Cris Cyborg ignora luta contra Amanda Nunes: “Ela não faz parte do peso-pena”

1

Após o presidente Dana White afirmar que o duelo entre as brasileiras Cris Cyborg e Amanda Nunes deverá acontecer em breve, a campeã peso-pena Cris Cyborg, tratou de negar o possível embate entre as campeãs.

Na entrevista, a curitibana alegou que o ranking dos penas deverá ser respeitado, e que uma luta diante da campeã dos galos Amanda Nunes não acrescentará em nada no crescimento da divisão dos penas.

“Essa luta pode acontecer esse ano como superluta no peso-pena? Pode, mas pra quê? Para quê ter um cinturão de uma categoria se eu não luto com lutadoras dessa categoria? Temos que respeitar o ranking! No momento, não muda nada na minha carreira lutar com a Amanda. Ela não faz parte do peso-pena. Quero que o UFC invista na minha categoria. Tudo o que fiz até hoje foi para que essa categoria existisse. Tive que fazer duas lutas casadas, mostrar todo o sacrifício que era bater o peso para que eles abrissem a minha categoria. Agora está na hora do UFC dar mais profundidade pra essa divisão… Não vou abdicar dos meus objetivos e não faço isso por dinheiro, mas porque quero ver o esporte crescer. Prometeram investir na minha categoria e estou cobrando isso”.

Cris Cyborg também relembrou que até o momento não enfrentou nenhuma oponente originalmente da divisão dos penas, e sim em peso-casado e super-lutas.

Leia também: Francisco Massaranduba enfrentará James Vick no UFC Austin

“Já fiz quatro “superlutas” até aqui. Tirando a Lina Lansberg, nenhuma dessas garotas vinha ou havia lutado no peso-pena. A Holly só tinha feito a disputa de cinturão contra a Germaine, mas não teve uma carreira no peso-pena…Por isso, eu posso até lutar com a Amanda, mas depois que investirem na minha categoria. Na verdade, se a Amanda quer subir de categoria, eu gostaria que ela ajudasse a categoria a se desenvolver. Então, que ela fizesse uma luta no peso-pena primeiro, porque isso a ajudaria a se estabelecer como uma desafiante na divisão. Como campeã, é importante enfrentar a verdadeira desafiante número um. É isso que difere o esporte do entretenimento, por isso me sinto na obrigação de que a minha próxima adversária seja alguém ranqueada no meu peso. Se eu não fizer isso, minha categoria nunca vai crescer e esse é o meu principal objetivo”.

Aos 32 anos, Cris Cyborg é sem dúvidas uma das maiores lutadoras da história do MMA feminino. Em seu cartel profissional, a brasileira detém incríveis 19 vitórias (sendo 16 por nocaute ou nocaute técnico) e apenas uma derrota. Em sua vitoriosa carreira, Cyborg possui passagens e títulos pelo extinto Strikeforce e Invicta FC.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta