Durante uma coletiva de imprensa nesta terça-feira (17), o Bellator anunciou os lutadores que farão parte do torneio dos meio-médios. Confira os nomes: Rory MacDonald, Michael Page, Douglas Lima, Neiman Gracie, Jon Fitch, Lorenz Larkin, Ed Ruth, Andrey Koreshkov e Aroslav Amazov. 

O primeiro combate confirmado, será entre Douglas Lima e Andrey Koreshkov no dia 29 de setembro, no Bellator 205. Para o mesmo dia, o evento terá o duelo entre Rory MacDonald contra o campeão Gegard Mousasi pelo cinturão dos médios. O canadense, deverá participar do GP em fevereiro, conforme afirmou Scott Coker, presidente da organização.

Leia também: Ainda se recuperando de lesões, Whittaker deverá voltar somente em 2019

Esse será o terceiro embate entre Douglas e Koreshkov. O primeiro aconteceu em 2015, onde o russo venceu por decisão unânime, e consequentemente obteve o cinturão. Na revanche marcada para 2016, Douglas recuperou o título após nocauteá-lo.

Uma das sensações do Bellator, Michael Page falou sobre a expectativa para a disputa: “É um prazer fazer parte do Bellator. Mal posso esperar para que esse GP aconteça, porque quero mostrar ao mundo inteiro do que eu sou capaz. Estou aqui para representar a minha família e estou ansioso para lutar.”

Aconteceu neste sábado (14), o UFC Fight Night 133, diretamente de Boise, Idaho, Estados Unidos. No confronto principal, o brasileiro Junior Cigano enfrentou o búlgaro, Blagoy Ivanov, pela divisão dos pesados.

Leia também: Bellator 202: Julia Budd derrota Talita Nogueira e mantem cinturão; Dudu Dantas é nocauteado e sofre grave lesão

Estreando no Ultimate, o carioca Raoni Barcelos enfrentou Kurt Holobaugh. Uma luta antes do brasileiro, também fazendo sua estreia, a peso-mosca Jennifer Maia, duelou contra a americana Liz Carmouche na terceira luta do card preliminar.

CARD PRINCIPAL:
Peso-pesado: Junior Cigano venceu Blagoy Ivanov por decisão unânime (50-45, 50-45, 50-45)
Peso-meio-médio: Sage Northcutt venceu Zak Ottow por nocaute aos 3m13s do segundo round
Peso-pena: Rick Glenn venceu Dennis Bermudez por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Peso-meio-médio: Niko Price venceu Randy Brown por nocaute técnico aos 1m09s do segundo round
Peso-pena: Chad Mendes venceu Myles Jury por nocaute técnico aos 2m52s do primeiro round
Peso-galo: Cat Zingano venceu Marion Reneau por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26)
CARD PRELIMINAR:
Peso-galo: Alejandro Perez venceu Eddie Wineland por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso-pena: Alex Volkanovski venceu Darren Elkins por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)
Peso-mosca: Said Nurmagomedov venceu Justin Scoggins por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Peso-pena: Raoni Barcelos venceu Kurt Holobaugh por nocaute técnico aos 1m29s do terceiro round
Peso-mosca: Liz Carmouche venceu Jennifer Maia por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Peso-mosca: Mark De La Rosa venceu Elias Garcia por finalização (mata-leão) aos 2m do segundo round
Peso-palha: Jessica Aguilar venceu Jodie Esquibel por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)

FOTO: GETTY IMAGES

Aconteceu nesta terça-feira (3) na madrugada em Las Vegas nos Estados Unidos, o World MMA Awards, no qual elegeu os destaques do MMA em 2017, realizada pela revista “Fighters Only”. Única vencedora do Brasil, Jhenny Andrade foi eleita pelo segundo ano consecutivo a “ring girl” do ano.

No prêmio mais cobiçado do evento, o campeão dos penas do UFC, Max Holloway, foi coroado como “lutador do ano”, enquanto a campeã peso palha do Ultimate, Rose Namajunas, foi escolhida a “lutadora do ano”, além de ter levado o prêmio de “zebra do ano” após ter derrotado a polonesa Joanna Jedrzejczyk no UFC 217.

Leia também: Mousasi cita Machida e dispara contra brasileiros: “Os brasileiros têm a reputação de usar esteroides”

Além de Jhenny, mais quatro brasileiros concorreram, entretanto, não foram gratificados: Rafael dos Anjos (categoria “lutador do ano”); Cris Cyborg (categoria “lutadora do ano”); Diego Brandão (categoria “finalização do ano”); Edson Barboza (categoria “nocaute do ano”).

CONFIRA A LISTA DOS VENCEDORES:

Preparador do ano: Nick Curson
Finalização do ano: Demetrious Johnson – Contra Ray Borg no UFC 216
Veículo de imprensa do ano: MMA Fighting
Lutador revelação do ano: Brian Ortega
Virada do ano: Justin Gaethje – Contra Michael Johnson no TUF 25 Finale
Equipe do ano: American Top Team
Lutador internacional do ano: Robert Whittaker
Lutadora do ano: Rose Namajunas
Nocaute do ano: Francis Ngannou – Contra Alistair Overeem no UFC 218
Treinador do ano: Trevor Wittman
Jornalista do ano: Ariel Helwani
Ring girl do ano: Jhenny Andrade
Luta do ano: Justin Gaethje x Eddie Alvarez, UFC 218
“Zebra” do ano: Rose Namajunas -Contra Joanna Jedrzejczyk no UFC 217
Programa de MMA do ano: The Ultimate Fighter
Comentarista do ano: Dominick Cruz
Lutador do ano: Max Holloway
Árbitro do ano: John McCarthy
Organização do ano: UFC
Prêmio por conjunto da obra: John McCarthy

Um grande combate está confirmado para o dia 29 de setembro no Bellator. Conforme noticiou inicialmente a ESPN, o iraniano Gegard Mousadi defenderá o cinturão dos médios contra Rory MacDonald na cidade de San José na Califórnia.

Gegard Mousasi deixou o UFC em 2017 com uma sequência de cinco vitórias seguidas. Após não entrar em um acordo com o Ultimate, o iraniano assinou com o Bellator e logo na estreia derrotou Alexander Shlemenko por decisão unânime. Em maio desse ano, Mousasi conquistou o cinturão dos médios após vencer Rafael Carvalho por nocaute técnico no Bellator 200.

Leia também: Stephen Thompson revela rompimento do ligamento no joelho em luta contra Darren Till

Grande nome do MMA canadense, Rory MacDonald tentará emplacar a terceira vitória seguida. Ex-desafiante ao cinturão dos meio-médios do UFC, Rory chegou no Bellator em 2017 e no primeiro duelo, venceu Paul Daley por finalização. Na edição de número 192, conquistou o cinturão dos meio-médios após bater o brasileiro Douglas Lima por decisão unânime.

Ontem (20), o brasileiro Wanderlei Silva confirmou um combate contra Quinton Rampage Jackson para o mesmo evento em San José na Califórnia no dia 29 de setembro. Até o momento, a organização ainda não confirmou qual é a numeração do evento.

Em um combate movimentado contra Kurt Holobaugh, o brasileiro Raoni Barcelos faturou o prêmio de 50 mil dólares (R$ 192,5 mil). O duelo foi eleito a “luta da noite” do UFC Fight Night 133, na madrugada deste domingo (15), em Boise, Idaho, Estados Unidos.

Aos 31 anos de idade, Raoni Barcelos fez sua estreia no Ultimate. Ex-lutador do RFA, o peso-pena derrotou Holobaugh por nocaute depois de um uppercut devastador no terceiro round na quarta luta do card preliminar. Esse foi quinto triunfo seguido do brasileiro na carreira.

Leia também: Bellator 203 – Patrício Pitbull vence Daniel Weichel e mantém cinturão dos penas

Outro bonificado, foi Chad Mendes. Ex-desafiante ao cinturão dos penas do UFC em três oportunidades, o americano retornou após dois anos suspensos, depois ter sido punido por dois anos pela USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos). O atleta da Tem Alpha Male nocauteou Myles Jury aos 2m52s do primeiro round.

Com um nocaute ‘diferenciado’, Niko Price foi outro que garantiu o bônus extra. O americano nocauteou Randy Brown no segundo round. Mesmo estando por baixo, Price controlou a cabeça do jamaicano com a perna, e iniciou uma sequência de marretadas terminando a luta.

CONFIRA TODOS OS RESULTADOS DO UFC BOISE

O UFC São Paulo, que será realizado no dia 22 de setembro, no Ginásio do Ibirapuera, na capital paulista, ganhou uma boa luta para seu card e que será valida pela divisão dos pesos meio-médios da franquia presidida por Dana White.

De acordo com notícia veiculada pelo website “AG Fight” que confirmou a informação com fontes próximas à maior organização de MMA do planeta, o brasileiro Elizeu Capoeira irá encarar o norte americano/palestino Belal ‘Remember The Name’ Muhammad. A luta ainda não foi confirmada pelo Ultimate, porém, os lutadores já possuem um acordo verbal para que o combate aconteça em solo brasileiro.

Leia também: Lutadores do The Ultimate Fighter 28 são revelados com dois brasileiros na lista 

Retrospecto atual de Elizeu Capoeira e Belal Muhammad no UFC:

Fora do ranking da divisão mas vindo de uma sequência de quatro triunfos consecutivos, Belal Muhammad irá em busca da quina vitória seguida, enquanto o capoeirista brasileiro (Muzenza) irá em busca de sua sexta vitória consecutiva, o que já deixa os fãs de lutas boquiabertos e ansiosos para o grande confronto no UFC São Paulo.

Em seu último compromisso, o norte americano da Roufusport venceu Chance Rencountre por decisão unânime dos árbitros laterais no UFC Fight Night 131 realizado em Junho deste ano, enquanto o brasileiro, da CM System, em seu último compromisso no octógono mais famoso do mundo nocauteou Sean Strickland no UFC 224 realizado em Maio, no Rio de Janeiro.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO:

Peso meio-médio: Elizeu Capoeira x Belal Muhammad
Peso palha: Livinha Souza x Alex Chambers
Peso meio-pesado: Luis Henrique KLB x Mark Godbeer

Foto: Josh Hedges/Getty Images

O Ultimate confirmou na manhã desta sexta-feira (29), o duelo entre Paul Felder e Mike Perry pela divisão dos meio-médios para o UFC 226. O combate acontecerá no dia 7 de julho, na T-Mobile Arena em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Os dois tiveram lutas canceladas na quinta-feira. Felder ficou sem adversário após James Vick ser chamado para para substituir Al Iaquinta no duelo contra Justin Gaetjhe no UFC Lincoln. Já Mike Perry, enfrentaria Yancy Medeiros no UFC 226, entretanto, o havaiano foi retirado após sofrer uma lesão.

Leia também: Johny Hendricks anuncia aposentadoria do MMA

Depois de ser derrotado pelo brasileiro Francisco Massaranduba, o americano Paul Felder se recuperou após emplacar uma sequência de três vitórias consecutivas, sobre: Alessandro Ricci, Steven Ray e por último contra Charles Oliveira, sendo todas por nocaute ou nocaute técnico. Na carreira, “The Irish Dragon” detém 15 vitórias e três derrotas.

Em busca de recuperação, Mike Perry vem de dois revés consecutivos, diante de Santiago Ponzinibbio e Max Griffin, ambas por decisão unânime. Em seu cartel profissional, acumula 11 vitórias e três derrotas.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO:

Card Prinicipal
Stipe Miocic x Daniel Cormier – Cinturão peso-pesado
Max Holloway x Brian Ortega – Cinturão peso-pena
Francis Ngannou x Derrick Lewis
Michael Chiesa x Anthony Pettis
Gokhan Saki x Khalil Rountreee

Card Preliminar:
Uriah Hall x Paulo Borrachinha
Raphael Assunção x Rob Font
Curtis Millender x Max Griffin
Dan Hooker x Gilbert Durinho
Lando Vannata x Drakar Klose
Jamie Moyle x Emilly Whitimire
Paul Felder x Mike Perry

FOTO: GREGORY PAYAN/AP, FILE

Na madrugada deste domingo (15), foi realizado o UFC Fight Night 133 em Boise, Idaho, nos Estados Unidos. Em duelo válido pela divisão dos meio-médios, Sage Northcutt não se intimidou com a pressão inicial de Zak Ottow e por nocaute técnico, venceu sua terceira luta consecutiva no Ultimate.

A luta começou de forma frenética, com Zak Ottow acertando um cruzado de direita levando Sage Northcutt ao solo. No chão e por cima, Ottow iniciou a transação para passar na guarda do atleta da Team Alpha Male. Em tentativas de finalizações não sucedidas por Zak, Sage tentava responder por baixo. O embate voltou a ficar em pé no último minuto, Sage surpreendeu Ottow ao buscar a finalização e terminar o primeiro round por cima.

Com uma movimentação melhor em pé por parte de Northcutt, Zak Ottow logo nos primeiros instantes do segundo round levou o prospecto ao solo, que logo se recuperou e voltou a deixar a luta em pé. Sage grudou Zak de costas para grade e iniciou uma boa sequência de golpes levando o fim do combate, por nocaute.

Aos 21 anos de idade, Sage acumula seu 11º triunfo na carreira. O jovem atleta do Texas, vinha de vitória contra Michael Quinones e Thibault Gouti. Zak Ottow volta a ser derrotado, depois de vencer Mike Pyle por nocaute técnico no UFC 222.

RESULTADOS DO UFC FIGHT NIGHT 133

Em um dos eventos mais esperados do ano, o Ultimate realizou neste sábado (07) na T-Mobile Arena em Las Vegas nos Estados Unidos, o UFC 226. Na luta principal, o campeão dos pesados Stipe Miocic enfrentou o campeão dos meio-pesados Daniel Cormier pelo cinturão dos pesados.

SE FIRMANDO DE VEZ NA HISTÓRIA

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, praticando um esporte
FOTO: GETTY IMAGES/UFC

Daniel Cormier mais uma vez provou sua força. Apesar da desvantagem na altura, o campeão meio-pesado não se intimidou com o até campeão dos pesados Stipe Miocic, e por nocaute no segundo round, entrou para história após conquistar o segundo título de forma simultânea.

O confronto se iniciou com Stipe Miocic tentando cercar Cormier que respondeu com alguns uppercuts, Miocic agarrou Daniel Cormier e ambos ficaram agarrados com “DC” de costas para grade. Com pouco menos de três minutos a luta voltou a ficar em pé e Stipe Miocic continuando a tentar algumas sucessão de golpes conseguindo acertar bons socos. Daniel Cormier voltou a responder bem com chutes e alguns diretos. Na reta final do round, o duelo se desenvolveu na trocação franca onde Cormier conectou um forte cruzado de direita levando Miocic para o chão, seguindo com mais socos forçando o árbitro central a interromper o embate.

Aos 39 anos de idade, o campeão dos meio-pesados Daniel Cormier conquista o segundo cinturão simultâneo. Após a batalha, ainda no octógono, o americano desafiou o ex-campeão Brock Lesnar que subiu no cage. Os dois protagonizaram alguns empurrões e provocações. Mesmo com a não oficialização, ao que tudo indica, a primeira defesa de cinturão dos pesados de Cormier será contra o astro da WWE.

MUITAS VAIAS E POUCA EFETIVIDADE

No duelo que antecedeu a principal, os pesos-pesados Derrick Lewis e Francis Ngannou fizeram um combate bastante aguardado pelo fãs, entretanto, não superaram as expectativas.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
FOTO: UFC/GETTY IMAGES

A luta começou com os dois respeitando a distância com pouca movimentação. Apesar de buscar encurralar Lewis de costas para grade, Ngannou sofria com os contra-ataques do americano que tentava alguns chutes. Com vaias do público pela escassa efetividade, assim terminou o primeiro round.

Assim como na primeira etapa, o segundo round continuou devagar com ambos lutadores mostrando pequena ação. Francis Ngannou seguiu praticamente nulo na frente de Lewis que apenas esboçava alguns golpes em sequência.

Apesar de ambos no intervalo serem advertidos pelos treinadores para buscar mais a luta, o embate seguiu pouco empolgante com ambos mostrando pouca eficiência. Nos segundos finais, os dois tentaram aumentar a intensidade da luta, mas pouco fizeram, com muitos golpes no vazio. Final de luta, Derrick Lewis é declarado o vencedor por decisão unânime dos juízes laterais.

RESULTADOS UFC 226

CARD PRINCIPAL:
Daniel Cormier venceu Stipe Miocic por nocaute aos 4m33s do primeiro round
Derrick Lewis venceu Francis Ngannou por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27)
Mike Perry venceu Paul Felder por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Anthony Pettis venceu Michael Chiesa por finalização aos 52s do segundo round
Khalil Rountree venceu Gokhan Saki por nocaute a 1m36s do primeiro round
CARD PRELIMINAR:
Paulo Borrachinha venceu Uriah Hall por nocaute técnico aos 2m38s do segundo round
Raphael Assunção venceu Rob Font na decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Drakkar Klose vence Lando Vannata na decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Curtis Millender venceu Max Griffin na decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Dan Hooker venceu Gilbert Durinho por nocaute aos 2m28s do primeiro round
Emily Whitmire venceu Jamie Moyle na decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)

Após o brasileiro Felipe Sertanejo e o ex-campeão Rashad Evans anunciar aposentadoria do MMA durante essa semana, agora, foi a vez do americano Johny Hendricks. O ex-campeão dos meio-médios do UFC em entrevista para o site MMA Junkie, comunicou que também irá deixar o esporte, entretanto, permanecerá no “mundo das lutas”.

“Estou me aposentando. Estou saindo do mundo do MMA. Venho pensando nisso bastante por um tempo. Vou retornar às minhas raízes. Vou começar a treinar os All Saints. Eu treinei um pouco dos times do ensino médio no ano passado, mas vou completar a transição para o All Saints e começar a fazer isso”

Aos 34 anos, Hendricks encerra sua carreira com 18 vitórias e oito derrotas. No UFC desde 2009, “Big Rigg” disputou o cinturão contra Georges St-Pierre em 2013, entretanto, em um combate bastante movimentado, o canadense levou a melhor por decisão dividida dos árbitros. A decisão dividiu bastante opiniões acerca do resultado, tendo em vista uma luta bastante equilibrada.

Leia também: Livinha Souza tem estreia marcada para o UFC São Paulo

Após St-Pierre abdicar do cinturão, Hendricks voltou a disputar o cinturão, e dessa vez, garantiu o título máximo após derrotar Robbie Lawler no UFC 181 em 2014. Depois do embate, uma nova luta entre ambos foi marcada, onde Lawler saiu o vitorioso por decisão dividida. Atualmente, além de problemas para bater o peso, o wrestler emplacou uma sequência negativa de derrotas, acumulando cinco derrotas nas últimas seis lutas.

Um dos fatores que também ocasionaram o desligamento do esporte, foi a família, conforme relatou o americano em entrevista para o portal norte-americano.

“Uma das coisas legais foi estar em casa nos últimos sete meses, passando tempo com as crianças, sem me preocupar com o que eu precisava fazer. Olhei para minha esposa e disse. “Nós queremos mesmo fazer isto? Eu sei que eu sou quem precisa fazer, mas nós queremos? Queremos passar pela ralação que fazíamos, nos separar por longos períodos de tempo, colocar minha família em segundo lugar, esse tipo de coisas?”. Neste momento, digo que não. Tomei esta decisão duas semanas atrás, mas rezei sobre isso e queria garantir que estaria bem com isso”.

FOTO: Tom Szczerbowski-USA TODAY Sports

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs