Categoria: Estilos

Um interessante combate está sendo trabalhado para acontecer no UFC Fight Night 135. Pela divisão dos palhas, a mexicana Alexa Grasso enfrentará a americana Angela Hill. A informação foi dada inicialmente pelo site MMA Weekly.

Considerada uma promessa do MMA feminino, Alexa Grasso tentará uma nova sequência de vitórias na carreira. Aos 24 anos, Grasso possui 10 vitórias e duas derrotas. Após estrear com vitória sobre Heather Clark no UFC Fight Night 98, acabou sendo superada por Felice Herrig em fevereiro de 2017.

Leia também: Jimmie Rivera duela contra John Dodson no UFC 228

Apesar de se recuperar vencendo a canadense Randa Markos no UFC Fight Night 114, Alexa Grasso acabou novamente sentindo o gosto amargo da derrota, dessa vez para Tatiana Suarez, por finalização no UFC Fight Night  129 em sua última luta.

Também com uma sequência irregular entre vitórias e derrotas, Angela Hill vai em busca do segundo triunfo seguido. Ex-Invicta FC, Angela venceu em sua última luta Maryna Moroz por decisão unânime no UFC On Fox 28. Na carreira, a americana acumula oito vitórias e quatro derrotas.

O UFC Fight Night 135 será realizado na Pinnacle Bank Arena, em Lincoln, Nebraska nos Estados Unidos no dia 25 de agosto.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO:  

Justin Gathje x Al Iaquinta
Andrews Sanchez x Antonio Braga Neto
Eryk Anders x Tim Williams
Rani Yahya x Luke Sanders
Drews Dober x Jon Tuck

Amanda Nunes sinaliza para lutar contra Holly Holm e Cris Cyborg critica a 'Leoa'

No último sábado (09), houve o UFC 225 em Chicago, lá nos Estados Unidos. Uma das lutas principais da noite foi a batalha entre Holly Holm contra Megan Anderson, tendo Holm vencido. Agora, a Amanda Nunes está no radar da americana e, essa luta pode estar prestes a acontecer.

Após a sua vitória, Holly Holm cavou o seu credenciamento ao cinturão, dizendo que irá voltar para a divisão e que vai buscar o cinturão. Amanda Nunes, que estava acompanhando, e respondeu a declaração da filha do Pastor. Foi por meio das redes sociais que a ‘Leoa’ aceitou lutar contra a americana.

— Vamos fazer isso, Holly. – Disse a brasileira.

A Cris Cyborg, campeã do peso pena, não gostou nada da Amanda Nunes ter topado lutar contra Holly Holm. Em comunicado divulgado pelo portal ‘Ag.Fight‘, a Cyborg criticou a ‘Leoa’.

A principal indagação da Cyborg foi a Amanda ter fugido de um combate contra ela. Há um tempo a baiana declarou querer enfrentar a curitibana e isso despertou muito interesse de Dana White. Porém, o desenrolar das negociações não cominou com o casamento da luta. Mas, segundo Cyborg, ela pediu para que esse combate fosse realizado e, Amanda declarou estar lesionada.

A lesão de Amanda Nunes foi o pivô para a crítica da compatriota, afinal, como estar lesionada para enfrentar Cyborg e aceitar lutar contra a Holly Holm ?

Quando eu venci Holly Holm, ano passado, eu pedi uma luta contra Amanda no UFC 226, depois de ela ter me desafiado. Eu escolhi uma data longe o suficiente para que ela ficasse pronta para uma nova categoria e para a luta ser promovida apropriadamente, a fim de que não houvesse desculpas. Infelizmente, não sou a matchmaker, e Amanda lutou contra Pennington no Brasil em vez de dar aos fãs a superluta neste verão.

Agora, ela está alegando estar lesionada após a vitória dela, mas acho engraçado: depois de Holm tê-la desafiado, ela ficou magicamente saudável de novo. Essa situação toda me lembra Germaine de Randamie com a mão ano passado – disparou Cris Cyborg.

Carreira de Amanda Nunes, Holly Holm e Cris Cyborg

Aos 30 anos de idade, Amanda Nunes vive a sua melhor fase da carreira nesse momento. A ‘Leoa’ vem de sete vitória consecutivas e, se sagrou campe~dos galos quando venceu Miesha Tate no UFC 200. Como lutadora profissional de MMA, já fez 20 combates, tendo com saído como vencedora em 16 vezes e amargado 4 revezes. Amanda não saber o que é perder desde 2014.

Enquanto isso, Holly Holm não vive um mar de rosas na carreira, aos 36 anos. Das últimas seis lutas, Holm venceu apenas duas, mas ainda assim é nome de peso dentro do Ultimate. Como atleta profissional de MMA fez 16 combates, saiu como vencedora em 12 desses, e perdeu outras 4 lutas.

Por último, mas não menos importante, vem Cris Cyborg. A curitibana de 32 anos é apontada por muitos como a maior atleta feminina de todos os tempos. Cris Cyborg não sabe o que é perder desde a sua estreia em 2005. Das suas 22 lutas, Cris venceu 20, perdeu uma (como dito) e uma luta foi sem resultado.

Foto: Buda Mendes/Zuffa LLC/Zuffa LLC

O card do Batalha MMA 13 já está definido. O evento nacional irá ser realizado no dia 30 de junho, na cidade de Osasco em São Paulo no Ginásio Poliesportivo Geodésico. Essa é a segunda vez que o evento aterrissa em Osasco.

Com 21 combates confirmados sendo duas disputas de cinturão. Na luta principal, um duelo entre os paulistas Leandro Compri contra Felipe “Felipinho” Cusciana pelo cinturão interino dos penas. Leandro vem de uma vitória, sobre Alex Silva no Batalha MMA 10, enquanto Felipe vem de dois triunfos seguidos, sobre Valmir Rodrigues e por último contra Matheus Rodrigues na 12º edição da franquia.

Leia também: Brasileiros e o cinturão do UFC, onde estão nossas chances?
Dana White demite Mike Jackson após vencer CM Punk no UFC 225

Na luta co-principal, Johnny “Kabeça” Gonçalvez duela contra o libanês Ali Bahjet pelo cinturão inaugural dos super-leves (74,8kg). Longe dos octógonos há um ano e meio, Johnny buscará a terceira vitória seguida. Já Bahjet, tentará emplacar a sétima vitória consecutiva, sendo a mais recente sobre Maxsuel Leonardo no Batalha MMA 12.

   CARD PRINCIPAL (Dia 30 de junho – Horário: 18 horas)

  • 66kg: Leandro Compri x Felipe Cuscianna – Cinturão interino peso-pena
  • 74,8kg: Johnny Kabeça x Ali Bahjet (Líbano) – Cinturão super-leve
  • 80kg: Cassiano Tytschyo x Cleber Souza
  • 77kg: Alyson Soneca x Anderson da Silva (Paraguai)
  • 66kg: Duda Sales x Rogério Lino
  • 63kg: Henrique Rasputin x Ricardo Sattelmayer
  • 77kg: Uyran Presunto x Reginaldo Corvo
  • 61kg: Euclides Viana x Tiago Besourão
  • 77kg: Alessandro La Garça x Lucas Thulie

      CARD PRELIMINAR

  • 77kg: Rodrigo Snoopy x Júlio César Mello
  • 66kg: Marcão Aurélio x Diogo Sotero
  • 120kg: Eduardo Gigante x Denilson Carioca
  • 88kg: Willian Medeiros x Rodolfo Castelo
  • 57kg: Thiago Tubarão x Haruki Armoa (Paraguai)
  • 70kg: Wagner Mangaba x Murillo Trindade
  • 66kg: Kauã Sousa x Rhalber Bernardo
  • 66kg: Aleksander Costelinha x Fred Zechinni
  • 70kg: Maurício Ruffy x Lucas Stifler
  • 57kg: Nicolas Santos x Guilherme Reviravolta
  • 57kg: Alan Ozano x Caique Araujo
  • 66kg : Alex Capoeira x João Fernandes
FOTO: DIVULGAÇÃO/ASSESSORIA

Mesmo longe dos octógonos, a ex-campeã dos galos feminino Ronda Rousey segue com moral no UFC. A americana foi indicada ao Hall da Fama do Ultimate, neste sábado (09), durante o UFC 225, em Chicago nos Estados Unidos. A cerimonia que oficializará a entrada ao seleto grupo de lendas do esporte, será durante a semana internacional de lutas no dia 5 de julho.

O presidente da organização, Dana White, inicialmente não concordava com mulheres no plantel do Ultimate, entretanto, com performances avassaladoras, Ronda Rousey modificou a opinião do “manda-chuva”, que atualmente, é um fã incontestável da musa.

“Não haveria mulheres no UFC sem Ronda Rousey. Ronda é uma pioneira absoluta e que me ajudou – e a muitas outras pessoas – a olhar para as mulheres nos esportes de combate de maneira diferente. Ela realizou tudo o que se propôs a fazer com o UFC e se tornou um ícone global e modelo. Hoje, as divisões femininas estão repletas de lutadoras incrivelmente talentosas e produzem algumas das melhores lutas que você já viu”, relatou Dana White.

Leia também: Ronaldo Jacaré pede revanche contra Yoel Romero 

Em sua carreira no MMA, Ronda detém 12 vitórias e duas derrotas. A musa encerrou provisoriamente sua passagem pelas artes marciais mistas após emplacar dois revés seguidos, primeiramente, quando perdeu o cinturão após ser brutalmente nocauteada por Holly Holm no UFC 193 em novembro de 2015. Um pouco mais de um ano depois, Rousey voltou ao octógono, no UFC 207 quando novamente foi superada, dessa vez para a brasileira Amanda Nunes.

Atualmente, Ronda Rousey está na WWE, organização de telecath, onde os combates possui um enredo pré-determinado, onde existe uma roteirização e performances coreografadas.

FOTO: AP Photo/John Locher)

Neste sábado (09), acontece o UFC 225 diretamente da United Center, em Ilinois, Chicago nos Estados Unidos. O duelo principal, será entre o campeão Robert Whittaker diante do cubano Yoel Romero. O embate não valerá mais o cinturão dos médios, pois Romero não bateu o peso na pesagem oficial.

Na luta co-principal, Rafael dos Anjos encarou o falastrão Colby Covington. Em jogo, o cinturão interino dos meio-médios. Outro combate bastante aguardado, foi entre a ex-campeão dos galos Holly Holm contra a ex-campeão do Invicta FC, Megan Anderson.

RESULTADOS EM TEMPO REAL: 

CARD PRINCIPAL:
Peso-médio: Robert Whittaker venceu Yoel Romero por decisão dividida (48-47, 47-48, 48-47)
Peso-meio-médio: Colby Covington venceu Rafael dos Anjos por decisão unânime (49-46, 48-47, 48-47)
Peso-pena: Holly Holm venceu Megan Anderson por decisão unânime (30-27, 30-26, 30-26)
Peso-pesado: Tai Tuivasa venceu por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso-meio-médio: Mike Jackson venceu CM Punk por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-26)
CARD PRELIMINAR:
Peso-pesado: Curtis Blaydes venceu Alistair Overeem por nocaute técnico aos 2m56s do terceiro round
Peso-palha: Cláudia Gadelha venceu Carla Esparza por decisão dividida
Peso-pena: Mirsad Bektic venceu Ricardo Lamas por decisão dividida (29-28, 28-29, 30-27)
Peso-pesado: Chris de la Rocha venceu Rashad Coulter por nocaute técnico aos 3m53s do segundo round
Peso-meio-pesado:  Anthony Smith venceu Rashad Evans por nocaute aos 50 segundos do primeiro round
Peso-mosca: Sergio Pettis venceu Joseph Benavidez por decisão dividida (28-29, 28-29, 30-27)
Peso-leve: Charles do Bronx venceu Clay Guida por finalização as 2m18s do primeiro round
Peso-pena: Dan Ige venceu Mike Santiago por nocaute técnico aos 50s do primeiro round

A estrela do UFC Austrália, Bec Rawlings, provou que pode acertar com a mesma força sem luvas no primeiro card do Bare Knuckle Fighting Championship ( Foto Cortesia : Ron Chenoy, USA TODAY Sports; Associated Press ).

[ CHEYENNE, Wyoming, USA  ] – Como prova de que os combates de Bareknuckle Boxing ( popularmente conhecidos como ‘boxe sem luvas’ ou boxe com os ‘punhos nus’ ) ainda não morreram, David Feldman, um ex-boxeador profissional e também Presidente e CEO do Bare Knuckle Fighting Championship ( BKFC ) reuniu alguns nomes reconhecíveis- entre estes alguns veteranos do UFC e MMA- para o primeiro show permitido ( legalizado, sancionado e regulamentado ) nos EUA desde 1889.

Batizado de “BKFC 1: The Beginning”, o show foi realizado em uma localidade cuja elevação era de seis mil pés, mais precisamente no Cheyenne Ice & Events Center, em Cheyenne, Wyoming, no último Sábado ( 2 de Junho de 2018 ).

O BKFC parece estar capitalizando em cima da polêmica causada pela excessiva violência e brutalidade, tal como o UFC em seus primórdios. Mas assim como aconteceu com o Ultimate em suas primeiras edições, os promotores do BKFC também estão vendo a sua modalidade ser classificada como um “esporte sangrento” pela grande mídia.
Segundo alguns jornalistas, o ‘slogan’ se faz necessário, uma vez as lutas proporcionaram um verdadeiro banho de sangue entre os competidores.
Isso também acabou dividindo a opinião das 2.000 pessoas ( aproximadamente ) que foram prestigiar o  violento  espetáculo, o qual havia sido banido da ‘terra do Tio Sam’ desde o final do século XIX.

O Bare Knuckle FC 1 : “BKFC 1: The Beginning” trouxe 10 lutas sem o uso de luvas, onde os atletas usavam apenas ataduras que cobriam alguns centímetros abaixo dos nós dos dedos.
Outra particularidade do show é que diferentemente de outros eventos de pugilismo, o ringue de cordas tinha o formato circular.

Os competidores incluíam os veteranos do Ultimate Fighting Championship ( UFC ), Ricco “suave”  Rodriguez, Bec Rawlings, Johnny Bedford e Estevan Payan, bem como o veterano do Bareknuckle Boxing Bobby Gunn e o finalista do torneio do Bellator MMA, Eric Prindle.

Representante brasileiro na competição, Irineu Beato Costa Jr. pegou de cara o lendário Bobby Gunn, que segue invicto no ‘boxe sem luvas’ e ostenta agora um cartel de  72-0 na modalidade.
O boxeador paulista foi derrotado por KO depois que Gunn o acertou com um gancho de esquerda ao corpo.
A luta  provocou alguma controvérsia online, já que o golpe não apareceu no ângulo da transmissão pelo pay-per-view e uma vez que Gunn se conectou com a cabeça de Irineu Beato Costa Jr. antes de deixá-lo cair.
Essa foi uma das mais estranhas vitorias na carreira de Bobby Gunn, segundo a mídia especializada norte-americana.

Destaque para a luta de Ricco Rodriguez, ex-campeão dos pesos-pesados do UFC que venceu Lewis Rumsey por decisão unânime após cinco rounds de intensa troca de golpes.

Outro veterano do UFC Joey Beltran enfrentou Tony Lopez, um lutador de MMA com quase 90 lutas, e venceu por decisão unânime após uma luta bastante sangrenta.

Entre as mulheres, a australiana Bec Rawlings – destaque do UFC realizado em seu país –   conquistou uma vitória por TKO sobre Alma Garcia no segundo round, após dominar a disputa com um justo jogo de clinche e diversos uppers aplicados ao estilo ‘dirty boxing’ : bater com uma mão enquanto dominava o pescoço.

Na luta que proporcionou o desfecho mais brutal da noite, Eric Prindle , do Bellator, foi nocauteado em apenas 18 segundos por Sam Shewmaker.

Confira abaixo os resultados do  “BKFC 1: The Beginning” que incluem :

Ricco Rodriguez venceu Lewis Rumsey por decisão unânime (50-45, 50-45, 48-47)

Joey Beltran venceu Tony Lopez por decisão unânime (49-45, 49-45, 49-46)

Bec Rawlings venceu Alma Garcia por TKO (paralisação do médico) – Round 2, 2:00

Sam Shewmaker venceu Eric Prindle por nocaute – Round 1, 0:18

Bobby Gunn venceu Irineu Beato Costa Jr. por nocaute – Round 1, 0:41

Johnny Bedford venceu Nick Mamalis por TKO – Round 2, 1:41

Reggie Barnett venceu Travis Thompson por decisão unânime (50-45, 50-45, 50-45)

Maurice Jackson venceu Dale Sopi por TKO – Round 1, 1:10

Estevan Payan venceu Omar Avelar por nocaute – Round 1, 1:57

Arnold Adams venceu D.J. Linderman por TKO (paralisação do médico) – Round 2, 2:00

O charme das Ring Girls anunciadoras das lutas do “BKFC 1: The Beginning” ( Foto Cortesia : Ron Chenoy, USA TODAY Sports – Associated Press ).
Lutadores brigam após interrupção médica no Imortal FC 9

Ontem (02) aconteceu a nona edição do evento nacional de MMA, o Imortal FC, em São Luis, no Estado do Maranhão. Porém, infelizmente, não foi só a realização do evento que chamou atenção, e sim a indisciplina de dois lutadores.

O duelo de peso galo entre Walter “Aires” Neto e João “Alicate” Elias, transformou-se em briga logo após a luta.  Ainda no primeiro round, quando Walter ”Aires” tentava aplicar uma chave de perna em seu adversário, o juiz interrompeu para uma avaliação médica.

Leia mais
Recém demitido, Yair Rodriguez é recontratado pelo UFC
Fabrício Werdum falha em exame antidoping da USADA

Os lutadores não deram a mínima para a interrupção e começaram um show de horrores no Imortal FC 9. Walter “Aires” Neto e João “Alicate” brigaram, literalmente, dentro do cage. O árbitro tentou a todo custo separar a briga, mas fui quase que inútil e pancadaria rolou solta.

Até então o Imortal FC não se pronunciou publicamente sobre a posição do evento sobre o ocorrido. O combate de Walter “Aires” Neto e João “Alicate” foi declarado como um ‘no contest’.

Vídeo dos lutadores do Imortal FC brigando após interrupção do juiz.

Conforme noticiou inicialmente o site “MMA Brasil”, a brasileira Bethe Pitbull irá enfrentar a mexicana Irene Aldana no UFC 227, pela categoria dos galos.

Em busca de recuperar a melhor fase, Bethe Correia vai em busca de recuperação. Após perder para Ronda Rousey no UFC 190 em 2015, a paraibana novamente foi derrotada, dessa vez para Raquel Pennington no UFC On Fox 19. Em seguida, se recuperou depois de derrotar Jessica Eye por decisão dividida no UFC 203.

Leia também: Gilbert Durinho encara Dan Hooke no UFC 226

Bethe voltou ao octógono no UFC Fight Night 106, em março de 2017 contra Marion Renau. Na ocasião, o duelo foi declarado empate majoritário. Três meses depois, a brasileira novamente foi superada, dessa vez para Holly Holm com um espetacular nocaute no UFC Fight Night 111.

Após emplacar duas derrotas no Ultimate, Irene Aldana ressurgiu na organização após vencer a brasileira Talita Bernardo por decisão unânime no UFC Fight Night 124. Em sua carreira, a mexicana detém oito vitórias e quatro derrotas.

O UFC 227 será realizado em Los Angeles, Califórnia nos Estados Unidos no dia 4 de agosto.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO:

CARD PRINCIPAL:
Peso-leve: Georges St-Pierre x Nate Diaz *Não oficializado
Peso-galo: TJ Dillashaw x Cody Garbrandt
Peso-pena: Cub Swanson x Renato Moicano *Não oficializado
CARD PRELIMINAR:
Peso-médio: Derek Brunson x Antônio Cara de Sapato
Peso-galo: Pedro Munhoz x Alejandro Perez
Peso-mosca: Polyana Viana x JJ Aldrich
Peso-galo: Benito Lopez x Ricky Simon
Peso-galo: Ricardo Carcacinha x Kyung Ho Kang
Peso-palha: Danielle Taylor x Weili Zhang
Peso-pena: Wuliji Buren x Bharat Khandare
Peso-galo: Bethe Correia x Irene Aldana

Peso leve Mauricio “Bad Boy”, está de luta marcada no Shooto. Criado em 1985, o Shooto  é o pai do MMA japonês. A mais antiga franquia da modalidade na era moderna continua em atividade até os dias atuais.

Foi o Shooto Japan que, ainda em 1994, promoveu o Vale Tudo Japan Open, torneio eliminatório que marcou a vitoriosa estreia de Rickson Gracie na terra do Sol Nascente.

No inicio dos anos 2000, o Shooto tinha avançado com seus planos de expansão e já estava implantado nos EUA, Finlândia, Austrália, Holanda, Noruega, Alemanha, Inglaterra e Brasil.

A franquia iniciou as suas atividades em nosso país no início de 2003 e após nove edições do Shooto Brasil com “Z” os então promotores Alexandre ‘Pequeno’ Nogueira e seu sócio Toniko Júnior saíram de cena para dar vez aos novos produtores nacionais.

Leia mais:
Confira todos os salários do UFC 224
Confira a lista das suspensões médicas do UFC 224
Yair Rodriguez é demitido do UFC após rejeitar lutas

Contudo, poucos sabem que  um acontecimento no ‘basckstage’ quase impediu a promoção de ir adiante em território nacional.

Alexandre ‘Pequeno’ teve que devolver o cinturão de sete vezes campeão mundial do Shooto, caso contrário os dirigentes japoneses vetariam a participação de atletas brasileiros no Japão e o novo representante da franquia no Brasil sequer produziria um próximo show.

Sediada na redação da conceituada revista Tatame, a devolução do artefato por pouco não arrancou lágrimas de ‘Pequeno’ que desabafou : “Estou devolvendo o cinturão com o coração partido”.

Na sequência, o ex-rei do Shooto assinou contrato com o K-1 Hero’s, braço de MMA do mais famoso show de ‘trocação’ do Japão, à época.

Já o escolhido para a função de novo presidente da entidade no Brasil, André Pederneiras, produziu seu primeiro show no dia 2 de Dezembro de 2006 e marcou uma nova fase do Shooto Brasil com “S”.

Com a experiência de quem já havia viajado várias vezes ao Japão anteriormente, Pederneiras iniciou a nova fase da franquia em nosso país e que perdura até os dias de hoje. A proposta do Shooto Brasil é ranquear os lutadores brasileiros e levar os melhores colocados para lutar no Japão.

Atualmente, quem está empolgado com a possibilidade de lutar na terra do Sol Nascente é o atleta Mauricio “Bad Boy” Machado,  da equipe Ghetto Diamond, uma vez que ele foi escalado para lutar na próxima edição do Shooto Brasil, que acontece no dia 26 de Maio na Upper Arena, Rio de Janeiro, e que terá transmissão ao vivo pelo canal Combate.

O lutador é morador e tem um projeto social com aulas gratuitas de artes marciais na comunidade Chico Mendes, em Florianópolis-SC. Ele tem uma história de vida de quem se livrou das drogas e do crime para continuar sonhando em viver da luta.

Maurício tem um cartel com 32 lutas, sendo 21 vitórias e 11 derrotas. O lutador vem de 4 vitórias seguidas no primeiro round e já lutou também em vários eventos internacionais, entre eles, o terceiro maior evento do mundo, o ACB na Rússia e o OFS MMA na Europa.

O adversário de Mauricio “Bad Boy” será Hacran Dias, que tem 23 vitórias, 6 derrotas e 1 empate. Hacran é pupilo de André Pederneiras ( também líder da equipe Nova União, além de produtor do Shooto Brasil ) e foi demitido recentemente do UFC.

Será uma luta dura, em que Mauricio “Bad Boy”  é o azarão e visto como uma “escada” para o rival, mas que também pode significar uma vitória épica na carreira do catarinense, que trabalha como vigilante.

Porém, com pouco apoio, ele precisa realizar exames médicos para que possa participar do evento, como ressonância magnética do crânio, angiorresonância arterial do crânio, oftalmológico, físico, hepatite e hemograma, que custam perto de R$ 1 mil.

Para colaborar com  Mauricio “Bad Boy”:
Quem puder ajudar, seja financeiramente ou conseguindo os exames, pode entrar em contato no ( 48 ) 98456-5980 ou ( 41 ) 9869-3714 ( WhatsApp ), que ele colocará o apoio no banner que levará para a luta.

Pela primeira vez na história, o Ultimate aterrissa toda sua estrutura neste sábado (19) na cidade de Santiago no Chile, para o UFC Fight Night 129. O evento foi realizado na Movistar Arena.

Na luta principal, o brasileiro Demian Maia foi superado pelo nigeriano Kamaru Usman por decisão unânime dos juízes laterais. Além de Demian, mais cinco brasileiros estiveram no card: Vicente Luque, Michel Trator, Alexandre Pantoja, Poliana Botelho e Felipe Silva.

RESULTADOS EM TEMPO REAL: 

CARD PRINCIPAL:
Peso-meio-médio: Kamaru Usman venceu Demian por decisão unânime (50-45, 49-46, 49-46)
Peso-palha: Tatiana Suarez venceu Alexa Grasso por finalização (mata-leão) aos 2m44s do primeiro round
Peso-meio-pesado: Dominick Reyes venceu Jared Cannonier por nocaute técnico (socos) sos 2m55s do primeiro round
Peso-galo: Guido Cannetti venceu Diego Rivas por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso-mosca: Andrea Lee venceu Veronica Macedo por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Peso meio-médio: Vicente Luque venceu Chad Laprise por nocaute técnico (socos) aos 4m16s do primeiro round
CARD PRELIMINAR:
Peso-meio-médio: Michel Trator venceu Zak Cummings por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Peso-mosca: Alexandre Pantoja venceu Brandon Moreno por decisão unânime 30-26, 30-26, 29-27)
Peso-palha: Poliana Botelho venceu Syuri Kondo por nocaute técnico (socos) aos 33 segundos do primeiro round
Peso-pena: Gabriel Benítez venceu Humberto Bandenay por nocaute aos 39 segundos do primeiro round
Peso-pena: Enrique Barzola venceu Brandon Davis por decisão unânime (30-27, 30-26, 30-26)
Peso-galo: Frankie Saenz venceu Henry Briones por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26)
Peso-leve: Claudio Puelles venceu Felipe Silva por finalização aos 2m23s do terceiro round

As principais notícias do esporte

que mais cresce no mundo, em

um só lugar. 

Contate-nos:  contato@tudosobremma.com

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs