Autor: Paulo Filho

Estudante de Direito. 20 anos. Mossoró-RN. Apaixonado pelo MMA e dedicado ao jornalismo esportivo desde 2012. "Um espírito nobre, engrandece o menor dos homens" (Jebediah Obadiah Springfield)
Confira todos os salários do UFC 226

No último sábado (7), o Ultimate foi até Las Vegas para mais uma história edição da maior organização de MMA do mundo.  Como de praxe, dias após o evento, é divulgada a folha de pagamento dos atletas. Aqui não foi diferente, já restando disponível todos os salários do UFC 226.

O card recheado de estrelas, em sua luta principal, contou com uma super luta entre os campeões Stipe Miocic contra Daniel Cormier. Foi justamente daqui, que sairam as duas maiores bolsas de pagamento da noite.  Dentre todos os salários do UFC 226, Stipe Miocic mesmo derrotado, teve o pagamento mais elevado, seguido do novo campeão dos pesados, Daniel Cormier.

Leia mais
Confira todos os resultados do UFC 226
Confira todos os salários do UFC 225
Confira todos os salários do UFC 224

Miocic faturou US$ 790.000 (setecentos e noventa mil dólares). Se convertida em Real, a quantia gira em torno de R$ 3.050.000 (três milhões e cinquenta mil reais). Enquanto isso, o novo campeão, Daniel Cormier, embolsou US$ 590.000 (quinhentos e noventa mil dólares). Em nossa moeda, o pagamento de Cormier é em torno de R$ 2.278.000 (dois milhões, duzentos e setenta e oito mil reais).

A terceira maior bolsa da noite foi para Anthony Pettis, que recebeu US$ 346.400 (trezentos e quarenta e seis mil e quatrocentos dólares). O brasileiro Paulo Borrachinha também recebeu uma quantia generosa de US$ 164.000. Ambos os lutadores, junto com Daniel Cormier e Khalil Rountree receberam bônus de U$ 50.000 (cinquenta mil dólares).

 

Todos os salários do UFC 226

CARD PRINCIPAL

Stipe Miocic: US$ 790.000
Daniel Cormier: US$ 590.000

Francis Ngannou: US$ 105.000
Derrick Lewis: US$270.000

Mike Perry: US$ 85.000
Paul Felder: US$ 51.000

Michael Chiesa: US$ 38.600
Anthony Pettis: US$ 346.400

Gokhan Saki: US$ 88.500
Khalil Rountree: US$ 93.000

CARD PRELIMINAR

Paulo Borrachinha: US$ 164.000
Uriah Hall: US$ 58.000

Raphael Assunção: US$ 145.000
Rob Font: US$ 38.000

Gilbert Durinho: US$ 36.000
Dan Hooker: US$ 65.000

Max Griffin: US$ 25.000
Curtis Millender: US$ 33.000

Lando Vannata: US$ 30.000
Drakkar Klose: US$ 48.000

Jamie Moyle: US$ 15.500
Emily Whitmire: US$ 25.000

Foto: Christian Petersen/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Wanderlei Silva revela quanto irá receber para enfrentar Rampage no Bellator

O retorno do brasileiro Wanderlei Silva está confirmado. O brasileiro anunciou em uma rede social nesta quarta-feira (20), um duelo contra o americano Quinton Rampage Jackson no Bellator para o dia 29 de setembro, em San José, na Califórnia nos Estados Unidos. A organização ainda não confirmou em qual edição acontecerá o confronto.

— Como dizem, é muito difícil um bom profissional se aposentar. Acabei de receber uma ligação do Bellator me convidando para participar no dia 29 de setembro do “main event” contra o Quinton Jackson, na Califórnia. É nosso quarto combate, nas três primeiras “lutas” ganhei duas e perdi uma, então está 2 a 1 para mim relatou Wanderlei Silva.

Leia também
Confira todos os salários do UFC 225
Confira todos os salários do UFC 224
Confira todos os salários do UFC 223

Mesmo o veterano estando numa fase longe do ápice da carreira, ainda é nome de peso no cenário mundial. Em entrevista para o portal ‘Ag.Fight‘, o ‘Cachorro Louco’ revelou qual seria a sua bolsa para retornar ao Bellator MMA.

— Para essa luta, eu tenho um milhão de motivos. Eu recebi uma proposta de US$ 1 milhão para lutar contra o Quinton Jackson. Então, é um baita motivo para acordar cedo, fazer tudo o que tem que fazer. Eu, graças a Deus, estou numa situação financeira muito boa, mas a gente não pode negar US$ 1 milhão. E principalmente para brigar. Eu gosto da briga. Eu gosto do desafio. E está me fazendo muito bem. Estou muito feliz de estar participando de um evento tão grande assim e, principalmente, com uma bolsa tão boa. – Garantiu Wanderlei Silva.

Com a cotação atual do Dólar, se convertido para nossa moeda, a bolsa do ‘Cachorro Louco’ é cerca de R$ 3.750.000 (três milhões, setecentos e cinquenta mil reais).

Carreira de Wanderlei Silva

Aos 41 anos de idade, Wanderlei Silva segue para mais um grande desafio na carreira. Sua última luta foi há um ano atrás, onde perdeu para Chael Sonnen por decisão unânime. Como lutador profissional de MMA, o ‘Cachorro Louco’ tem 50 combates. Dessas, saiu como vencedor em 35 oportunidades, perdeu 13, empatou uma e um ‘no contest’.

Foto: Josh Hedges/UFC

Amanda Nunes sinaliza para lutar contra Holly Holm e Cris Cyborg critica a 'Leoa'

No último sábado (09), houve o UFC 225 em Chicago, lá nos Estados Unidos. Uma das lutas principais da noite foi a batalha entre Holly Holm contra Megan Anderson, tendo Holm vencido. Agora, a Amanda Nunes está no radar da americana e, essa luta pode estar prestes a acontecer.

Após a sua vitória, Holly Holm cavou o seu credenciamento ao cinturão, dizendo que irá voltar para a divisão e que vai buscar o cinturão. Amanda Nunes, que estava acompanhando, e respondeu a declaração da filha do Pastor. Foi por meio das redes sociais que a ‘Leoa’ aceitou lutar contra a americana.

— Vamos fazer isso, Holly. – Disse a brasileira.

A Cris Cyborg, campeã do peso pena, não gostou nada da Amanda Nunes ter topado lutar contra Holly Holm. Em comunicado divulgado pelo portal ‘Ag.Fight‘, a Cyborg criticou a ‘Leoa’.

A principal indagação da Cyborg foi a Amanda ter fugido de um combate contra ela. Há um tempo a baiana declarou querer enfrentar a curitibana e isso despertou muito interesse de Dana White. Porém, o desenrolar das negociações não cominou com o casamento da luta. Mas, segundo Cyborg, ela pediu para que esse combate fosse realizado e, Amanda declarou estar lesionada.

A lesão de Amanda Nunes foi o pivô para a crítica da compatriota, afinal, como estar lesionada para enfrentar Cyborg e aceitar lutar contra a Holly Holm ?

Quando eu venci Holly Holm, ano passado, eu pedi uma luta contra Amanda no UFC 226, depois de ela ter me desafiado. Eu escolhi uma data longe o suficiente para que ela ficasse pronta para uma nova categoria e para a luta ser promovida apropriadamente, a fim de que não houvesse desculpas. Infelizmente, não sou a matchmaker, e Amanda lutou contra Pennington no Brasil em vez de dar aos fãs a superluta neste verão.

Agora, ela está alegando estar lesionada após a vitória dela, mas acho engraçado: depois de Holm tê-la desafiado, ela ficou magicamente saudável de novo. Essa situação toda me lembra Germaine de Randamie com a mão ano passado – disparou Cris Cyborg.

Carreira de Amanda Nunes, Holly Holm e Cris Cyborg

Aos 30 anos de idade, Amanda Nunes vive a sua melhor fase da carreira nesse momento. A ‘Leoa’ vem de sete vitória consecutivas e, se sagrou campe~dos galos quando venceu Miesha Tate no UFC 200. Como lutadora profissional de MMA, já fez 20 combates, tendo com saído como vencedora em 16 vezes e amargado 4 revezes. Amanda não saber o que é perder desde 2014.

Enquanto isso, Holly Holm não vive um mar de rosas na carreira, aos 36 anos. Das últimas seis lutas, Holm venceu apenas duas, mas ainda assim é nome de peso dentro do Ultimate. Como atleta profissional de MMA fez 16 combates, saiu como vencedora em 12 desses, e perdeu outras 4 lutas.

Por último, mas não menos importante, vem Cris Cyborg. A curitibana de 32 anos é apontada por muitos como a maior atleta feminina de todos os tempos. Cris Cyborg não sabe o que é perder desde a sua estreia em 2005. Das suas 22 lutas, Cris venceu 20, perdeu uma (como dito) e uma luta foi sem resultado.

Foto: Buda Mendes/Zuffa LLC/Zuffa LLC

Robert Whittaker vence Yoel Romero por decisão dividida

O UFC realizou a sua edição de número 225 em Chicago, nos Estados Unidos da America. A luta principal, entre Robert Whittaker contra Yoel Romero deveria valer o cinturão dos médios, mas o cubano não bateu o peso. Mesmo sem o prestígio de uma disputa de cinturão, o combate foi mantido como principal da noite.

A luta começou estudada por ambos. Robert Whittaker foi quem começou a tomar iniciativa para o combate, enquanto o cubano pouco se mexia. Whittaker conectava seus jabs e/ou chutes baixos e saia, somando pontos, mas sem sequência. Com quase dois minutos de luta, foi que Yoel Romero soltou seu primeiro soco, mas nada muito efetivo. O campeão abriu larga vantagens com potentes chutes no joelho de seu adversário, combinado com socos curtos. Com isso, levou facilmente o primeiro round.

Leia também
[VÍDEO] Colby Covington vence Rafael dos Anjos e se torna campeão
Conor McGregor fica acima de Neymar em lista dos atletas mais bem pagos do mundo
Georges St-Pierre atesta facilidade em se dopar no MMA atualmente

Yoel Romero voltou mais ativo para o combate, e a trocação melhorou com o Whittaker. Os pisões no joelho e os chutes na linha de cintura, fizeram o campeão abrir nova boa vantagem para vencer o round. O cubano esboçava reação, mas o volume de golpes e a efetividade de Robert Whittaker era superior a de seu adversário.

O cubano seguiu acelerando o seu volume de jogo de acordo com o decorrer da luta. Inicialmente acusou dois pisões no joelho desferidos por Robert Whittaker, mas em um golpe de encontro, Yoel Romero conseguiu desnortear o campeão, que foi ao solo. Whittaker voltou de pé logo em seguinda, mas teve que sobreviver a caçada do cubano, que não o deu sossego no restante do round. Romero encurralou o campeão na grade e deu início a uma verdadeiro descarrego sobre o neozelandês. Com essa performance que levantou o publico do UFC 225, o cubano faturou o seu primeiro round.

Vídeos da luta entre Yoel Romero e Robert Whittaker

O quarto round deu-se início com mais cautela para ambos os lados. Robert Whittaker novamente esboçava mais volume de jogo que seu adversário e pontuava com pisões no joelho e chutes na linha de cintura. A luta foi interrompida após um chute baixo do campeão no cubano.  No retorno o Whittaker emplacou uma sequência de jabs e um chute alto.  Nos últimos segundos, o Romero conseguiu desnortear o campeão novamente, mas não o suficiente para interferir no resultado do round. Whittaker  venceu mais um round.

O quinto e último round voltou mais frenético e o Yoel Romero voltou mais solto novamente, mas o Whittaker  levou a melhor no início do round. Mas uma bomba de direita do cubano entrou novamente e Whittaker  foi para o solo novamente desnorteado. Vendo a oportunidade, Romero foi com tudo para cima com seus duros socos por cima. O campeão tentava a todo custo levantar, mas o cubano o derrubava e o golpeava pelas costas. A luta foi reconduzida para o centro do octógono nos últimos segundos, mas não houve tempo para mais nada.

Vídeo da luta entre Yoel Romero e Robert Whittaker

A luta foi ao fim, e na decisão das soma das papeletas dos árbitros laterais, foi anunciado a vitória de Robert Whittaker por decisão dividida.

Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Nação Cyborg lança card completo para segunda edição do evento

Faltando 25 dias para a segunda edição do Nação Cyborg, a produção do evento lança o card completo, já com a lutas preliminares praticamente definidas. A nova geração de atletas de Kickboxing e MMA está pronta para responder em cima do ringue e de quebra impressionar a campeã do UFC Cris Cyborg que estará presente no Ginásio Polentão, na cidade de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, no dia 28 de julho.

Nomes que vem se destacando no cenário amador de lutas no estado do Paraná estão confirmados, como Alisson Murilo, Matheus Correia e Wellington Cândido. Em um dos combates de No Gi, o presidente do Brave Combat Federation no Brasil, Gustavo Firmino, encara Leandro Santos, da Checkmatt. O atual campeão e dono do cinturão do Brave CF, Klidson Abreu, mede forças frente a Everson Macaco em duelo de Jiu Jitsu.

Leia também
Junior Cigano declara temer a USADA
Aspera FC anuncia expansão na Ásia e retorno ao Brasil

Mudança no combate principal do Nação Cyborg

O atleta da região de Campo Largo, Kerrison Leal “Baby” tem um novo oponente para a luta principal do Nação Cyborg. Trata-se de José Rodrigo Guelke, de Ponta Grossa, região dos Campos Gerais no estado do Paraná.

Os ingressos serão vendidos a 20 reais (arquibancada) e 50 reais (área vip).

Nação Cyborg 2
Sábado, dia 28 de julho de 2018
Local: Ginásio do Polentão – Campo Largo – PR

Nação Cyborg: CARD PRELIMINAR
Nação Cyborg: BOXE AMADOR:

93 Kg: Lucas Amaral (TRM/Fight Only) vs. Rafael Ferreira (Chute Boxe)

Nação Cyborg: KICKBOXING AMADOR

48 Kg: Gabriela “Gabs”(ABMT) vs. Mariana Campos (Team Sagat)
52 Kg: Sarah Barwik (Área VIP) vs. Tais Silva (Atman Fight College)
52 Kg: Paula Abreu (SB Fight Team) vs. Rafa Moraes (Nova Geração)
55 Kg: Thays “Avatar” (Chute Boxe) vs. Maria Heloisa (MM Fight Team)
55 Kg: Ericles Aires (Grupo Nocaute) vs. Flavio Oliveira (Nova Geração)
57 Kg: Bruno “Maranhão”(Teixeira Team) vs. Vinícius Zanetti (ABMT)
80 Kg: Leonardo Antunes (Sport Thai) vs. A definir
61 Kg: Gabriel Edison (Madeira Boxe) vs. Luiz Felipe (Killer Bees)
61 Kg: Ana Julia (Chute Boxe) vs. Diana Cipola (Paraná Vale Tudo)
63 Kg: Wellington “Neguinho” (The Rock/CB) vs. Eduardo Budnik (Killer Bees)
70 Kg: Luiz Henrique (Muay Thai Brasil) vs. Clayton Dias (Killer Bees)

Nação Cyborg: MMA AMADOR:

66 Kg: Fábio Andrade (SB Fight Team) vs. A definir
70 Kg: Derick Salles (Evolução Thai) vs. A definir
57 Kg: Matheus Correa (LA Sport) vs. David deruk (Thai Brasil)
57 Kg: Vinicius Santana (Killer Bees) vs. Welligton Cândido (Equipe Motta)
61 Kg: Alisson Murilo (Chute Boxe) vs. Nathan Maia (Pro Ação)

Nação Cyborg: NO GI:

80 Kg: Gustavo Firmino (10TH Planet) vs. Leandro Santos (Checkmat)
120 Kg: Alex “Coruja”(Checkmat) vs. Marcos “Shaolin” (King Shark)

Nação Cyborg: JIU JITSU:
120 Kg: Everson “Macaco” (N’1 Chute Boxe) vs. Klidson de Abreu (Gracie Barra/L.A
Sport)
Nação Cyborg: CARD PRINCIPAL
Nação Cyborg: KICKBOXING PROFISSIONAL:

52 Kg: Lucineli Wolski (Nova Geração) vs. Clades “Tempestade”(Força Thai)
66 Kg: Carlos “Sr Fantástico” (Rasthai) vs. Emanoel Vieira (Chute Boxe)
77 Kg: Leonardo Silva (Santa Fé Team) vs. Marco Aurélio (Teixeira Team)
66 Kg: Sergio Bernardo (Strikers House) vs. Daniel “Direto” (Killer Bees)

Nação Cyborg: MMA PROFISSIONAL:

70 Kg: Luiz Gustavo (OCS) vs. Wisley “Torto” (The Rock)
70 Kg: Alan Francis (CM system) vs. A definir
66 Kg: Laertes de Paula (Thai Extreme) vs. Alan “Rush” (King Shark)
57 Kg: Rodrigo “Caiçara” (Mangueboy) vs. Silas Alves (Thai Brasil)
120 Kg: Kerisson “Baby”(ABMT/Checkmat) vs. Jose Rodrigo Guelke (Kadosh MMA)

Confira todos os resultados do Favela Kombat 29

A 29ª edição do Favela Kombat cumpriu a promessa de agitar o bairro de Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O evento contou com casa cheia e o público que compareceu no último sábado (16) ao Centro Esportivo Miécimo da Silva foi premiado com grandes duelos no evento que coroou Diego Magrinho, Karoline Rosa e Alberto Pantoja como campeões.

Na luta principal da noite estava em jogo o cinturão peso-galo (até 61kg), onde Henrique Souza fazia sua primeira defesa de título contra Diego Magrinho, que já havia se sagrado campeão do Favela Kombat e estava em busca da cinta perdida. O confronto tinha um grande apelo e era bastante esperado, pois os dois lutadores e se provocaram bastante antes do duelo. O combate começou bastante estudado até o primeiro minuto quando Henrique foi para cima, mas o campeão foi surpreendido com um soco no contragolpe e sofreu um knockdown. Com o adversário no chão, Magrinho aproveitou o bom momento para usar seu afiado Jiu-Jitsu e encaixar uma bela guilhotina dando números finais ao confronto.

“Foi uma luta muito dura, o Henrique é um campeão nota 1000, mas hoje o dia foi melhor para mim. Eu provoquei ele, mas faz parte de tudo que envolve uma luta de MMA, mas eu o respeito. Gostei muito da luta, estou muito feliz e graças a Deus trabalhamos muito para essa vitória. Eu sabia que ele vinha para cima, então esperei o momento certo para colocar a mão e graças a Deus entrou o golpe e consegui conquistar esse título, sou um campeão eterno”, disse Diego Magrinho.

Leia também:
Wanderlei Silva confirma luta contra Rampage Jackson no Bellator
Erick Silva assina com LFA e tem estreia confirmada para julho
Confira todos os salários do UFC 225

Karoline Rosa vence Tamara Leorde e se sagra campeã

No único combate feminino da noite estava em jogo o título do peso-pena (até 66kg), mas apenas Karoline Rosa poderia levar o cinturão para casa já que Tamara Leorde não bateu o peso. Mesmo sabendo que não podia conquistar o título, Tamara entrou disposta a não deixar a atleta da PRVT se sagrar campeã, mas Karoline não deu chances e dominou o confronto aplicando fortes golpes na adversária.

O castigo era tanto que Tamara Leorde ficou bastante ferida e no intervalo do segundo para o terceiro round os médicos avaliaram a atleta, mas a liberaram para continuar. De volta ao confronto, Karoline Rosa manteve a pressão e colocou a adversária para baixo. Por cima, a atleta da PRVT aplicou fortes cotoveladas até o árbitro Flávio Almendra interromper a luta que sagrou a Karoline como a nova campeã peso-pena do Favela Kombat.

“Minha estratégia era sair na porrada mesmo e acabei conseguindo o nocaute no terceiro round e estou muito feliz. Vim preparada para um combate duro na trocação, treinei bastante e acabou rolando o nocaute. Estou pronta para a próxima é só marcar, quem quiser tirar esse cinturão de mim vai ter que treinar bastante”, disse.

Alberto Pantoja vence Clodoaldo Souza e mantém cinturão

Na primeira disputa de cinturão da noite, Alberto Pantoja colocava em jogo seu título pela terceira vez e teve pela frente Clodoaldo Souza. Os dois atletas travaram um duelo bastante equilibrado e no final Pantoja levou a melhor por decisão dividida. O atleta da Arena Champs já tem adversário definido para sua próxima defesa. O campeão peso-pena terá pela frente Jefferson Braga que se credenciou para disputar o cinturão ao nocautear Eduardo Terremoto também no Favela Kombat 29.

“Graças a Deus ele me abençoou com essa grande vitória em mais uma defesa. Foi uma luta muito dura, eu vim com uma estratégia montada, mas em cima da hora meus treinadores mudaram a estratégia, pois eles viram que não ia conseguir levar do jeito que a gente pensou, mas graças a Deus ele abençoou e a gente conseguiu sair vitorioso em mais uma defesa. Mais uma vitória para a minha equipe, a Arena Champs. Estou cada vez mais evoluindo e quem vier tentar tirar o cinturão de mim, tem que vir bem forte e preparado, porque eu não quero deixar esse cinturão para ninguém, quero continuar com ele até a minha aposentadoria e quero fazer história no Favela”, disse.

Além das disputas de cinturão, o Favela Kombat 29 também contou com mais 10 lutas, sendo sete de MMA e três de Muay Thai que também agitou o público com um show de nocautes e finalizações. Os destaques da noite foram Ramatis Bastos e Reinaldo Mudo que precisaram de menos de um minuto para resolver seus combates. Ramatis finalizou Bruno Favela em 54 segundos. Mudo foi mais rápido ainda e nocauteou Alex Oliveira em apenas 48 segundos.

Os outros nocautes da noite vieram com Alexandre Vieira sobre Vladmir Garcia, Aldo Pereira sobre Maicon Bomba e Jefferson Braga sobre Eduardo Terremoto.

O Favela Kombat é presidido por Claudinho FK, que em uma palavra resumiu o show do final de semana, “Sensacional!!!”.

Confira os resultados do Favela Kombat 29

Disputas de cinturão do Favela Kombat 29

Até 61kg – Diego Magrinho (Team Base) venceu Henrique Souza (WST/Vitall Thai Team) por finalização (guilhotina) aos 2:10 do 1o. round – Árbitro: Leonardo Marques

Até 66kg – Karoline Rosa (PRVT) venceu Tamara Leorde (WTF) por nocaute técnico (interrupção) aos 2:18 do 3o. round – Árbitro: Flávio Almendra

Até 66kg – Alberto Pantoja (Arena Champs/Nova União) venceu Clodoaldo Souza (Team Nogueira) por decisão dividida – Árbitro: Julian Fabrin

CARD PRINCIPAL do Favela Kombat 29

Até 88kg – Alexandre Vieira (Team Doutrinador) venceu Vladmir Garcia (Team Base/Miécimo) por nocaute técnico (socos) aos 1:10 do 1o. round (peso combinado) – Árbitro: Luiz Aymoré

Até 70kg – Aldo Pereira (Brothers MMA) venceu Maicon Bomba (Team Nogueira) nocaute técnico (socos) aos 4:20 do 2o. round – Árbitro: Flávio Almendra

Até 93kg – Wanderson Samurai (SST/Team Base) venceu Paulo Boyko (GFTeam) por decisão unânime – Árbitro: Leonardo Marques

Até 70kg – Reinaldo Mudo (RMT) venceu Alex Oliveira (WCT) por nocaute técnico (socos) aos 00:48 do 1o. round – Árbitro: Julian Fabrin

Até 66kg – Jefferson Braga (Club Fight Sports/BFT) venceu Eduardo Terremoto (Terremoto MMA) por nocaute técnico (socos) aos 4:31 do 1o. round – Árbitro: Flávio Almendra

Até 70kg – Ramatis Bastos (Bombardeio Fight/Caçadores) venceu Bruno Favela (Nael Pedra Team) por finalização (mata-leão) aos 00:54 do 1o. round – Árbitro: Luiz Aymoré

Até 70kg – Wanderson Gago (Team Base) venceu Jonas Amorim (Team Barreto MMA) por decisão unânime – Árbitro: Julian abrin

MUAY THAI do Favela Kombat 29

Até 80kg – Roberto Bayer (Club Fight Sports) venceu Matheus Obeso (Avera Team) por decisão unânime

Até 60kg – Marco Antônio Mosquito (Mosquito Fight Team) venceu Francisco Dbranco (Beto Padilha Team) por decisão unânime

Até 78kg – Warlon Araújo (Club Fight Sports) venceu Sérgio Augusto (Metanoia Team) por desistência

Foto: Renato Nogueira/FotoNaLuta

Brasileiros e o cinturão do UFC, onde estão nossas chances ?

A derrota de Rafael dos Anjos para Colby Covington no último sábado (09) em Chicago, quando o brasileiro estava na porta de trazer o cinturão para o Brasil, deixou os fãs brasileiros preocupados e com poucas esperanças de termos uma nova chance de ver um lutador brasileiro buscando a cinta no maior evento de MMA do mundo este ano. Então vamos analisar todas as divisões do Ultimate,  para ver de onde pode pintar a combinação de brasileiros e o cinturão do UFC nos próximos meses.

Nas categorias femininas temos a campeã Cris Cyborg absoluta na divisão dos Penas. Inclusive o UFC tem dificuldades de encontrar uma adversária capaz de pelo menos dificultar a vida da brasileira. Temos Amanda Nunes, campeã dos Galos, com três defesas do cinturão. A categoria ainda conta com Ketlen Vieira que vem crescendo na divisão e pode ser a próxima a se tornar desafiante da Amanda Nunes. No Peso Mosca, categoria criada recentemente pelo UFC, não temos nenhuma atleta ranqueada no momento.

Nas categorias masculinas tínhamos duas grandes esperanças: Ronaldo Jacaré, que acabou  derrotado por Kevin Gastelum na luta que definiria o próximo desafiante ao cinturão dos Médios, e Rafael dos Anjos que acabou encurralado pelo jogo de clinche do falastrão Colby Covington, na luta que valia o cinturão interino dos Meio-Médios. Ainda assim, temos boas perspectivas em médio prazo.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Palha

Aqui, temos uma ótima chance. Jéssica Bate-Estaca deve ser oficializada como próxima desafiante ao cinturão de Rose Namajunas. A brasileira tem boas chances de vitória com o seu jogo em pé afiado, muita explosão e potência nos golpes, assim tem tudo para dificultar a vida da americana. Se não houver imprevistos e a luta for confirmada, a tendência é que tenhamos a brasileira disputando o cinturão em outubro ou novembro.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Mosca

A divisão amplamente dominada por Demetrious Johnson que varreu a categoria. Tem o recorde de defesas de cinturão, já são 11. O campeão tem luta marcada contra Henry Cejudo. São cinco os brasileiros ranqueados nessa categoria: Jussier Formiga (4º) (um dos poucos bem ranqueados que ainda não enfrentou o campeão), Wilson Reis (7º), Alexandre Pantoja (8º), Matheus Nicolau (11º) e Deiveson Figueiredo (14º). Jussier Formiga vem de duas vitórias consecutivas. Se conseguir uma luta contra um adversário duro como Sérgio Pettis nos próximos meses e vencer, provavelmente diante do campeão, possivelmente no início do
próximo ano.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Galo

Marlon Moraes vem de uma vitória acachapante contra o até então invicto Jimmie Rivera e se credenciou a próximo desafiante ao cinturão de TJ Dillashaw. Porém, o campeão tem luta marcada contra Cody Garbrandt. Se TJ vencer, a luta contra o brasileiro deve ocorrer por meados de dezembro. Se der Cody, provavelmente será marcada a trilogia entre ambos e o brasileiro teria que fazer mais uma luta pra se manter em atividade e lutar pelo cinturão somente em 2019. Raphael Assunção é outro brasileiro que está bem ranqueado nessa divisão.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Pena

Apesar das seguidas derrotas nas últimas lutas e da indefinição quando ao seu futuro no MMA, José Aldo ainda é a maior esperança brasileira entre os Penas. Se tudo der certo as chances dele voltar a lutar pelo cinturão são boas. O campeão Max Holloway, que projeta subir de divisão num breve futuro, vai encarar Brian Ortega. Se o desafiante vencer, o caminho do brasileiro ficaria interessante. Aldo tem luta marcada contra Jeremy Stephens. Se vencer bem e com um pouco de sorte ele pode ser alçado a próximo desafiante. Se considerarmos que Ortega já terá vencido Holloway e Frankie Edgar, e nunca enfrentou o brasileiro. Outro brasileiro que vem bem na divisão é Renato Moicano, mas ainda distante de chagar a uma luta por cinturão.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Leve

Talvez a categoria mais competitiva do UFC. Só temos Edson Barboza como brasileiro ranqueado nessa divisão. Atualmente ele é o número 6, porém está muito distante de lutar pelo título. Barboza já foi derrotado pelo campeão Khabib Nurmagomedov e vem de derrota para Kevin Lee.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Meio-Médio

A derrota de Rafael dos Anjos foi uma pancada para os fãs brasileiros. Rafael era a grande esperança brasileira de cinturão este ano. Porém, apesar da derrota para
Covington ele continua no caminho do cinturão porque ainda é um dos principais nomes da divisão. Uma nova luta com um desempenho convincente como a que ele fez contra Robbie Lawler vai recolocá-lo nos trilhos. O cinturão da divisão certamente será unificado ainda este ano e se Tyron Woodley vencer, as chances do brasileiro crescem. Kamaru Usman vem ganhando força na divisão e esse seria o adversário ideal para Rafael encarar, e se possível no mesmo evento de Woodley vs Covington. Se tudo der certo, no início de 2019 Rafael poderá ter nova chance pelo título. Demian Maia que vem de duas derrotas ficou distante. Alex Cowboy está em 14º no ranking e é uma esperança brasileira em longo prazo.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Médio

Apesar da derrota para Kevin Gastelum, Ronaldo Jacaré ainda pode sonhar com o cinturão. A vitória de Robert Whittaker sobre Yoel Romero foi boa para o brasileiro, que não perdeu tempo, e já pediu uma revanche contra o cubano. Whittaker deve encarar Gastelum provavelmente entre outubro e dezembro. Caso Jacaré consiga arrumar uma revanche contra Yoel Romero e  vencer, provavelmente estará como principal nome para enfrentar o vencedor de Whittaker vs Gastelum. Seria interessante pra ele também, se Cris Weidman permanecesse inativo por mais algum tempo. Machida vem de duas vitórias, mas pela idade e pelo caminho que precisaria percorrer, está distante. Paulo Borrachinha, Cara de Sapato e Thiago Marreta já chegaram ao ranking da divisão e são esperanças brasileiras para breve. Especialmente o primeiro que conta com a admiração de Dana White.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Meio-Pesado

O campeão Daniel Cormier tem luta marcada para julho na categoria de cima contra Stipe Miocic e isso deve travar a divisão pelo menos até o final do ano. Os dois brasileiros ranqueados na divisão tem lutas marcadas. Maurício Shogun encara Volkan Oezdemir e Glover Teixeira pega Ilair Latifi. Uma vitória deve colocar ambos os brasileiros a uma luta do title shot. Alexander Gustafsson provavelmente deverá ser o próximo desafiante nessa categoria.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Pesado

Assim como no meio-pesado a super-luta que irá ocorrer em julho entre o campeão Stipe Miocic e Daniel Cormier vai travar a divisão. Levando-se em conta que Fabricio Werdum foi pego em exame antidoping pela USADA e está esperando o desenrolar da contraprova e talvez até julgamento, não se sabe quando voltará a lutar. O brasileiro que teria melhores chances é Júnior Cigano, atualmente em 5º no ranking da categoria.

O problema é que Cigano vem de um longo período de inatividade e de uma derrota acachapante contra o atual campeão. Sendo assim, dificilmente veremos algum brasileiro disputando o cinturão dos Pesados a curto ou médio prazo. Portanto podemos esperar pelo menos mais dois brasileiros disputando cinturão ainda este ano. Com grandes chances que estes sejam Jéssica Bate-Estaca pelo Peso Palha e Marlon Moraes pelo Peso Galo. Apesar da fase no momento não ser das melhores para o MMA brasileiro dentro do UFC, esse cenário pode mudar ainda este ano.

Texto enviado por: Diego Piñeyrua Neto, atual representante do Octógono Virtual
Foto: Christoper Lee/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Junior Cigano revela ter medo da USADA

Após três anos testando os atletas do UFC, a USADA (Agência Antidoping dos Estado Unidos) causou muitas notificações e suspensões. Isso sem dúvida é uma pedra no sapato para vários lutadores e, não é diferente com o brasileiro Junior Cigano. O peso-pesado já foi notificado pela agência.

Junior Cigano teve um incidente em 2017 com a USADA, fato que lhe causou traumas. O brasileiro foi notificado pela Agência Antidoping dos Estado Unidos o que deixou o lutador nove meses afastado. Cigano foi vítima de suplementação contaminada.

Sobre o fato ocorrido, o Junior Cigano ainda não superou o trauma. Em entrevista para o portal americano MMA Fighting, falou um pouco desse momento de tensão em sua carreira.

— Depois que encontraram a substância no meu corpo e me tiraram da luta de Ngannou, continuei treinando, porque achei que eles perceberiam que não era o caso (de doping) e me liberariam para lutar. Continuei treinando e me preparando. Claro, então comecei a me sentir mal com o passar do tempo, mas o apoio das pessoas e da minha família, tendo meu filho comigo, foi crucial. – Disse o lutador.

Leia mais
UFC retira Junior ‘Cigano’ do ranking após notificação da USADA
Trilogia entre Chuck Liddell e Tito Ortiz é confirmada
Aspera FC anuncia expansão na Ásia e retorno ao Brasil

O lutador brasileiro ainda comentou sobre já ser considerado culpado, mesmo sem ter sido julgado. Cigano lembrou o principio jurídico do devido processo legal, que garante que ninguém será considerado culpado que que haja o devido processo que o condene.

— Passei nove meses fora e foi horrível. O problema é que você é considerado culpado antes de qualquer outra coisa. Você é considerado culpado até que se prove inocente. Isso só acontece com a USADA. A lei diz que você é inocente até que se prove a culpa. É uma situação muito ruim e eu não desejo que ninguém passe por isso, especialmente aqueles que não fizeram nada. Isso me afetou muito, mas eu me considero uma pessoa forte, tanto mental quanto fisicamente. Estou feliz que isso esteja no passado e, se Deus quiser, não acontecerá novamente. – Contou Junior Cigano.

Junior Cigano ainda revelou temer as visitas que a USADA faz. O brasileiro ainda contou que acha importante o controle de doping, mas considera que a USADA deve melhorar o seu sistema.

— Eu fico com medo sempre que a USADA vem à minha casa, porque o que aconteceu comigo é algo que eu nunca pensei que fosse acontecer. Então isso tem que evoluir, da maneira que a USADA julga os casos. Mas também acho que é necessário envolvê-los no esporte, porque precisamos saber quem é um campeão de verdade. Qual é o ponto de ter vários caras lutando com um monte de porcaria em seus corpos e com performances que são irreais? Eu acho que é necessário ter um controle de doping, mas a USADA poderia melhorar seu sistema. – disparou o lutador brasileiro.

Carreira de Junior Cigano

Atualmente, Cigano está com 34 anos de idade. Eles está de luta marcada para o próximo dia 14 contra Blagoy Ivanov. Seu atual momento da carreira não é dos melhores, e vem oscilando entre vitória e derrota nas últimas oito lutas. Como lutador profissional, Cigano tem 23 lutas, tendo vencido em 18 ocasiões e amargado 5 revezes.

Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Divulgação

Confira todos os salários do UFC 225

Saiu mais uma lista de remunerações dos lutadores que atuaram no último evento do Ultimate. Todos os salários do UFC 225 foram divulgados, como de praxe, dias após o evento. Essa edição da maior organização de MMA do mundo foi realizada em Chicago, no sábado passado (09).

Vários fatos curiosos e nada comuns aconteceram nessa lista de salários do UFC 225. Robert Whittaker venceu Yoel Romero, este último não bateu o peso, teve que ceder 30% e ainda os US$ 50.000 (cinquenta mil dólares) de luta da noite para o campeão. Então,era esperado uma bolsa volumosa para Whittaker, e de fato veio. O neozelandês levou para casa US$ 610.000 (seiscentos e dez mil dólares),convertendo para o Real, a quantia gira em torno de R$ 2.257.000 (dois milhões, duzentos e cinquenta e sete mil reais). Enquanto o cubano faturou US$ 290.000 (duzentos e noventa mil dólares), que em nossa moeda, fica cerca de R$ 1.073.000 (um milhão e setenta e três mil reais).

Já no co-evento principal, mais uma coisa diferente nos salários do UFC 225. Rafael dos Anjos e, o agora campeão interino Colby Covington, levaram US$ 380.000 (trezentos e oitenta mil dólares) cada uma. A bolsa foi igual, independentemente da vitória do americano sobre o brasileiro. Se convertido em Real, a quantia gira na casa de R$ 1.405.000 (um milhão, quatrocentos e cinco mil reais).

Mas dos salários do UFC 225, dois em especial, roubaram a cena da noite de evento. Alistair Overeem e CM Punk tiveram pagamentos altíssimos, sendo a bolsa do peso pesado a maior do evento. Alistair Overeem lutou no card preliminar, foi derrotado, mas mesmo assim ainda faturou a bagatela de US$ 860.000 (oitocentos e sessenta mil dólares. Essa simbólica quantia do Overeem, em Real, gira em torno de R$ 3.182.000 (três milhões, cento e oitenta e dois mil reais).

Já o CM Punk, astro do WWE, ganhou a quantia nada irrisória  de US$ 503.500 (quinhentos e três mil e quinhentos dólares), por uma luta pífia. O lutador do cartel 0-2, se converter a bolsa para nossa moeda, terá ganho R$ 1.863.000 (um milhão, oitocentos e sessenta e três mil reais).

UFC 225
SALÁRIOS DO UFC 225 – CARD PRINCIPAL:

Robert Whittaker: US$ 610.000
Yoel Romero: US$ 290.000

Rafael dos Anjos: US$ 380.000
Colby Covington: US$ 380.000

Holly Holm: US$ 75.000
Megan Anderson: US$ 23.500

Andrei Arlovski: US$ 270.000
Tai Tuivasa: US$ 31.5000

Mike Jackson: US$ 23.500
CM Punk: US$ 503.500

SALÁRIOS DO UFC 225 – CARD PRELIMINAR:

Alistair Overeem: US$ 860.000
Curtis Blaydes: US$ 105.000

Cláudia Gadelha: US$ 63.000
Carla Esparza: US$ 44.000

Ricardo Lamas: US$ 68.000
Mirsad Bektic: US$ 51.000

Rashad Coulter: US$ 13.500
Chris de la Rocha: US$ 23.500

Rashad Evans: US$ 170.000
Anthony Smith: US$ 52.000

Joseph Benavidez: US$ 92.000
Sergio Pettis: US$ 76.000

Clay Guida: US$ 79.000
Charles do Bronx: US$ 165.000

Mike Santiago: US$ 13.500
Dan Ige: US$ 23.500

Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Ronaldo Jacaré pede revanche contra Yoel Romero ou Kelvin Gastelum

Após o cubano perder mais uma vez por decisão dividida, o brasileiro pediu revanche. Ronaldo Jacaré provavelmente acompanhou o desenrolar da lua principal do UFC 225 e agora quer se colocar perto do título. Yoel Romero foi derrotado ontem (09) por Robert Whittaker, atual campeão dos médios.

A maior organização de MMA do mundo levou a sua mega estrutura para Chicago, nos Estados Unidos para realizar o UFC 225. A luta principal da noite era entre o cubano Yoel Romero e Robert Whittaker, sendo já uma revanche. Na primeira oportunidade, assim como na segunda, o neozelandês venceu por decisão dividida.

Leia mais
[VÍDEO] Colby Covington vence Rafael dos Anjos e se torna campeão
Conor McGregor fica acima de Neymar em lista dos atletas mais bem pagos do mundo
Georges St-Pierre atesta facilidade em se dopar no MMA atualmente

Ronaldo Jacaré é o atual quarto colocado no ranking. Caso consiga uma luta com um dos tops da divisão, pode ficar a um passo de um credenciamento para o cinturão, caso vença.

Essa provavelmente é a estratégia do lutador brasileiro para, talvez um último suspiro para tentar o cinturão. Por meio de sua conta oficial no Twitter, Ronaldo Jacaré pediu revanche contra dois lutadores. O primeiro citado foi o cubano Yoel Romero e, além dele, o americano Kelvin Gastelum.

Publicação de Ronaldo Jacaré:
  • Eu quero uma revanche contra contra o Yoel Romero ou Kelvin Gastelum. Essas são as lutas que fazem sentindo para mim nesse momento. #revanche – Disse o lutador através das redes sociais.

A última luta de Jacaré, foi justamente contra Kelvin Gastelum no UFC 224, onde foi derrotado por decisão dividida. Já a luta contra Yoel Romero foi no UFC 194, e também o resultado foi polêmico, tendo o cubano vencido por decisão dividida.

CARREIRA DE RONALDO JACARÉ

Aos 38 anos de idade, Ronaldo Jacaré fez 32 lutas como atleta profissional de MMA. Dessas, venceu em 25 oportunidades, perdeu outras 5 e 1 ‘no contest’. Até o presente momento, o brasileiro é o quarto colocado no ranking dos médios do Ultimate.

Foto: Jared C. Tilton /Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs