Antônio “Bigfoot” faz acordo com UFC e não pertence mais a organização

0

Depois de 4 anos, Antônio “Bigfoot” deixa o UFC


Foto: Josh Hedges/ Zuffa LLC
O paraibano Antônio “Bigfoot” Silva não faz mais parte do rol gigante de atletas do UFC. O lutador brasileiro fez uma conversa amigável com a direção da organização, ficou decidido que o melhor para ambas as partes seria o desligamento do mesmo.
Segundo o site Combate.com, “Bigfoot” já está até em negociação com outras organizações de MMA, porém afirmou que não existe nada pactuado até o presente momento. Em conversa com o empresário do lutador, este confirmou a saída do lutador da maior organização de MMA do mundo, também afirmou que foi uma decisão de comum acordo entre o atleta e o Ultimate. O empresário ainda agradeceu a organização e engrandeceu o seu atleta, garantiu a existência de propostas de outros eventos e, atribuiu a queda de rendimento de Pesão a chegada da USADA.

– A participação do Pezão no UFC chegou ao fim. Ele fez grandes lutas, outras nem tão boas, mas ele é um grande atleta, um dos grandes nomes do MMA mundial e foi uma decisão de comum acordo. O UFC entendeu a nossa posição e, como já estava no fim do contrato, eles poderiam ter segurado para não dixá-lo ir para outro evento, mas não fizeram isso. Somos gratos a eles por isso, e acho que ainda fará grandes lutas. Já tem vários eventos interessados nele. O Pezão sofreu um prejuízo muito grande com a vinda da USADA (Agência de controle de dopagem dos EUA) porque ele foi impedido de fazer o TRT. O Pezão tem testosterona baixa crônica, por isso ele lutava contra atletas que tinham uma vantagem injusta sobre ele. Agora isso poderá vir a mudar. A vida continua, ele vai continuar lutando e acho que ele vai ganhar ainda mais do que ganhava no UFC e continuará a ser uma estrela – disse Alex Davis, empresário do lutador.
Antônio Silva está com 37 anos, está no UFC desde 2012, com apenas três vitórias e um empate das onze lutas que fez pelo Ultimate. “Bigfoot” ainda vêm de 3 derrotas consecutivas e  ambas por nocaute, sendo a mais recente para Roy Nelson no UFC Brasília.



Deixe uma resposta