúncio da vitória clara por decisão unânime (30×26, 30×27,30×27) a favor de Sonnen, a lenda do pride saiu chateada, enquanto o ex-UFC falastrão comemorou com suas conhecidas provocações no microfone.

A queda do Imperador!

Ambos caíram, porém, em intensidades distintas. Matt Mitrione (12-5) e Fedor Emelianenko (36-5) iniciaram um duelo estudado, o americano soltou alguns jabs até que os dois se acertaram simultaneamente e foram ao chão, entretanto, a potência do soco recebido foi diferente, enquanto o russo caiu quase entregue às cinzas, Mitrione sentiu menos e se recuperou com intrepidez e ferocidade para aplicar um ground and pound brutal e apagar o “Último Imperador”.  O desfecho poderia ter sido literalmente bizarro com um nocaute duplo, mas Mitrione demonstrou boa absorção do golpe para conquistar sua maior vitória na carreira sobre aquele que é considerado por muitos um dos melhores de todos os tempos e que já deveria estar descansando, colhendo os frutos de sua carreira gloriosa e repassando seu infindável conhecimento sobre as artes marciais aos pequenos soviéticos.

Matt Mitrione desferiu socos brutais sobre Fedor (Foto: Esther Lin/MMAFighting)

Matt Mitrione emplaca sua terceira vitória consecutiva por nocaute no Bellator e deve disputar o cinturão dos pesados da organização, que atualmente se encontra vago após a destituição do ex-campeão Vitaly Minakov. Aquele que de modo coerente deve dividir o cage com o americano é o francês Cheick Kongo, que soma cinco vitórias seguidas na divisão, porém, Scott Coker ainda há de dissertar algo sobre esta situação.

Uma vitória adversa!

A última disputa de cinturão da noite teve ironicamente o desfecho mais rápido e também o mais inusitado. O então campeão dos leves Michael Chandler (16-4) vinha embalado após reconquistar o título com um nocaute imponente sobre Patricky Pitbull e defendê-lo em seguida ao triunfar sobre Benson Henderson por decisão dividida. Seu adversário, o compatriota Brent Primus (7-0), dono de uma carreira bem curta, porém, sem reveses. A certeza era de que o combate seria movimentado, o desafiante começou jogando chutes fortes na linha de cintura e o campeão ao recuar acabou caindo de mal jeito e torcendo o tornozelo. Demonstrando bravura Chandler buscou continuar e aplicou uma direita devastadora que derrubou Primus, contudo, quando foi pra cima tentando liquidar voltou a torcer o membro e ficou visível sua incapacidade de seguir lutando em pé, diante disso o juiz interrompeu o confronto. Após a avaliação médica foi constatado sua impossibilidade de prosseguir na luta e o combate foi encerrado, consagrando o azarão Brent Primus como vitorioso por nocaute técnico e novo detentor do cinturão dos leves.

Brent Primus é o novo campeão dos leves do Bellator (Foto: Dave Mandel/Sherdog)

Brent Primus chega a sua oitava vitória seguida na carreira e segue invicto, por outro lado, Chandler perde o cinturão dos leves de sua posse pela segunda vez e agora deve aguardar a oficialização da revanche imediata entre os dois, tendo em vista este resultado no mínimo adverso.

Tática e execução!

Um confronto muito aguardado na noite era o embate pelo cinturão dos meio-médios entre o campeão Douglas Lima (29-6) e o recém-chegado ex-UFC Lorenz Larkin (18-6).  Ambos strikers ferozes não expuseram suas habilidades de modo íntegro e intenso, proporcionando aos fãs um duelo aquém das expectativas, porém, nada monótono. O respeito era mútuo e o notório, os dois tinham receio de errar e acabar desacordado. Houveram momentos de trocação intensa quando Douglas conectou um cruzado de esquerda no segundo round após estar sofrendo um atraso e levar o desafiante ao chão, onde trabalhou o ground and pound. O brasileiro sofreu com alguns golpes duros e viu seu nariz derramar sangue, mas passou a trabalhar com mais inteligência e cautela nos rounds seguintes controlando o centro do cage com sequencias de socos e chutes, aplicando algumas quedas e trabalhando o clinch com mais eficiência para vencer o embate por decisão unânime (50×45, 48×47, 48×47).

Douglas Lima segue como campeão dos meio-médios do Bellator (Foto: Esther Lin/ MMAFighting)

Douglas Lima chegou a sua 11° vitória no Bellator e agora deve se preparar para defender a cinta contra o canadense Rory MacDonald, que estreou na organização com um triunfo por finalização sobre Paul Daley e garantiu sua chance pelo cinturão. Lorenz Larkin que vinha de duas vitórias no UFC sobre Jorge Masvidal e Neil Magny amarga um revés logo na estreia e busca recuperação.

Não vale a pena ver de novo!

Um reencontro que apenas se estendeu um pouco mais. Outro cinturão que esteve em disputa no evento foi o dos meio-pesados, Phil Davis buscou manter a cinta contra o estreante vindo do UFC Ryan Bader, porém, não logrou êxito e reviveu o mesmo desfecho de dois anos atrás no primeiro encontro entre os dois. Os dois já haviam se encontrado no Ultimate em 2015 e “Darth Bader” saiu vitorioso por decisão dividida em um combate morno e equilibrado. O reencontro foi praticamente igual, uma luta sem muita emoção e no final a vitória de Bader, entretanto, conquistou algo a mais além do triunfo, o cinturão da categoria.

Ryan Bader conecta direto de esquerda em Phil Davis (Foto: Esther Lin/MMAFighting)

Ambos compuseram o top 5 da categoria até 93kg do UFC, mas nunca conseguiram sequer disputar o cinturão da divisão, pois sempre batiam na trave. Entre o fim de 2013 e 2015 Bader viveu sua melhor fase na antiga casa, somou cinco vitórias seguidas, mas acabou trucidado pelo monstro aposentado Anthony Johnson e não recebeu a title shot. O “Mr Wonderful” em meados de 2012 estava invicto com 9-0 e só precisava vencer Rashad Evans, todavia, acabou sucumbindo e perdendo a oportunidade.

Na luta os dois se anularam mediante seus respectivos níveis de wrestling, mas o desafiante conseguiu ser mais eficiente na trocação, conectando os melhores golpes. Controlando o centro do cage com jabs e chutes no corpo, defendendo as quedas e impedindo o campeão de entrar em seu raio de ação, Ryan Bader (23-5) repetiu o feito do primeiro duelo e venceu Phil Davis (17-4) por decisão dividida (49×46, 47×48, 49×46).

Ryan Bader é o novo campeão dos meio-pesados do Bellator (Foto: EstherLin/MMAFighting)

Ryan Bader agora deve defender seu título contra o inglês Linton Vassell, que embora limitado, derrotou seus três últimos adversários com superioridade (Emanuel Newton, Francis Carmont e Liam McGeary).

Fique de olho!

Para mim o destaque secundário deste evento foi o jovem promissor dos peso-penas James Gallagher (7-0) que conseguiu uma bela finalização (mata-leão) sobre Chinzo Machida no primeiro assalto. O irlândes de 20 anos já pediu uma chance contra o campeão Patrício Pitbull, mas eu acho cedo, existem outros adversários mais duros com os quais ele precisa se testar antes de encarar um atleta de alto calibre como Patrício. O garoto tem potencial, como parceiro de treinos de Conor McGregor na SBG Ireland tem muito a aprender e evoluir.

 

Alexander Shlemenko ( Foto: Reprodução)

Nesta quinta-feira (01) o M-1 Global retornou a cidade de São Petersburgo, na Rússia, para promover o M-1 Challenge 79.

Na luta principal da noite, um duelo de ex-campeões do Bellator na divisão dos médios, o russo Alexander Shlemenko (56-9) encarou pela segunda vez o rival Brandon Halsey (9-3). O primeiro encontro entre os dois foi em 2014, Shlemenko era campeão e defendia o cinturão contra Halsey, na ocasião o americano se saiu melhor, conseguiu uma queda logo no início do combate, pegou as costas e finalizou com um mata-leão em apenas 35 segundos. Pouco mais de dois anos se passaram e eis que o destino os reservou um novo embate, agora em terras “soviéticas” e com um desfecho inverso.

O russo tratou logo de impor seu ritmo e partir para liquidar o combate, aplicou um potente chute nas costelas de Halsey fazendo-o sentir e em seguida foi para o ground and pound onde conectou diversos socos que levaram a interrupção do combate em meros 25 segundos. Shlemenko conseguiu se vingar com uma vitória em tempo mais rápido e apagar o revés sofrido em 2014. Com o triunfo ele emplaca sua quinta vitória consecutiva, a 31° por nocaute na carreira. Já Halsey amarga a terceira derrota seguida e vive a pior fase na carreira.

Confira os resultados completos do M-1 Challenge 79:

Alexander Shlemenko derrotou Brandon Halsey por nocaute técnico (ground and pound). 1° Round, 0:25
Sergey Romanov derrotou Arda Adas por nocaute técnico (lesão). 1° Round, 4:19
Alexey Makhno derrotou Michael Silva por decisão majoritária
Oleg Olenichev derrotou Enoc Solves Torres por decisão unânime
Dalgiev Khamzat derrotou Dragan Pešić por finalização (chave de calcanhar). 1° Round
Josh Rettinghouse derrotou Bakhityar Toychubaev por finalização (estrangulamento traseiro). Rodada 2, 4:31
Anton Vyazigin def. Yuri Protsenko por decisão unânime
unânime Bair Shtepin derrotou Ganhou Jun Jang por nocaute (socos). Rodada 3, 2:33
Dmitriy Mikutsa derrotou Dmitry Tebekin por decisão unânime
Nikolay Goncharov vs. Maxim Pugachev acabou em empate
Alexander Ostetrov derrotou Almog Shay por decisão unânime

Yoel Romero e Robert Whittaker se enfrentam no UFC 213 (Foto: Reprodução)

Com o cancelamento do combate entre Cody Garbrandt e TJ Dillashaw, que encabeçaria o card do UFC 213, o Ultimate foi rápido e anunciou um duelo à altura ou até superior a fim de manter a qualidade do evento. O duelo será o co-evento da noite e trará um embate entre os pesos-médios Yoel Romero e Robert Whittaker, que disputarão o cinturão interino da divisão até 84kg. A luta principal ficará por conta das mulheres, a campeã Amanda Nunes defenderá o título dos galos contra Valentina Shevchenko.

O confronto pelo cinturão interino foi estabelecido devido a uma lesão no joelho sofrida pelo atual campeão Michael Bisping, a qual está o impedindo de defender o título linear.

Aos 40 anos, o cubano Yoel Romero (13-1) enfim terá sua merecida chance pelo cinturão (embora não seja o definitivo). O ex-atleta olímpico está invicto no UFC com oito vitórias consecutivas, sendo as três últimas sobre Lyoto Machida, Ronaldo Jacaré e Chris Weidman. Após os seis meses de suspensão dados como punição pela USADA, em virtude de um falha nos exames realizados fora de competição, Romero retornou em novembro do ano passado com uma vitória arrasadora por nocaute após uma joelhada voadora sobre o ex-campeão Chris Weidman. O triunfo lhe rendeu o bônus de performance da noite e a promessa de que seria o próximo desafiante. A promessa foi parcialmente descumprida quando a organização anunciou o duelo entre Michael Bisping e Geroges St.Pierre pelo título da categoria, mas a lesão do campeão inglês e a longa preparação do canadense para seu retorno impediram a realização do confronto e trouxeram ironicamente “justiça” para aqueles que realmente mereciam.

O jovem neozelandês Robert Whittaker (18-4) vive seu momento de glória na carreira. São sete triunfos em sequencia e uma invencibilidade desde que subiu aos médios. Em sua última luta derrotou o brasileiro Ronaldo Jacaré por nocaute técnico no segundo round e colocou-se em posição favorável para postular uma disputa de cinturão. Na categoria até 84kg superou nomes como Uriah Hall, Rafael Natal e Derek Brunson. Atual número #4 do ranking e quatorze anos mais novo que o adversário, Whittaker vai em busca de fazer história e colocar seu nome no topo da categoria.

O UFC 213 ocorrerá no dia 08 de Jullho, na T-Mobile Arena, em Paradise Nevada. Confira o card até o momento:

Amanda Nunes (c) vs. Valetina Shevchenko – Luta válida pelo cinturão feminino dos galos
Yoel Romero vs. Robert Whittaker – Luta válida pelo cinturão interino dos médios
Robbie Lawler vs. Donald Cerrone
Fabricio Werdum vs. Alistair Overrem
Anthony Pettis vs. Jim Miller
Travis Browne vs. Oleksiy Oliynyk
Daniel Omielanczuk vs. Curtis Blaydes
Tiago Santos vs. Gerald Meerschaert

Michael Johnson e Justin Gaethje farão a luta principal do TUF 25 Finale (Foto: Reprodução)

O ex-campeão peso leve do WSOF, Justin “The Highlight” Gaethje (17-0) já tem data marcada para debutar na maior organização de Artes Marciais do Mundo. Será no dia 07 de julho, na luta principal da noite quando ele enfrentará o duríssimo Michael Johnson.

Invicto na carreira com 17 vitórias, Gaethje foi uma das principais aquisições do UFC no ano de 2017. O americano de 28 anos lutava pelo WSOF, onde foi detentor do cinturão dos leves e o defendeu por seis vezes seguidas com sucesso. Lutando profissionalmente no MMA desde 2011, o atleta natural de Safford, Arizona, nos Estados Unidos, soma 14 triunfos por nocaute/nocaute técnico no cartel, demonstrando assim sua trocação eficiente e perigosa.

Seu adversário será o também reconhecido pelas mãos pesadas e afiadas, Michael “The Menace” Johnson (17-11), que atualmente vem de derrota por finalização para Khabib Nurmagomedov no UFC 205. Número #6 do ranking oficial da categoria, Johnson detém o mesmo número de vitórias do oponente, sendo oito via nocaute e duas por finalização. Na carreira superou notáveis lutadores como Tony Ferguson, Joe Lauzon, Edson Barboza, Dustin Poirier, entre outros.

O duelo promete ser um show de luta em pé, ambos atletas são rápidos, resistentes, e precisos, precisam apenas de um golpe para acabar com a luta, sem dúvida será eletrizante.

O The Ultimate Fighter 25: Redemption Finale ocorrerá no dia 07 de Julho, na T-Mobile Arena, em Las Vegas. O evento contará com as finais do reality show comando nesta edição pelos rivais TJ Dillashaw e Cody Garbrandt.

Confira o card até o momento:

Michael Johnson vs. Justin Gaethje
Gray Maynar vs. Teruto Ishihara
Elias Theodorou vs. Brad Tavares
Jared Cannonier vs. Steve Bossé
Marc Diakiese vs. Drakkar Klose
Jordan Johnson vs. Marcel Fortuna
Angela Hill vs. Ashley Yoder
Ed Herman vs. CB Dollaway
Jessica Eye vs. Aspen Ladd

Andre Ward comemora vitória sobre o rival russo (Foto: Ethan Miller / Getty Images)

Andre Ward havia prometido que nesta revanche contra Sergei Kovalev sua superioridade seria demonstrada com bastante evidência e que não sucederiam controvérsias ou discussões quanto a isso, de fato ele cumpriu isto, pois conseguiu um nocaute técnico no oitavo round e manteve seus cinturões, no entanto, a polêmica insiste em permear o duelo entre os dois.

Sete meses após o primeiro encontro onde o americano saiu vitorioso em uma duvidosa decisão unânime a reedição do embate ocorreu e a principio parecia caminhar para um desfecho já conhecido. O russo começou impondo seu ritmo agressivo e intenso, enquanto “SOG” circulava buscando ajustar seu jogo e se encontrar na luta. No segundo assalto Kovalev seguiu trabalhando os jabs com sua rápida mão esquerda, Ward respondeu com alguns contragolpes e acabou sendo advertido pelo árbitro após um golpe baixo desferido posteriormente ao clinch muito disputado, é perceptível a animosidade entre os dois. Sergei continua em situação agradável conectando sequencias bem contundentes, ao passo que o americano aplica bons diretos, porém, ainda não consegue responder a altura. O quarto round parece ser um replay do anterior, “The Krusher” mantém seu poder incisivo com jabs, cruzados, uppercuts e fatura os quatro primeiro assaltos com certa facilidade.

Chegando ao quinto assalto o embate muda de cenário, Ward passa a equilibrar as ações e Kovalev não tem a mesma agilidade. A técnica do americano é primorosa, exibindo rapidez e precisão. A parti daí, embora o poder do russo seja evidentemente maior, o americano começou a ser superior com boas esquivas e alta habilidade para encontrar brechas.

Andre Ward celebra vitória logo após interrupção do árbitro Tony Weeks (Foto Getty Images)

Eis que inicia-se o oitavo assalto, após uma intensa trocação no começo Andre Ward conecta potente cruzado de direita e deixa o russo em situação instável, o americano vai em busca do fim, acelera o passo aplicando muitos golpes no corpo fazendo o russo recuar até encontrar as cordas para se defender mostrando visível cansaço e entrega, assim o árbitro resolver interromper decretando a vitória de Ward, mas o ex-campeão reclamou afirmando ter sido vítima de golpes ilegais e que este o teriam feito agachar.

De qualquer forma, a situação estava bastante difícil para Sergei Kovalev, não creio que ele conseguiria reverter este fim, a vitória de “SOG” era certa e os fãs puderam ter a certeza de que ele é realmente número um do mundo.

Aos 33 anos “Son of God”, como é conhecido Andre Ward (32-0)  coleciona uma invencibilidade de 32 lutas (16 nocautes) e após reinar absoluto nos super médios, agora ele derrota duas vezes o pugilista que aterrizou os meio-pesados e deve em breve tentar conquistar outra divisão acima. Seus próximos podem ser encarar o russo campeão interino da WBA Dmitry Bivol (11-0) ou o atual número um da IBF Artur Beterbiev (11-0), entretanto, Ward já foi desafiado para uma unificação com o campeão meio-pesado da WBC Adonis Stevenson (29-1)  e isto pode acontecer.

Jimi Manuwa enfrenta Volkan Oezdemir no UFC 214 (Foto: Reprodução/UFC Official)

Após a vitória sensacional por nocaute sobre Misha Circunov, o suiço Volkan Oezdemir pediu um combate contra Jimi Manuwa na conferência pós-luta do UFC Fight Night 109, sua petição foi concedida e agora os dois meio-pesados irão se enfrentar no UFC 214.

Volkan Oezdemir (14-1) nunca teve uma carreira gloriosa de muitos títulos ou vitórias sobre grandes nomes, debutou no UFC como substituo do polonês Jan Blachowicz para enfrentar Ovince St.Preux em Fevereiro de 2017 e saiu vitorioso em uma contestável decisão dividida, com uma apresentação bem decepcionante, resumindo, não impressionou. Porém, em sua última luta encarou o prospecto Misha Circunov e conseguiu um rápido nocaute com apenas 28 segundos do primeiro round, triunfo que despertou a atenção de todos que o colocavam como amplo azarão. O suiço de 27 anos agora vai para seu terceiro combate na organização, podendo ficar bem próximo de uma chance pelo cinturão em caso de vitória sobre Manuwa.

O inglês Jimi Manuwa (17-2), dez anos mais velho que o oponente, vem de duas excelentes vitórias por nocaute sobre Ovince St.Preux e Corey Anderson. Reconhecido pelo bom nível técnico no boxe Manuwa soma 15 vitórias por nocautes dos 17 triunfos na carreira. Ele vinha sendo cotado como próximo desafiante para encarar o campeão Daniel Cormier, mas o Ultimate anunciou a revanche entre DC e Jones para o UFC 214 e o britânico teve de procurar um novo adversário.

O vencedor do confronto pode ir direto para uma disputa pelo cinturão contra DC ou Jones, mas disputará este posto contra Alexander Gustafsson que superou o brasileiro Glover Teixeira com uma performance impecável no UFC Suécia ocorrido no último final de semana.

O UFC 214 ocorrerá no dia 29 de Julho, no Honda Center em Anaheim, California, EUA. Confira o card completo do evento até o momento:

  • Daniel Cormier (c) vs. Jon Jones – Duelo válido pelo título dos meio-pesados
  • Jimi Manuwa vs. Volkan Oezdemir
  • Ricardo Lamas vs Chan Sung Jung
  • Dooho Choi vs Andre Fili
  • Aljamain Sterling vs Renan Barao
  • Brian Ortega vs. Renato Moicano
  • Sage Northcutt vs. Claudio Puelles
  • Alexandra Albu vs. Kailin Curran
  • Josh Burkman vs. Drew Dober
  • Dmitrii Smoliakov vs. Adam Wieczorkowski
  • Jarred Brooks vs Eric Shelton
Rory MacDonald encaixa mata-leão em Paul Daley (Foto: Reprodução)

Nesta sexta-feira (19) foi realizado o Bellator 179, o evento ocorreu na Wembley Arena, em Londres, Inglaterra.

A organização promoveu na luta principal um duelo entre Rory MacDonald e Paul Daley válido pela divisão dos meio-médios. O canadense MacDonald, ex-lutador do UFC, não teve muito trabalho para dominar o round inicial e vencer o britânico Daley por finalização no segundo round.

Aos 27 anos de idade, Rory “The Red King” MacDonald (19-4) soma sua sétima vitória por finalização na carreira, se recupera dos dois reveses sofridos no Ultimate e estreia com ótima performance na nova casa. Com o triunfo, MacDonald fica na posição de próximo desafiante ao cinturão dos meio-médios do Bellator e agora deve apenas aguardar o vencedor do combate entre o campeão Douglas Lima e o desafiante, também ex-UFC, Lorenz Larkin, que ocorrerá no dia 24 de Junho, no Madison Square Garden, em Nova York.

Na penúltima luta do card tivemos um embate pelos meio-pesados. O inglês Linton Vassell (18-5) venceu o ex-campeão da categoria Liam McGeary por finalização no terceiro round com um katagatame. Embora tenha tido dificuldades na luta em pé, Vassell pôde se sobressair no chão, demonstrando seu ótimo wrestling e eficiente Jiu-Jitsu para triunfar no combate. Linton “The Swarm” Vassell emplacou sua terceira vitória seguida derrotando Emanuel Newton, Francis Carmont e agora Liam McGeary, o ótimo retrospecto deve lhe render agora uma oportunidade pelo cinturão que será disputado entre Phil Davis e Ryan Bader no Bellator 180.

Outro combate importante do evento foi um embate nos pesos pesados entre Cheick Kongo e Augusto Sakai. O francês de 42 anos saiu vitorioso por decisão dividida e somou seu quinto triunfo consecutivo (Alexander Volkov, Vinicius Queiroz, Tony Johnson, Oli Thompson e Augusto Sakai), por outro lado ele impôs a primeira derrota ao brasileiro Sakai na carreira. A sequencia de vitórias coloca Cheick Kongo (27-10) em situação favorável para pleitear o título da divisão, que atualmente encontra-se vago.

Confira os resultados completos do Bellator 179: MacDonald vs. Daley:

Card Principal:

Rory MacDonald derrotou Paul Daley por finalização com um mata-leão a 1m:45s do segundo round;

Linton Vassell derrotou Liam McGeary por finalização com um katagatame aos 2m:28s do terceiro round;

Cheick Kongo derrotou Augusto Sakai por decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29, 29-28);

Baby Slice derrotou DJ Griffin por nocaute técnico (socos) aos 3m:37s do primeiro round;

Alex Lohore derrotou Dan Edwards por nocaute técnico (socos) aos 0m:56s do segundo round;

Card Preliminar:

Stav Economou derrotou Dan Konecke por finalização com uma guilhotina a 1m:05s do primeiro round,

Amir Albzazi derrotou Jamie Powell por decisão unânime dos juízes  (30-25, 30-26, 30-26);

Nathan Jones derrotou Umer Kayani por finalização com um mata-leão aos 4m:35s do primeiro round;

Fabian Edwards derrotou Rafael Cejrowski por nocaute (joelhada voadora) aos 3m:44s do primeiro round;

Jeremy Petley derrotou Chase Morton por decisão unânime dos juízes (29-28, 30-27, 30-26);

Mike Shipman derrotou Marcin Protsko por nocaute técnico (joelhadas) no primeiro round;

Swalih Kulucan derrotou Diego Barbosa por finalização com um leglock) aos 2m:18s do primeiro round.

 

 

 

Rashad Evans e Sam Alvey se enfrentam pela divisão dos médios ( Foto: Reprodução)

A edição de número 114 do UFC Fight Night que marca o retorno da organização a cidade do México teve a inclusão de mais uma luta o seu card. Um confronto válido pela categoria dos médios entre Rashad Evans e Sam Alvey.

O ex-campeão dos meio-pesados do UFC Rasha Evans (19-6-1) não vive bom momento, atualmente são três derrotas seguidas para Ryan Bader, Glover Teixera e Daniel Kelly. Embora tenha sido superado em seu último compromisso quando desceu para os médios e foi derrotado por Daniel Kelly via decisão dividida, “Suga” para ter convicção de que este é seu lugar e fará mais um combate neste peso. O período de lesões que o afastou do octógono de novembro de 2013 até outubro de 2015 parece ter afetado bastante sua performance e aos 37 anos o americano aparenta estar próximo da aposentadoria.

Sam “Smile´n” Alvey (30-9) foi derrotado em sua luta mais recente pelo brasileiro Thales Leites por decisão unânime e teve sua sequencia de quatro triunfos interrompida, sendo assim, ele busca agora reabilitação pra voltar as veredas da vitória. No UFC são 11 combates com sete vitórias e quatro derrotas.

O UFC Fight Night 114 ocorrerá no dia 05 de Agosto, na Cidade do México, México.

Confira o card até o momento:
Sergio Pettis vs. Brandon Moreno
Rashad Evans vs. Sam Alvey
Diego Rivas vs. Jose Quiñones
Dustin Ortiz vs. Hector Sandoval
Martín Bravo vs. Chris Gruetzemacher

Ricardo Lamas enfrenta Chan Sung Jung no UFC 214 (Foto: Reprodução)

O Ultimate anunciou um duelo de alto calibre pelos pesos-penas que irá compor o card do UFC em Anaheim, California. Trata-se de um confronto entre Ricardo Lamas e Chan Sung Jung, atuais número #3 e #5 do ranking oficial da divisão, respectivamente.

O americano Ricardo “The Bully” Lamas (17-5) já disputou o cinturão da divisão até 66kg contra José Aldo em 2014 pelo UFC 169, mas acabou derrotado por decisão unânime, após a derrota ele realizou seis combates, conseguindo quatro vitórias e duas derrotas. Em sua última luta derrotou o brasileiro Charles Oliveira via finalização (guilhotina), triunfo que lhe rendeu o prêmio de Performance da Noite. Uma boa vitória sobre Sung Jung pode colocá-lo bem próximo de outra oportunidade pelo título.

O sul-coreano Chan Sung Jung (14-4), conhecido como Zumbi Coreano pela incrível resiliência e resistência em suas lutas, retornou ao octógono do UFC após mais de três anos parado, mais precisamente em fevereiro de 2017 contra Dennis Bermudez. Devido ao tempo inativo, muitos pensavam que Sung Jung fosse sofrer algum tipo de desgaste físico e que isso poderia atrapalhar sua performance, porém o que se viu foi uma vitória brutal por nocaute ainda no primeiro round, coroando o retorno triunfal. Chan Sung vai em busca de sua segunda vitória consecutiva, ele que também já foi derrotado pelo campeão José Aldo em 2013 por nocaute técnico.

O UFC 214 será realizado no dia 09 de julho, no Honda Center, em Anaheim, Califórnia. Confira o card até o momento:

UFC 214:
Daniel Cormier © vs. Jon Jones
Doo Hoi Choi vs. Andre Fili
Jarred Brooks vs. Eric Shelton
Ricardo Lamas vs. Chang Sung Jung

 

Amanda Nunes e Valentina Shevchenko na encarada do primeiro encontro (Foto: Reprodução)

Após confirmar o retorno de Jon Jones contra o campeão Daniel Cormier no UFC 214, o Ultimate oficializou o confronto entre Amanda Nunes e Valentina Shevchenko no UFC 213, válido pelo cinturão dos galos feminino.

A baiana de 28 anos Amanda Nunes (14-4), atual detentora do título feminino dos galos, vive excelente fase em sua carreira e irá para sua segunda defesa de cinturão em Julho, quando irá reencontrar a rival Valentina Shevchenko. As duas se enfrentaram em março de 2016 e a brasileira saiu vitoriosa por decisão unânime após um combate muito intenso. Amanda vinha de vitórias sobre Shayna Baszler e Sara McMann, enquanto Valentina estava invicta há cinco lutas. “The Lioness” ou “A leoa” usou bastante os contragolpes e socos retos, além de chutes e ground and pound para vencer o combate e se credenciar como nova desafiante ao cinturão. Em seguida encarou a então campeã Miesha Tate e a finalizou no primeiro round, conquistando o título da categoria. No seu último compromisso derrotou a ex-campeã Ronda Rousey por nocaute em poucos segundos do round inicial e manteve a cinta pela primeira vez.

Embora tenha perdido a luta no primeiro encontro, Valentina Shevchenko (14-2) demonstrou muita resiliência e não se entregou em momento algum, tendo até vencido o terceiro round utilizando seu jogo de quedas e pressão no solo. Oriunda do Kickboxing e Muay Thai, Valentina tem estas como suas melhores armas e é reconhecida pelo ótimo jogo em pé, entretanto, contra a brasileira ela terá que ser mais agressiva e se impor na luta, algo que não aconteceu quando se encontraram no ano passado. Posteriormente ao revés para Amanda, a russa se recuperou vencendo Holly Holm com superioridade e finalizando Julianna Peña. Os dois triunfos lhe renderam uma oportunidade pelo título da divisão e ela agora terá a chance de se redimir, vingar a derrota e arrematar o ouro da adversária.

Uma revanche sensata e coerente, com fundamento e méritos para ambas. Um duelo que precisa ocorrer novamente, desta vez com uma recompensa maior além da vitória, o símbolo da conquista e soberania, que terá um alto valor para aquela que sair com o braço erguido.

O UFC 213 acontecerá no dia 08 de Julho, na T-Mobile Arena, em Las Vegas. Confira o card até o momento:

Cody Garbrandt (c) vs. TJ Dillashaw – Luta válida pelo título dos galos masculino
Amanda Nunes (c) vs. Valentina Shevchenko – Luta válida pelo título dos galos feminino
Robbie Lawler vs. Donald Cerrone
Fabricio Werdum vs. Alistair Overrem
Anthony Pettis vs. Jim Miller
Travis Browne vs. Oleksiy Oliynyk
Daniel Omielanczuk vs. Curtis Blaydes
Thiago Santos vs. Gerald Meerschaert

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs