Após uma indigesta estreia no UFC, a brasileira Priscila Pedrita em entrevista exclusiva para Tudo Sobre MMA, revelou sobre o futuro no Ultimate, na divisão dos moscas feminino além de falar sobre o duelo contra Valentina Shevchenko.

Com um cartel invicto antes da estreia no Ultimate, Priscila chegou a organização com oito vitórias seguidas, sendo quatro delas por nocaute, e quatro por decisão dos juízes laterais. Escalada para o UFC Belém em fevereiro, Priscila Pedrita encarou Valentina Shevchenko.

Com uma performance brutal, Valentina superou a atleta da Paraná Vale com uma vitória por finalização no segundo round. Apesar das críticas acerca do casamento da luta contra Valentina, a carioca afirmou que não se arrepende de ter aceitado o embate: “Quem aceitou a luta foi eu, guerreiro de verdade não escolhe combate”.

Leia também: Khabib sobre luta contra Ferguson: “Vou tornar essa luta fácil”

Priscila Pedrita descartou uma possível análise do duelo, tendo em vista a grave lesão sofrida no início da luta.

“Não tem como ter uma análise de uma luta aonde aos 20 segundos iniciais acontece uma lesão de rompimento de menisco e ligamento cruzado , como lutar sem joelho como u.a adversária duríssima”.

Ainda em recuperação, Pedrita revelou que deverá voltar ao octógono mais famoso do mundo até o final do mundo, e irá se manter na divisão dos moscas: “ficarei nela por muito tempo”, finalizou.

Em busca de recuperação, o americano Jason Knight enfrentará no próximo sábado (09) o mexicano Gabriel Benitez no UFC Fight Night 123. Em entrevista exclusiva para Tudo Sobre MMA, o peso-pena comentou sobre a preparação e expectativa para o combate.

Jason Kinight revelou como foi a preparação, e ainda apontou as fortes características de Benítez.

“Estou muito bem preparado para o UFC Fresno mentalmente e fisicamente. Sei tudo que ele vai trazer para a luta. Estou preparado para impedir tudo que ele tem para oferecer.
A única coisa que preciso me preocupar no meu oponente é os chutes fortes e a guilhotina”.

Após emplacar quatro vitórias consecutivas no Ultimate, Jason Knight foi nocauteado pelo americano Ricardo Lamas em seu combate mais recente no UFC 214. Sobre o revés, “The Kid” afirmou que não poderá cometer os mesmo erros.

Leia também: Angela Magaña é demitida do UFC após três derrotas consecutivas

“A lição que aprendi com aquela derrota é que temos que ser praticamente invencíveis neste nível e não se pode cometer erros. Com isso desta vez vou fazer o máximo para não cometer tantos erros que já tive em lutas anteriores”.

Aos 25 anos, o peso-pena detém um cartel com 20 vitórias e três derrotas. O americano subirá pela quarta vez no octógono em 2017. Com uma grande média de lutas, Jason afirmou que pretende voltar ao cage o mais rápido possivel.

“Se eu vencer no sábado vou tentar voltar a lutar o mais cedo possível e continuar subindo no ranking. Não me importo em quem vão me dar para lutar, só quero que seja o mais cedo possível”.

O UFC Fight Night 123 será realizado em Fresno, Califórnia, Estados Unidos no dia 9 de dezembro.

CARD PRINCIPAL
Peso-pena: Cub Swanson x Brian Ortega
Peso-pena: Jason Knight x Gabriel Benítez
Peso-galo: Marlon Moraes x Aljamain Sterling
Peso-leve: Scott Holtzman x Darrell Horcher
Peso-médio: Eryk Anders x Markus Maluko
Peso-galo: Albert Morales x Benito Lopez
CARD PRELIMINAR 
Peso-mosca: Alexis Davis x Liz Carmouche
Peso-galo: Luke Sanders x Andre Soukhamthath
Peso-mosca: Carls John de Tomas x Alex Perez
Peso-galo: Frankie Saenz x Merab Dvalishvili
Peso-galo: Alejandro Perez x Iuri Majaró
Peso-leve: Chris Gruetzemacher x Davi Ramos
Peso-médio: Antônio Braga Neto x Trevin Giles
A curitibana Franciele Somaia, de 24 anos, é Cage Girl desde o final do ano de 2016. Revelada pelo Katana Fight, a beldade trabalhou nove meses com exclusividade para o evento que acontece nas dependências da Evolução Thai, quando deixou a franquia para se dedicar a outros projetos. Em novembro, Franciele integrou o time de Cage Girls de um dos maiores eventos do MMA nacional, o Imortal FC, estreando na sétima edição da produção de Stéfano Sartori e Bernardo Meyer.
“Eu fiquei encantada com o trabalho, pois o evento é lindo, muito emocionante e você está ali envolvida, fazendo parte disso. Achei sensacional, realmente gostei muito”, comenta a Cage Girl.
Com o intuito de dar mais mídia ao seu nome e ganhar mais visibilidade no meio, Franciele participou de um ensaio fotográfico com o fotógrafo Marcio Valle, especialista em ensaios femininos com Ringue Girls, na semana em que o Prêmio Osvaldo Paquetá – o Oscar do MMA Nacional, divulgou as 10 Ringue Girls que estão participando de uma enquete para eleger as cinco candidatas ao prêmio em janeiro de 2018 – Franciele Somaia é uma das pré-candidatas. Para votar na beldade, basta acessar a fan page do Prêmio Osvaldo Paquetá e curtir a foto correspondente.

Franciele Somaia está ansiosa para 2018:

“A gente faz milhares de planos para o próximo ano, mas já  estou pensando qual será que vai da errado primeiro (risos). Brincadeiras a parte, o plano é trabalhar bastante, me dedicar mais aos estudos e quero transbordar de felicidade ao agarrar as oportunidades de viver novas experiências, assim como já venho fazendo”.
João Antônio

João Antônio, de 22 anos de idade, é um grande fã de MMA, o esporte que mais cresce no mundo e se identifica com grandes ídolos brasileiros na modalidade, como Anderson Silva, Rodrigo ‘Minotauro’, Rogério ‘Minotouro’ Wanderlei Silva, Fabrício Werdum, Vitor Belfort e um que não recebe o mesmo carinho da maioria dos brasileiros, o irlandês Conor McGregor, ex-campeão peso-pena e atual campeão peso leve do maior evento do mundo, o UFC.

João é especial, não apenas por sofrer de uma doença que se manifesta nos músculos do paciente, causando atraso no desenvolvimento psicomotor, chamada de Atrofia Muscular Espinhal (AME), mas sim, por ser ser um guerreiro na vida.

As Atrofias Musculares Espinhais (AME), são de origem genética e caracterizadas pela atrofia muscular secundária de neurônios motores localizados na medula espinhal.

História de João Antônio e o amor pelo MMA:

O jovem menino que vive junto de sua avó, a dona Belarmina, conhecida como ‘Bela’, na pequena cidade de Guiratinga, interior do Estado do Mato Grosso, cuida de João Antônio desde que ele nasceu, já que a mãe biológica de João, não possuía condições financeiras de cuidar do menino, mas ela fez questão de contar que a mãe não o abandonou e sim, ela preferiu cuidar e tomar posse dessa grande responsabilidade que era, e ainda é, cidade de ‘J.A’ por conta da doença, que foi descoberta quando ele tinha apenas dois anos de idade.

Veja também:

Sabendo de toda a dificuldade que João tem em sua batalha diária na vida, juntamente com sua avó, a Tudo Sobre MMA entrou em contato com o jovem sonhador em busca de maiores detalhes e de dua história.

“Eu tenho 24 anos e a doença foi descoberta quando eu tinha 2 anos de idade. Tenho esse problema chamado Atrofia Muscular Espinhal (AME) e além de sofrer com a doença, sofro para encontrar tratamento específico para ela, já que minha cidade (Guiratinga/MT), não tem equipamentos necessários, não tem equipamentos adequados para que eu possa me tratar da melhor forma. Desde criança, eu assistia filmes de lutas e me identificava com o Bruce Lee, Jean Claude Van-Damme, Steven Seagal, Arnold Schwarzenegger, sempre me identifiquei com as artes marciais. Eu alugava VHS do PRIDE e UFC e era muito complicado achar essas fitas para poder assistir as lutas e foi aí que eu comecei a acompanhar o MMA”, disse o sonhador.

Como o MMA em Guiratinga não é muito popular, o pequeno gigante resolveu gravar um vídeo no Youtube, em busca de seu grande sonho, que é conhecer ao menos 1 desses lutadores, um já aposentado, e o outro, nem tão querido assim.

“As pessoas costumam rir de mim, pois além de sonhar conhecer o Minotauro, Minotouro, Belfort, Wanderlei, eu também sonho em conhecer um cara que as pessoas aqui no Brasil não costumam admirar, que é o irlandês Conor McGregor, ela sempre riem de mim quando eu falo sobre o assunto “mas logo o McGregor, você é louco”, mas eu nunca vou desistir desse meu grande sonho de conhecer o campeão. McGregor é muito bom, mas para mim, o ‘Pelé’ do MMA é o Anderson Siva. Eu gravei o vídeo por não ter condições mesmo, quando eu falo de MMA, as pessoas riem de mim, e não dão atenção a pauta que estou falando. Admiro muito o Conor porquê ele fala e faz, ele pressiona seu adversário psicologicamente e isso deixa o adversário mais fraco, ele é sensacional”, finalizou o admirador do campeão peso leve Conor McGregor.

Opinião e Apelo para ajudar João Antônio:

Sem intenção alguma de lucrar ou querer aparecer, resolvi entrar na luta junto desse grande homem que é o João Antônio, um guerreiro da vida, um amante de lutas como eu, que sonha em conhecer seus ídolos de perto, dar um abraço que seja, propagando carinho e amor, ainda mais em um mundo cão, frio e podre que vivemos hoje em dia.

Como ele me disse, as pessoas costumam caçoar de seu amor pelo MMA, as pessoas são más, geralmente em nosso esporte, costumam aproveitar-se da bondade alheira ou mesmo, como já citado, rir de pessoas com problemas físicos e psicológicos.

Infelizmente não tenho dinheiro para poder realizar o sonho de João Antônio, mas tenho em mãos essa ferramenta (internet) que é muito forte nos dias de hoje e espero poder ao menos ajudar a realizar o menor de seus sonhos, que é conhecer qualquer um de seus ídolos no MMA.

 

 

 

Iuri Marajó nocauteou Joe Soto no primeiro round no UFC Belém

Iuri Marajó encontrou força no seu povo para dar a volta por cima, após dois reveses consecutivos na carreira. Foi no UFC Belém que o lutador retomou o caminho das vitórias, quando derrotou Joe Soto por nocaute.

Após sua luta, Iuri Marajó conversou com exclusividade com a Tudo Sobre MMA e o nosso portal parceiro, TV Fight. O atleta começou contando do prazer que foi vencer e o gosto especial de lutar em casa.

— (Vencer em casa) é melhor sensação do mundo! Estou muito feliz! Lutar para esse povo maravilhoso que fica gritando meu nome, que vieram torcer por mim de perto. Estou muito feliz de estar hoje representando o norte do Brasil na ‘copa do mundo do MMA’ que é o UFC. Estou muito feliz. Vinha de duas derrotas e hoje dei a volta por cima. – Contou Iuri.

Marajó ainda confirmou que seu nocaute sobre Joe Soto foi o maior feito de sua carreira como lutador profissional. O brasileiro reconheceu a força de seu oponente e valorizou a sua vitória no segundo round.

— Com certeza (foi a vitória mais importante da carreira). Ele é um cara bastante duro. Estudei o jogo dele, sabia que ele era menor, mas também sabia que ele era um cara que não ia me dar moleza. Eu tinha que chegar aqui e destruir com ele e mostrar para o UFC que eu ainda estou vivo. Tive que ganhar e ganhar bem do Soto. Ele é um cara duro e novo, tem muita coisa pela frente. – Cravou Iuri Marajó.

Sobre o seu futuro dentro da maior organização de MMA do mundo, Marajó almeja voltar a enfrentar atletas ranqueados.

— Com certeza, é uma oportunidade única lutar contra um lutador ranqueado, meu objetivo é estar treinando duro para o próximo adversário.

Carreira de Iuri Marajó

Com 37 anos de idade, o lutador paraense vinha de duas derrotas consecutivas dentro da maior organização de MMA. Funcionário do UFC desde 2011, Iuri Marajó como lutador profissional de MMA, fez 46 combates até aqui, tendo vencido 36 vezes.

Nesta sexta-feira (01), o americano Gerald Meerschaert buscará recuperação na carreira diante Eric Spicely no TUF 26 Finale. Em entrevista exclusiva para Tudo Sobre MMA, o ex-campeão do RFA avaliou o combate e revelou planos para o futuro no Ultimate.

Casca grossa na luta de chão, Gerald Meerschaert colocará toda sua habilidade a prova diante o também especialista Eric Spicely. Entretanto, Gerald ressaltou a importância da Roufusport, sua equipe para a preparação para o duelo.

“Eu estou bem preparado para sexta a noite. Tive um bomgrupo de pessoas me preparando. Tenho um oponente muito duro que é um ótimo grappler. Estou ansioso para entrar no octagono com ele”.

Após emplacar sete vitórias consecutivas, sendo duas no UFC, Gerald Meerschaert interrompeu a sequência de vitórias aos ser nocauteado pelo brasileiro Thiago Marreta no UFC 213. Apesar da dura derrota, Meershaert afirmou que não cometerá os mesmo erros do combate anterior.

“Minha última luta enfrentei um oponente muito difícil, mas aprendi bastante e não vou cometer os mesmos erros de novo”.

Em busca de uma nova sequência de triunfos, o atleta de 29 anos foi curto e direto ao comentar sobre o futuro na divisão dos médios caso vença Spicely na sexta-feira.

“Planos para o futuro é me tornar o campeão peso médio do UFC”.

O TUF 26 Finale será realizado em Las Vegas, Nevada no Estados Unidos no dia 1 de dezembro.

CARD PRINCIPAL
Peso-mosca: Nicco Montaño x Roxanne Modafferi
Peso-galo: Sean O’Malley x Terrion Ware
Peso-mosca: Barb Honchak x Lauren Murphy
Peso-médio: Eric Spicely (84,1kg) x Gerald Meerschaert
Peso-mosca: DeAnna Bennett x Melinda Fabian
Peso-galo: Joe Soto x Brett Johns
CARD PRELIMINAR
Peso-mosca: Christina Marks x Montana De La Rosa
Peso-médio: Andrew Sanchez x Ryan Janes
Peso-mosca: Karine Gevorgyan x Rachael Ostovich
Peso-mosca: Ariel Beck x Shana Dobson
Peso-mosca: Gillian Robertson x Emily Whitmire
Jovens com problemas com drogas e violência é uma realidade frequente na periferia das grandes cidades. Para Leandro Fernando Brito não foi diferente. O atleta que hoje está prestes a ingressar no MMA profissional, soma sete vitórias amadoras e três cinturões em apenas 10 meses. Mas foi em 2012, que o até então adolescente problemático foi apresentado as artes marciais:
“Estive na primeira edição do Nocaute ao Crack, evento que é organizado pela FJU (Força Jovem Universal), e me apaixonei pelo Jiu Jitsu. No evento estava lutando o Rafael Carvalho, que hoje é campeão do Bellator. Aquilo me interessou e passei a frequentar as aulas do projeto social aos domingos”.
As aulas dominicais não estavam sendo suficientes para Leandro, que era conhecido como “Sossego” no projeto social da FJU. Foi aí que ele conheceu Alexandro Ferreira, o “Mangueboy”, que adotou o atleta no Instituto “Bom Combate” em Colombo, região metropolitana de Curitiba. O primeiro passo foi trocar o apelido do jovem, que foi o seu primeiro atleta da ONG: “Eu gosto muito de colocar nome nos meus atletas. E vi que “Sossego” não era comercial. Falei pra ele, de agora em diante você é Leandro Light”.
Representante da equipe MangueBoy, em seis anos mudou completamente de vida e hoje, com 20, se sente transformado:
“A galera me chama hoje de Leandro Light, mas não conhecia como eu era. Eu era muito nervoso, problemático, estourava por qualquer coisa, já cheguei até a bater na minha mãe, e através das artes marciais eu consegui me encontrar e me acalmar. Até pra lutar sou bem tranquilo. Antes eu não ouvia o lado das pessoas, dos meus familiares, hoje eu consigo ouvir eles. Isso me mudou como pessoa”.
Cinturão de papel:
O primeiro cinturão do pupilo de Alex MangueBoy foi um cinturão de papel, confeccionado por ele mesmo. Segundo o head-coach, Leandro Light tem um sonho desde cedo: O de conquistar o cinturão do UFC:
“O Leandro chegou a fazer um cinturão de papel e postou nas redes sociais. A galera tirou sarro, achou que ele era maluco. Mas eu o incentivei a não desistir dos seus sonhos. Ele chegou a desistir da luta em 2016 por problemas pessoais. Além de estudar e trabalhar com seu pai, é Leandro que cuida de sua mãe. Retornou em janeiro de 2017 para conquistar três cinturões esse ano”. Estes três, cinturões de verdade, dos eventos estaduais Confronto Final da Luta, Tatuquara Fight Combat e Maringa Fight Combat.
Leandro Light deve estrear ainda em 2017 ou no início de 2018 como atleta profissional de MMA.
Além de Alex MangueBoy, Leandro Light treina com o Campeão Mundial de Muay Thai, Emerson “Bruce Lee” Olímpio, Edmundo Coleto e com os companheiros de treino Rodrigo “Caiçara”, Valker Souza e Felipe Orfeu.

Em grande fase na carreira, o argentino Santiago Ponzinibbio sem dúvidas é um dos maiores destaques do UFC atualmente. Em entrevista exclusiva para Tudo Sobre MMA, o peso-meio-médio comentou sobre seu atual momento, projetou o futuro na categoria e ainda revelou possíveis futuros adversários.

Em nono no ranking oficial do UFC, Ponzinibbio se mostrou incomodado com sua atual colocação.

“O ranking não tem muito critério, tanto que o critério não é o UFC que faz, é alguns jornalistas que montam… não tem muito sentido, tem caras que não lutam há muitos anos e tá no ranking, tem uns que vem de derrota e ta lá na frente e tem cara que vem de sequencias de vitórias e não está no ranking. Isso é muito relativo, não acho que isso tenha sentido”.

Após vencer Mike Perry no UFC On Fox 26, ainda no octógono, Santiago afirmou que gostaria de enfrentar o brasileiro Rafael dos Anjos ou Robbie Lawler. Apesar da derrota do americano, o argentino ainda deixou-se aberto sobre um possível embate, além de colocar o ex-desafiante Stephen Thompson no radar.

“Gostaria de enfrentar o Rafael dos Anjos, Robbie Lawler, qualquer um dos dois seria uma ótima luta, ou mesmo o Thompson… uma luta contra qualquer um dele seria uma excelente luta e ganhando deles eu iria para o cinturão”.

Leia também: Iuri Marajó enfrenta Joe Soto no UFC Belém
-Dana confirma negociação com Mayweather, mas o pugilista desmente

Aos 31 anos, o atleta da American Top Team também comentou sobre um possível duelo contra o terceiro do ranking Colby Covington. Apesar de ser um parceiro de equipe, Santiago não descartou um possível duelo contra o falastrão.

“O Colby treina comigo, temos treinadores em comum. Se nós precisarmos lutarmos, deveríamos sentar junto, e decidir se iremos tornar essa luta, clarear as coisas… eu aceitaria a luta, quando a gente conversa e se todos chegar a mesma opinião. Pelo título sabemos que todo mundo luta, mas agora uma luta que não é pelo título acho que deveríamos marcar uma reunião e conversar”.

Com os recentes rumores que o UFC irá desembarcar em alguns países sul-americanos em 2018, a expectativa que Santiago Ponzinibbio seja um dos protagonistas é grande. Natural de La Plata, o argentino “Gente Boa” revelou que lutar em um evento na Argentina seria um “sonho realizado”, entretanto, afirmou que se sente em casa em qualquer evento na América do Sul.

“Fiquei sabendo… vão fazer dois eventos sul-americanos, ainda não está definido os países, mas acho que pode ser em Buenos Aires na Argentina e Santiago no Chile… mas não está confirmado, eu adoraria fazer a luta principal em um evento na América do Sul, seria melhor na Argentina, né, seria um sonho realizado, mas eu me sinto em casa aqui no Brasil, me sinto em casa em qualquer outro país sul-americano, porque minha história é latina, a gente se identifica muito com a história de vida, me dão muito apoio e carinho o povo sul-americano”.

Com uma sequência de seis vitórias consecutivas no Ultimate, Santiago ressaltou sua boa sequência de vitórias como um possível trunfo por uma chance pelo cinturão, porém, segundo ele, deverá fazer uma lutas antes de buscar o título máximo.

“Estou merecendo, quatro lutas no TUF, quatro vitórias, as melhores lutas da temporada, melhor nocaute, todas lutas emocionantes, 10 lutas no UFC ganhei 8, seis vitórias consecutivas, vários nocautes no primeiro round, todas minhas lutas são emocionantes… estou fazendo muito bem minha parte e estou merecendo ir pro título, mas sei que agora não vai dar, então preciso ganhar de mais um para ir pro título”.

No próximo sábado (02), a americana Cortney Casey buscará a segunda vitória no Ultimate diante de Felice Herrig no UFC 218. Em entrevista exclusiva para Tudo Sobre MMA, a peso-palha avaliou o duelo, e ainda relatou o futuro na organização.

Com 7 vitórias e 4 derrotas, Cortney Casey tentará acabar com a sequência de três vitórias consecutivas de Felice Herrig. Aos 30 anos, a atleta do Arizona revelou que espera um combate empolgante com a compatriota.

“Acredito que escolheram bem a luta. Somos as ambas boas em tudo e acredito que os fãs vão definitivamente gostar da luta”.

Casey avaliou Felice Herrig, e ainda afirmou que uma vitória o coloca entre as top 10, já que atualmente está na décima primeira colocação na divisão dos palhas.

“Ela é muito forte fisicamente e usa bem o seu wrestling. Está há 3 lutas sem perder, então uma vitória sobre ela me coloca no top 10”.

Leia também: Segundo Dana White, Conor McGregor pode nunca mais voltar a lutar
REC Combat 8 agita Vigia de Nazaré/ nesta sexta-feira

Cortney Casey retorna ao octógono após sete meses afastada, decorrente de uma punição que havia sofrido após testar positivo em uma substância proibida pela USADA (agência antidoping dos Estados Unidos), após vencer Jessica Aguilar UFC 211. Entretanto, Casey foi inocentada e o triunfo diante de Jessica foi restaurado.

A peso-palha também recordou do tempo afastada e afirmou que pretende lutar novamente em pouco tempo.

“Apenas quero voltar lá o mais rápido possível. Eu fiquei parado por 7 meses entre a última luta, não quero que isso aconteça de novo”.

O UFC 218 será realizado Little Caesars Arena, em Detroit, Michigan nos Estados Unidos no dia 2 de dezembro.

CARD PRINCIPAL 
Peso-pena: Max Holloway x José Aldo
Peso-pesado: Alistair Overeem x Francis Ngannou
Peso-mosca: Henry Cejudo x Sergio Pettis
Peso-leve: Eddie Alvarez x Justin Gaethje
Peso-palha: Tecia Torres x Michelle Waterson
CARD PRELIMINAR 
Peso-leve: Charles do Bronx x Paul Felder
Peso-meio-médio: Alex Cowboy x Yancy Medeiros
Peso-leve: David Teymur x Drakkar Klose
Peso-palha: Felice Herrig x Cortney Casey
Peso-meio-médio: Sabah Homasi x Abdul Razak Alhassan
Peso-meio-pesado: Jeremy Kimball x Dominick Reyes
Peso-pesado: Justin Willis x Allen Crowder
Peso-palha: Amanda Cooper x Angela Magaña

Em uma grande ascensão no UFC, o peso-médio Paulo Borrachinha em entrevista exclusiva para Tudo Sobre MMA, revelou que só irá lutar no UFC Fight Night 125, que será realizado em Belém no Pará, caso esteja no card principal do evento.

“Para eu lutar no UFC Belém, apenas pelo card principal. Tá muito em cima, não vale a pena se não for o card principal”, explicou o mineiro.

Leia também: Joanna Jedrzejczyk dispara: “Vou ser ainda mais metida, arrogante e barulhenta”

Paulo Henrique Borrachinha vêm embalado com 11 vitórias e nenhuma derrota na carreira. No Ultimate, o brasileiro possui três vitórias seguidas, todas por nocaute, sendo a mais recente diante o ex-campeão Johny Hendricks no UFC 217.

Aos 26 anos, Borrachinha estreou na organização em março desse ano no UFC Fortaleza, derrotando o sul-africano Garreth McLellan ainda no primeiro round. Antes de estrear no UFC, Paulo deteve o cinturão dos médios do Jungle Fight.

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs