Tag: artes marciais mistas

Exclusiva: Gilliard Paraná fala sobre equipe, último revés de Jéssica e recuperação de Priscila Pedrita

Após conversar com Jéssica Andrade, a Tudo Sobre MMA entrevistou com Exclusividade Gilliard Paraná, líder da Paraná Vale-Tudo. O responsável pelo camp da ‘Bate-Estaca’, Priscila Pedrita e outras várias jóias do MMA falou sobre sua equipe promissora. Além disso,  o mestre contou da estratégia para o UFC 228, comentou sobre o revés de Jéssica Andrade frente a Joanna e deu boas notícias sobre a recuperação de Pedrita.

A Paraná Vale-Tudo vem se destacando em escala nacional e internacional. A equipe de Gilliard Paraná vem vencendo inúmeras competições e consagrando novos atletas. Como treinador, fez questão de ressaltar a força do seu time citando nomes de peso na atualidade.

— Nos últimos anos, estamos nos destacando bastante com nosso time feminino. As nossas últimas maiores conquistas, é a possibilidade da Jéssica Andrade disputar um cinturão novamente, a inserção da Priscila Pedrita no UFC também é algo muito valioso também. A Jéssica Delboni, tem um cartel 7-0, vai estrear no Invicta FC agora, e a Maria de Oliveira que luta agora dia 9 de agosto em Las Vegas. A Maria de Oliveira foi semi-finalista do Rizin, lá no Japão, agora tem uma nova oportunidade no evento do Dana White (Contender Series).- Disse o treinador.

Como de praxe, uma equipe que faz frente em campeonato é, geralmente, celeiro de novos atletas. Além de destacar os nomes já consagrados, enfatizou também os nomes dos candidatos a astros das artes marciais vindos da PRVT. Além disso, destacou que sua equipe, mesmo competindo em modalidades especificas, tem como foco o MMA.

— Nós lutamos em todas as modalidades, mas nosso foco é no MMA. Mesmo quando vamos lutar só Jiu-Jitsu ou boxe, não ficamos só treinando um ou outro. Seguimos treinando MMA e competimos modalidades especificas. A Paraná Vale-Tudo tem agora uma safra boa para os próximos anos, como Vinicius ‘Sorriso’ (8-1), temos Kethelin ‘Poncahontas’, menina de 19 anos que já vem se destacando. Clarisse Aquiles, tem 19 anos, já lutou Muay Thai 16 vezes e venceu todas, inclusive na Tailândia, estreou agora com vitória no MMA. – Completou Gilliard.

Leia também
Vitor Miranda é demitido do UFC
Georges St. Pierre sinaliza retorno contra o vencedor de Khabib x Conor
Bellator divulga chaveamento de torneio dos meio-médios

Em uma análise do combate de Jéssica Andrade contra Karolina Kowalkiewicz, Gilliard Paraná fez uma projeção bastante ousada. Assim como a lutadora confirmou que ia apostar na luta em pé, o treinador reafirmou o foco para o nocaute. Essa luta acontecerá no dia 8 de setembro, no UFC 228, em Dallas, Texas, nos Estados Unidos.

— Nos já estamos com a luta fechada contra a Karoline, vamos lutar em setembro no UFC 228. Vamos para essa luta para nocautear, não temos plano de finalizar, queremos o nocaute. Testar a Jéssica Andrade na área da adversária. Claro que se durante a luta, ficar ruim para Jéssica, aí vamos tentar colocar a luta para baixo, as a ideia realmente é nocautear. – Declarou o mestre.

Gilliard Paraná também analisou o último revés da Jéssica Andrade, que foi frente a Joanna Jędrzejczyk na disputa pelo cinturão. O treinador declarou que Jéssica lesionou-se semanas antes da luta e que ficaram apreensivos pela primeira luta de cinco rounds dela. Além disso, o líder da Paraná Vale-Tudo contou que em uma revanche, a luta séria bastante diferente.

— Na Luta da Jéssica com a Joanna, não é dando desculpas, mas ela se machucou nas últimas semanas (lesão na clavícula). Sendo outra atleta, nem iria lutar, mas nós mesmo assim fomos lá lutar, mesmo lesionada. Era a primeira vez que lutávamos cinco rounds, ficamos apreensivos, nos primeiros rounds, eu falei para ela ir com calma. Mas não é característica da Jéssica lutar com calma, então isso atrapalhou um pouco, não conseguimos o que queríamos fazer. Numa nova luta conta a Joanna, se acontecer, agora temos certeza que Jessica aguenta os cinco rounds, se Deus quiser, no camp não haverá lesão nenhuma e com certeza será outra luta. Podemos até não ganhar, mas pode ter certeza que a luta será outra. – Explicou Gilliard.

Em caso de vitória sobre Karolina Kowalkiewicz, Jéssica Andrade fica muito próxima de uma nova disputa de cinturão. Gilliard Paraná analisou uma provável luta contra Rose Namajunas, atual campeã do peso palha.

— Contra a Rose Namajunas, o ponto forte da Jéssica para esse combate seria a parte de Grappling. Botar para baixo e tentar finalizar, vejo uma luta mais dessa forma. – Garantiu o treinador.

Já finalizando, o treinador falou sobre a recuperação de Priscila Pedrita. As suspeitas era para que ela não lutasse mais no ano de 2018 após lesão no joelho. Mas em entrevista para o Tudo Sobre MMA, confirmou que deveria voltar ainda este ano. Foi exatamente o que confirmou Gilliard Paraná, dando boas notícias sobre a recuperação da atleta.

— Em relação a Pedrita, ela está com uma recuperação muito boa, já esta começando a treinar. A previsão para ela voltar a lutar é o final deste ano. Vamos tentar uma luta para ela em dezembro de 2018 e, se tudo continuar dando certo, ela deve retornar ainda esse ano. – Encerrou o líder da PRVT.

Foto: Mike Roach/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Exclusiva: Jéssica Andrade fala sobre cinturão e revanche contra Joanna

A brasileira Jéssica Andrade, conhecida também por ‘bate-estaca’ está de luta marcada para o UFC 228 (ver card). Sua adversária para o dia 8 de setembro, será a polonesa Karolina Kowalkiewicz, quarta colocada do Ranking. Essa edição do Ultimate Fighter Championship acontecerá em Dallas, no Texas, Estados Unidos.

Entrevista exclusiva de Jéssica Andrade para o TUDO SOBRE MMA na integra:

Jéssica Andrade fez sua última luta em fevereiro deste ano, quando venceu Tecia Torres, somando sua segunda vitória consecutiva. Para enfrentar Karolina, a ‘bate-estaca’ contou sua expectativa para a luta. Além disso, declarou que não irá se preservar para uma luta segura, a fim de engrenar sua terceira vitória, mas sim, apostará no seu jogo em pé.

— Minha expectativa é para uma luta muito boa. Quero apostar na luta em pé, a Karolina é do Muay Thai e, vou testar o meu jogo em pé com ela.  Kowalkiewicz é uma grande adversária e eu quero lutar com as melhores da categoria, estou treinando muito duro, e vou em busca de um nocaute. – Disse a brasileira.

A representante da Paraná Vale-Tudo não se esquivou de falar da sua algoz Joanna Jędrzejczyk. A polonesa venceu Jéssica ‘Bate-estaca’ no UFC 211, quando ainda era campeã dominante do peso palha do Ultimate. A brasileira declarou que cresceu muito após o revés e deixou em aberto uma possível revanche, mas somente valendo o cinturão.

— A minha derrota contra a Joanna me fez crescer muito como ser humano e como profissional. Eu procurei evoluir em muitos quesitos e mostrei ao mundo todo minha evolução na luta contra Claudia Gadelha no Japão, no momento Joanna vem de 2 derrotas e 1 vitória, ganhou a Tecia Torres que eu também venci na minha última luta, então pretendo sim ter uma revanche, mas somente pelo título, quem sabe uma futura disputa de cinturão, isso pode acontecer sim.

Leia também
O Vale Tudo está de volta à São Paulo com o novo “Rio Heroes”
Khabib Nurmagomedov defende cinturão contra Conor McGregor no UFC 229
McGregor exalta vitória de José Aldo: “Muito feliz por ele”

Normalmente, o objetivos dos atletas é sempre o cinturão, e com a Jessica Andrade não é diferente. Ela já lutou 13 vezes no UFC e venceu 10, é a atual segunda colocada no ranking das palhas. Somando isso ao fato de nunca ter enfrentado Rose Namajunas e vir de duas vitórias, o credenciamento ao título parece ser realidade.

— Na verdade, atualmente só me falta lutar com a Karolina dentro das posições do ranking. Então vamos lá, lutarei com a Karolina e estou credenciada para uma nova disputa de cinturão contra Rose Namajunas.

Em uma projeção para sua carreira, Jéssica ‘Bate-Estaca’ Andrade mostrou otimismo para os próximos anos. A atleta da Paraná Vale-Tudo quer estar como campeã e já defendendo seu título em dois anos.

— Almejo daqui a 2 anos estar como campeã do UFC mantendo meu cinturão e defendendo ele, sendo uma grande representante da luta feminina no Brasil, e com meu time PRVT girls em grande destaque no cenário nacional e internacional.

Para finalizar, Jéssica Andrade declarou não ter planos para mudar de divisão. A lutadora começou na divisão dos galos, mas ressaltou que sua decisão de descer, tomada junto com seu treinador, foi acertada.

— Eu entrei no UFC lutando na categoria de cima (até 61kg), fiz grandes lutas, e uma das melhores escolhas da minha vida junto com meu Mestre Paraná foi descer para a categoria dos palhas (até 52kg) hoje eu luto com meninas do mesmo tamanho que eu e não encontro tanta dificuldade, faço minha dieta tranquila e com treinos consigo bater o peso super bem. Então, não nenhum pretensão nenhuma de mudar minha categoria, pois realmente me encontrei nessa categoria. A única pretensão que tenho é conquistar o cinturão e me manter com ele um bom tempo.

Carreira de Jéssica Andrade

Aos 26 anos de idade, Jéssica ‘Bate-Estaca’ Andrade é mais um destaque da geração de ouro da Paraná Vale-Tudo. É uma atleta versátil, tendo diversas vitórias tanto finalizando como nocauteando.

Jéssica luta MMA profissionalmente desde o ano de 2011. De lá para cá, fez 24 combates, saindo como vencedora em 18 oportunidades e tendo 6 revezes. Seu cartel dentro do UFC, como já dito, é de 13 lutas, tendo vencido 10 vezes. Jéssica chegou disputar o cinturão, mas foi derrotada por decisão unânime dos árbitros. Atualmente, vem de duas vitórias consecutivas.

Foto: Esther Lin, MMA Fighting.

TJ Dillashaw nocauteia Cody Garbrandt no UFC 227

A luta principal do histórico UFC 227 não poderia ser outro, senão a revanche entre TJ Dillashaw x Cody Garbrandt. Luta válida pelo cinturão da divisão peso-galo, entre dois grandes rivais e ex-colegas de academia que tomaram caminhos opostos. Essa é a segunda batalha entre os citados no UFC, na primeira ocasião, Dillashaw venceu e tomou o cinturão de Garbrandt.

Leia mais
Henry Cejudo vence Demetrious Johnson por decisão dividida
Renato Moicano finaliza Cub Swanson no UFC 227
Todos os resultados do UFC 227

O primeiro a golpear foi  TJ Dillashaw, com um chute baixo, que logo foi respondido por Cody Garbrandt. O combate seguiu frenético com a trocação franca no centro do octógono. Em uma tentativa de chute do  TJ Dillashaw , Cody Garbrandt encurtou, conectou bons golpes no frontal do campeão, mas no contragolpe, o desafiante sofreu um knowkdown.

TJ Dillashaw viu ali o caminho das pedras e golpeou duramente a têmpora do Cody Garbrandt. O desafiante não conseguia absolver os golpes contundentes e frequentes, e ficou no piloto automático.

O árbitro central ainda esperou o Cody Garbrandt  se recuperar, mas TJ Dillashaw não dava brechas para isso, forçando ao Herb Dean a encerrar o combate. Com isso, o TJ segue como atual campeão do peso galo da maior organização de MMA do mundo.

Foto: Jeff Bottari / Zuffa LLC / Zuffa LLC via Getty Images

[GIF] Henry Cejudo vence Demetrious Johnson por decisão dividida

A histórica edição do UFC 227, teve como co-evento principal uma revanche, o primeiro reencontro das duas revanches pelo cinturão. Estava em jogo o cinturão do peso-mosca. O incansável Demetrious Johnson enfrentando pela segunda vez Henry Cejudo.

Leia mais

A luta começou movimentada, mas sem nenhum dos atletas se exporem. Mas logo no primeiro minuto, o Henry Cejudo acusou uma lesão no pé esquerdo, mas não entregou os pontos. O Demetrious Johnson, como sempre, caminhando para frente, golpeando mais e com mais contundência. Cejudo aparentemente se recuperou da lesão, esboçou reação no último minuto, mas mesmo assim, não recuperou o primeiro assalto, que foi claramente para o campeão.

O segundo assalto voltou numa proposta diferente,  os atletas chegaram a se agarrar na grade por início, mas logo voltaram ao centro do octógono para trocação. Henry Cejudo melhorou para esse round, golpeou mais que no anterior, bons chutes, socos que tocaram o frontal do campeão etc. No último minuto, o desafiante surpreendeu, aplicou a queda, deixando o campão de costas no chão. Lutando em casa, a luta seguiu no solo até o fim, empatando a luta por pontos. Um round para cada.

O combate seguiu com o ritmo acelerado, com ambos os lutadores se tocando concomitantemente. Henry Cejudo tentou nova queda, mas agora mais ligado, Demetrious Johnson e defendeu bem. A luta seguiu sendo trabalhada no centro, com muita movimentação. Já no último minuto, o Cejudo agarrou, chegou a quedar o campeão, mas DJ não aceitou a queda, logo voltou de pé. O mesmo aconteceu alguns segundos depois novamente. Demetrious venceu mais um round.

Para o quarto round, Cejudo aparentava estar mais cansado, enquanto Demetrious Johnson continuava no mesmo ritmo. O desafiante tentava encurralar o campeão, que rechaçava a aproximação. Na metade do round,  o Henry Cejudo conseguiu nova queda que colou DJ de costas no chão. Trabalhando por cima, o desafiante golpeou bastante de cima para baixo, empatando a luta nos pontos.

Para o quinto, último e decisivo round começou de maneira mais conservadora. A trocação seguia parelha no centro do octógono, com Demetrious golpeando e saindo, sem sequencia. Enquanto isso, Cejudo trabalhava no contragolpe. Na segunda metade do assalto, o desafiante investiu na pegada para tentar nova queda, e conseguiu, mas rapidamente a luta volta de pé. O round morno poderia dar para qualquer um dos dois, ficando a tensão para os árbitros laterais.

Na soma das papeletas dos árbitros laterais, veio a confirmação. Demetrious Johnson foi destronado e Henry Cejudo é o novo campeão dos moscas do UFC por decisão dividida.

Carreira de Demetrious Johnson e Henry Cejudo

Aos 31 anos de idade, Demetrious Johnson é o recordista em defesas de cinturão dentro da maior organização do mundo. Como profissional de MMA desde o ano de 2007 , fez 31 combates. Demetrious venceu 27 vezes, foi derrotado em 3 ocasiões e tem um empate.

Também americano e também de 31 anos, Henry Cejudo luta profissionalmente MMA desde o ano de 2013. Em seu cartel, tem 15 lutas, tendo vencido 13 vezes e perdido em 2 ocasiões. Agora entra para a história como o primeiro a tomar cinturão de Demetrious Johnson.

Gif: Momento da luta de Demetrious Johnson e Henry Cejudo

 

Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

[GIF] Renato Moicano finaliza Cub Swanson no UFC 227

A terceira luta mais importante da noite do UFC 227 foi o duelo de peso-pena entre Cub Swanson x Renato Moicano. Vindo de duas derrotas, o americano tentou frente ao brasileiro, voltar a respirar na organização. Já Moicano, foi para o octógono para tentar abrir mais uma sequencia de vitórias em sua carreira.

Leia mais:

O Cub Swanson começou conectando os primeiros chutes baixos, mostrando a que veio, mas foi respondido prontamente pelo brasileiro. Renato Moicano soltou alguns socos que foram de encontro do frontal do americano, mas de igual forma, os golpes eram respondidos. A luta seguia ativa, trocação no centro do octógono, sem ninguém se arriscar. Na altura da metade do round, Renato Moicano conectou um ótimo jab de esquerda, somou seu primeiro knockdown.

Daí em diante, viu-se uma verdadeira blitz do brasileiro frente ao americano. Renato Moicano castigou o Cub Swanson que aguentava os duros socos até então. Vendo a brecha aberta, o brasileiro foi para as costas, encaixou os ganchos e logo em seguida ajustou o estrangulamento.

Vencendo brilhantemente com essa finalização no primeiro round, Renato Moicano ganha muita moral na organização e, deve subir algumas posições no ranking.

Na entrevista ainda dentro do octógono, o brasileiro pediu revanche para Brian Ortega, seu único algoz.

Carreira de Cub Swanson e Renato Moicano

O americano, mais experiente, com 34 anos, é profissional de MMA desde o ano de 2004. Atual quinto colocado no ranking do UFC, Cub Swanson fez 35 lutas como lutador de MMA, tendo vencido 25 e saindo como derrotado em outras 10 lutas.

Enquanto isso, o brasileiro Renato Moicano tem seus 29 anos de idade, e luta profissionalmente MMA desde o ano de 2010. Em seu cartel, possui 15 lutas. Moicano venceu 13, perdeu apenas uma e um empate. Até o presente momento, ele é o 10º colocado do ranking do médios.

GIF do knockdown de Renato Moicano

Foto: Jeff Bottari / Zuffa LLC / Zuffa LLC via Getty Images

Anderson Silva mira Nick Diaz mas deixa confronto contra GSP em aberto

 

Mesmo suspenso pela USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos), Anderson Silva está satisfeito com os resultados de seus exames. Isso se deve pelo fato de não ter sido apontado na coleta, o uso de anabolizantes ou qualquer outra droga para melhorar performance.

Com isso, Anderson Silva já estará liberado para lutar no mês de novembro. Por esse fato, muito se fala em qual seria o nome para enfrentar ‘The Spider’ nesse retorno ao octógono do UFC.

LEIA MAIS
– ANDERSON SILVA RECEBE SUSPENSÃO DE UM ANO E PODE VOLTAR EM NOVEMBRO
– DANIEL CORMIER AFIRMA QUE BROCK LESNAR SERÁ SEU ÚLTIMO ADVERSÁRIO NA CARREIRA
– DANIEL CORMIER QUER DEFENDER CINTURÃO DOS MEIO-PESADOS CONTRA MAURICIO SHOGUN

Em conversa com o portal americano ‘MMA Figthing‘, Anderson Silva deixou aberto a possibilidade para enfrentar Georges St-Pierre. Esse combate entre o ‘Spider e GSP foi muito cotada, na época que ambos eram campeões de suas respectivas divisões, em 2011.

— Tudo é possível no UFC. Eu acho que as decisões têm que ser tomadas no momento certo. Se não lutarmos, é porque realmente isso não deveria acontecer. Acho que ele teve uma boa estratégia, fez uma boa luta. Ambos são grandes lutadores – Disse Anderson Silva, lembrando da luta de GSP contra Bisping.

Já em outra oportunidade, agora em entrevista para o portal ‘Combate.com‘, Anderson declarou não ter ninguém em mente. O brasileiro nunca foi de estar desafiando oponentes, mas segundo o mesmo, uma revanche contra Nick Diaz faria sentido nesse momento.

— Nunca tive essa coisa de falar com quem eu gostaria ou com quem não gostaria (de lutar), acho que a única pessoa que falei em algum momento que gostaria de lutar, de me testar, foi com McGregor, mas acredito que ele não bata 83kg (no peso-médio). Não tenho ninguém em mente, nunca tive essa pretensão de desafiar ninguém. Agora é aguardar. Uma luta que provavelmente seria interessante de ver seria eu e o Nick Diaz novamente, porque aquela luta deu “no contest”. Mas não depende de mim, depende do Nick, do UFC, de muitas outras coisas envolvidas – Declarou o brasileiro.

A luta entre Silva x Diaz aconteceu na Edição 183 do UFC, em 2015. Na ocasião, o brasileiro teve o seu braço erguido no final do combate por decisão unânime dos juízes laterais. Posteriormente, a USADA pegou Anderson Silva nos exames e reverteu o resultado para ‘No Contest’.

CARREIRA DE ANDERSON SILVA

Aos 43 anos de idade, Anderson Silva não luta desde fevereiro de 2017 quando derrotou o americano Derek Brunson por decisão unânime. Anteriormente, o curitibano vinha de quatro derrotas. Além disso uma luta ‘sem resultado’ contra Nate Diaz depois de ter sido flagrado em exame antidoping por uso de drostanolona e androstanolona (metabólitos de testosterona) em 2015. Seu cartel total do MMA é de 34 vitórias, 8 derrotas e 1 ‘No Contest’.

Foto: Esther Lin/ MMA Figting

 

“A verdade foi esclarecida”, diz Anderson Silva após suspensão

Mesmo suspenso pela USADA (Agência Antigoping dos Estados Unidos), Anderson Silva está satisfeito com os resultados de seus exames. Isso se deve pelo fato de não ter sido apontado na coleta, o uso de anabolizantes ou qualquer outra droga para melhorar performance.

Em comunicado oficial, a entidade revelou que o atleta aceitou um acordo, podendo voltar a partir do dia 11 de novembro, um ano depois de ter sido flagrado em exame antidoping. No comunicado, a Agência revelou que os suplementos usados por “Spider” estavam contaminados, assim como ocorreu com os brasileiros; Junior Cigano, Marcos Pezão e Rogério Minotouro.

Leia mais
Anderson Silva recebe suspensão de um ano e pode voltar em novembro
Daniel Cormier afirma que Brock Lesnar será seu último adversário na carreira
Daniel Cormier quer defender cinturão dos meio-pesados contra Mauricio Shogun

Já mais aliviado e podendo retornar ainda esse ano, Anderson Silva falou um pouco do ocorrido para o ‘Combate.com‘. O tido por muito como maior de todos os tempos declarou estar feliz e que a verdade estava finalmente escralerida.

  • Foi um dia feliz! A verdade foi esclarecida. Independentemente da suspensão, a verdade foi esclarecida, que era o que eu queria que acontecesse. É poder mostrar que eu nunca usei nenhum anabolizante ou coisa parecida para me beneficiar na luta. Se as pessoas buscarem a total verdade, elas vão perceber que tudo que a USADA falou foi o que realmente aconteceu. Eles acharam as substâncias que estavam erradas no suplemento, e isso é o que mais importa agora. O que eu mais queria provar era a verdade, e isso foi provado. Em relação à suspensão, é normal. Em nenhum momento deixei de cumprir algo com a USADA, tudo o que eles pediram, todos os meus suplementos para testar, tudo foi feito, e a verdade veio à tona – Contou Anderson Silva.
Carreira de Anderson Silva

Aos 43 anos de idade, Anderson Silva não luta desde fevereiro de 2017 quando derrotou o americano Derek Brunson por decisão unânime. Anteriormente, o curitibano vinha de quatro derrotas – Daniel Cormier, Michael Bisping e duas vezes para Chris Weidman – além de uma luta ‘sem resultado’ contra Nate Diaz depois de ter sido flagrado em exame antidoping por uso de drostanolona e androstanolona (metabólitos de testosterona) em 2015. Seu cartel total do MMA é de 34 vitórias, 8 derrotas e 1 ‘No Contest’.

Foto: Anthony Geathers/Getty Images/AFP)

Confira todos os salários do UFC 226

No último sábado (7), o Ultimate foi até Las Vegas para mais uma história edição da maior organização de MMA do mundo.  Como de praxe, dias após o evento, é divulgada a folha de pagamento dos atletas. Aqui não foi diferente, já restando disponível todos os salários do UFC 226.

O card recheado de estrelas, em sua luta principal, contou com uma super luta entre os campeões Stipe Miocic contra Daniel Cormier. Foi justamente daqui, que sairam as duas maiores bolsas de pagamento da noite.  Dentre todos os salários do UFC 226, Stipe Miocic mesmo derrotado, teve o pagamento mais elevado, seguido do novo campeão dos pesados, Daniel Cormier.

Leia mais
Confira todos os resultados do UFC 226
Confira todos os salários do UFC 225
Confira todos os salários do UFC 224

Miocic faturou US$ 790.000 (setecentos e noventa mil dólares). Se convertida em Real, a quantia gira em torno de R$ 3.050.000 (três milhões e cinquenta mil reais). Enquanto isso, o novo campeão, Daniel Cormier, embolsou US$ 590.000 (quinhentos e noventa mil dólares). Em nossa moeda, o pagamento de Cormier é em torno de R$ 2.278.000 (dois milhões, duzentos e setenta e oito mil reais).

A terceira maior bolsa da noite foi para Anthony Pettis, que recebeu US$ 346.400 (trezentos e quarenta e seis mil e quatrocentos dólares). O brasileiro Paulo Borrachinha também recebeu uma quantia generosa de US$ 164.000. Ambos os lutadores, junto com Daniel Cormier e Khalil Rountree receberam bônus de U$ 50.000 (cinquenta mil dólares).

 

Todos os salários do UFC 226

CARD PRINCIPAL

Stipe Miocic: US$ 790.000
Daniel Cormier: US$ 590.000

Francis Ngannou: US$ 105.000
Derrick Lewis: US$270.000

Mike Perry: US$ 85.000
Paul Felder: US$ 51.000

Michael Chiesa: US$ 38.600
Anthony Pettis: US$ 346.400

Gokhan Saki: US$ 88.500
Khalil Rountree: US$ 93.000

CARD PRELIMINAR

Paulo Borrachinha: US$ 164.000
Uriah Hall: US$ 58.000

Raphael Assunção: US$ 145.000
Rob Font: US$ 38.000

Gilbert Durinho: US$ 36.000
Dan Hooker: US$ 65.000

Max Griffin: US$ 25.000
Curtis Millender: US$ 33.000

Lando Vannata: US$ 30.000
Drakkar Klose: US$ 48.000

Jamie Moyle: US$ 15.500
Emily Whitmire: US$ 25.000

Foto: Christian Petersen/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Junior Cigano declara temer a USADA

Após três anos testando os atletas do UFC, a USADA (Agência Antidoping dos Estado Unidos) causou muitas notificações e suspensões. Isso sem dúvida é uma pedra no sapato para vários lutadores e, não é diferente com o brasileiro Junior Cigano. O peso-pesado já foi notificado pela agência.

Junior Cigano teve um incidente em 2017 com a USADA, fato que lhe causou traumas. O brasileiro foi notificado pela Agência Antidoping dos Estado Unidos o que deixou o lutador nove meses afastado. Cigano foi vítima de suplementação contaminada.

Sobre o fato ocorrido, o Junior Cigano ainda não superou o trauma. Em entrevista para o portal americano MMA Fighting, falou um pouco desse momento de tensão em sua carreira.

— Depois que encontraram a substância no meu corpo e me tiraram da luta de Ngannou, continuei treinando, porque achei que eles perceberiam que não era o caso (de doping) e me liberariam para lutar. Continuei treinando e me preparando. Claro, então comecei a me sentir mal com o passar do tempo, mas o apoio das pessoas e da minha família, tendo meu filho comigo, foi crucial. – Disse o lutador.

Leia mais
UFC retira Junior ‘Cigano’ do ranking após notificação da USADA
Trilogia entre Chuck Liddell e Tito Ortiz é confirmada
Aspera FC anuncia expansão na Ásia e retorno ao Brasil

O lutador brasileiro ainda comentou sobre já ser considerado culpado, mesmo sem ter sido julgado. Cigano lembrou o principio jurídico do devido processo legal, que garante que ninguém será considerado culpado que que haja o devido processo que o condene.

— Passei nove meses fora e foi horrível. O problema é que você é considerado culpado antes de qualquer outra coisa. Você é considerado culpado até que se prove inocente. Isso só acontece com a USADA. A lei diz que você é inocente até que se prove a culpa. É uma situação muito ruim e eu não desejo que ninguém passe por isso, especialmente aqueles que não fizeram nada. Isso me afetou muito, mas eu me considero uma pessoa forte, tanto mental quanto fisicamente. Estou feliz que isso esteja no passado e, se Deus quiser, não acontecerá novamente. – Contou Junior Cigano.

Junior Cigano ainda revelou temer as visitas que a USADA faz. O brasileiro ainda contou que acha importante o controle de doping, mas considera que a USADA deve melhorar o seu sistema.

— Eu fico com medo sempre que a USADA vem à minha casa, porque o que aconteceu comigo é algo que eu nunca pensei que fosse acontecer. Então isso tem que evoluir, da maneira que a USADA julga os casos. Mas também acho que é necessário envolvê-los no esporte, porque precisamos saber quem é um campeão de verdade. Qual é o ponto de ter vários caras lutando com um monte de porcaria em seus corpos e com performances que são irreais? Eu acho que é necessário ter um controle de doping, mas a USADA poderia melhorar seu sistema. – disparou o lutador brasileiro.

Carreira de Junior Cigano

Atualmente, Cigano está com 34 anos de idade. Eles está de luta marcada para o próximo dia 14 contra Blagoy Ivanov. Seu atual momento da carreira não é dos melhores, e vem oscilando entre vitória e derrota nas últimas oito lutas. Como lutador profissional, Cigano tem 23 lutas, tendo vencido em 18 ocasiões e amargado 5 revezes.

Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Divulgação

Wanderlei Silva revela salário para enfrentar Rampage no Bellator

O retorno do brasileiro Wanderlei Silva está confirmado. O brasileiro anunciou em uma rede social nesta quarta-feira (20), um duelo contra o americano Quinton Rampage Jackson no Bellator para o dia 29 de setembro, em San José, na Califórnia nos Estados Unidos. A organização ainda não confirmou em qual edição acontecerá o confronto.

— Como dizem, é muito difícil um bom profissional se aposentar. Acabei de receber uma ligação do Bellator me convidando para participar no dia 29 de setembro do “main event” contra o Quinton Jackson, na Califórnia. É nosso quarto combate, nas três primeiras “lutas” ganhei duas e perdi uma, então está 2 a 1 para mim relatou Wanderlei Silva.

Leia também
Confira todos os salários do UFC 225
Confira todos os salários do UFC 224
Confira todos os salários do UFC 223

Mesmo o veterano estando numa fase longe do ápice da carreira, ainda é nome de peso no cenário mundial. Em entrevista para o portal ‘Ag.Fight‘, o ‘Cachorro Louco’ revelou qual seria a sua bolsa para retornar ao Bellator MMA.

— Para essa luta, eu tenho um milhão de motivos. Eu recebi uma proposta de US$ 1 milhão para lutar contra o Quinton Jackson. Então, é um baita motivo para acordar cedo, fazer tudo o que tem que fazer. Eu, graças a Deus, estou numa situação financeira muito boa, mas a gente não pode negar US$ 1 milhão. E principalmente para brigar. Eu gosto da briga. Eu gosto do desafio. E está me fazendo muito bem. Estou muito feliz de estar participando de um evento tão grande assim e, principalmente, com uma bolsa tão boa. – Garantiu Wanderlei Silva.

Com a cotação atual do Dólar, se convertido para nossa moeda, a bolsa do ‘Cachorro Louco’ é cerca de R$ 3.750.000 (três milhões, setecentos e cinquenta mil reais).

Carreira de Wanderlei Silva

Aos 41 anos de idade, Wanderlei Silva segue para mais um grande desafio na carreira. Sua última luta foi há um ano atrás, onde perdeu para Chael Sonnen por decisão unânime. Como lutador profissional de MMA, o ‘Cachorro Louco’ tem 50 combates. Dessas, saiu como vencedor em 35 oportunidades, perdeu 13, empatou uma e um ‘no contest’.

Foto: Josh Hedges/UFC

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs