Com a lesão de Ilir Latifi, Glover Teixeira ficou sem oponente para o UFC Fight Night 134, entretanto, o Ultimate não demorou, e já tem novo oponente confirmado para o brasileiro. Será o americano Corey Anderson, conforme apurou o site Combate. O evento acontecerá na cidade de Hamburgo na Alemanha no dia 22 de julho.

Leia também: Dan Hooker menospreza vitória contra Durinho: “Muito fácil” 

Glover Teixeira busca uma nova sequência de vitórias para se manter no top da divisão dos meio-pesados. Aos 38 anos de idade, o mineiro tem 27 vitórias e seis derrotas. Em 2014 no UFC 172, disputou o cinturão contra Jon Jones, mas foi superado por decisão unânime. Atualmente, Glover vem de vitória contra Misha Cirkunov por nocaute técnico no UFC On Fox 26.

Depois de sofrer duas derrotas seguidas – Jimi Manuwa e Ovince Saint Preux, o americano Corey Anderson se recuperou após derrotar Patrick Cummins por decisão unânime no UFC Fight Night 128 em abril desse ano. Na carreira, o peso-meio-pesado possui 10 vitórias e quatro derrotas.

CARD DO EVENTO:

Peso-meio-pesado: Maurício Shogun x Anthony Smith
Peso-meio-pesado: Glover Teixeira x Corey Anderson
Peso-pesado: Marcin Tybura x Stefan Struve
Peso-médio: Vitor Miranda x Abu Azaitar
Peso-meio-pesado: Justin Ledet x Aleksandar Rakic
Peso-meio-pesado: Darko Stosic x Jeremy Kimball
Peso-leve: Marc Diakiese x Nasrat Haqparast
Peso-meio-médio: Alan Jouban x Danny Roberts
Peso-meio-médio: Emil Meek x Bartosz Fabinski
Peso-leve: Damir Hadzovic x Nick Hein
Peso-galo: Damian Stasiak x Pingyuan Liu
Peso-pena: Nad Narimani x Khalid Taha
Peso-galo: Davey Grant x Manny Bermudez

Ex-campeão dos meios-pesados do UFC, Rashad Evans, anunciou que não lutará mais MMA, em entrevista para o programa “The Ariel Helwani’s MMA Show” na última terça-feira (25). Aos 38 anos, o americano encerra sua carreira com 19 vitórias, oito derrotas e um empate.

“É difícil. Não quero sair perdendo ou nada assim, mas, ao mesmo tempo, é o que eu preciso. É o que eu preciso porque sinto que tenho outras coisas na vida que estão me chamando também. Pensei em quão difícil seria para mim dizer realmente estas palavras ou fazer uma declação sobre isso, mas eu precisava fazer. É parte de me cuidar e aceitar. Não posso mais me enganar sobre isso. Me sinto um pouco desconcertado pelo jeito que minha carreira terminou, mas acho que tinha que ser assim. Não acho que iria parar se não acabasse deste jeito. Ter que parar assim foi difícil, mas não há erros na vida e isso era necessário. Acredito no processo da vida e confio no universo. Sei que Deus decide o que é melhor para mim”.

Leia também: Luiz Henrique KLB tem luta marcada para o UFC São Paulo

Frustrado com seu retrospecto recente, Rashad Evans vinha de 5 derrotas seguidas no UFC desde 2015, sendo a mais recente no UFC 225 após ser brutalmente nocauteado por Anthony Smith no primeiro round. Perguntado sobre um possível retorno futuro ao esporte, Evans negou a possibilidade.

“Posso dizer com certeza que não vou lutar de novo. Sinto que existem outras coisas na vida que quero fazer. Sei que existem outras na vida que quero fazer. Em um momento da vida, sentia que lutar era tudo. Foi tudo. Coloquei a vida em segundo lugar. Agora a vida está dominando e lutar está em segundo lugar. Estava competindo em um esporte como o MMA, onde você tem muitos caras que não chegaram ao topo da montanha, que não experimentaram as coisas que experimentei, e que estavam famintos por isso, e eu estava apenas morno”;

Rashad Evans iniciou sua carreira em 2004, mas se consolidou após vencer a segunda edição do reality show “The Ultimate Fighter”. Após emplacar uma ótima sequência de vitórias, “Sugar” ganhou o cinturão após bater Forrest Griffin por nocaute técnico no UFC 92 em 2008. Apesar de alcançar o topo da divisão, no ano seguinte, Evans perdeu o título máximo logo na primeira defesa, depois de ser nocauteado pelo brasileiro Lyoto Machida no UFC 98.

FOTO: Erik Verduzco/ Las Vegas Review-Journal
Brasileiros e o cinturão do UFC, onde estão nossas chances ?

A derrota de Rafael dos Anjos para Colby Covington no último sábado (09) em Chicago, quando o brasileiro estava na porta de trazer o cinturão para o Brasil, deixou os fãs brasileiros preocupados e com poucas esperanças de termos uma nova chance de ver um lutador brasileiro buscando a cinta no maior evento de MMA do mundo este ano. Então vamos analisar todas as divisões do Ultimate,  para ver de onde pode pintar a combinação de brasileiros e o cinturão do UFC nos próximos meses.

Nas categorias femininas temos a campeã Cris Cyborg absoluta na divisão dos Penas. Inclusive o UFC tem dificuldades de encontrar uma adversária capaz de pelo menos dificultar a vida da brasileira. Temos Amanda Nunes, campeã dos Galos, com três defesas do cinturão. A categoria ainda conta com Ketlen Vieira que vem crescendo na divisão e pode ser a próxima a se tornar desafiante da Amanda Nunes. No Peso Mosca, categoria criada recentemente pelo UFC, não temos nenhuma atleta ranqueada no momento.

Nas categorias masculinas tínhamos duas grandes esperanças: Ronaldo Jacaré, que acabou  derrotado por Kevin Gastelum na luta que definiria o próximo desafiante ao cinturão dos Médios, e Rafael dos Anjos que acabou encurralado pelo jogo de clinche do falastrão Colby Covington, na luta que valia o cinturão interino dos Meio-Médios. Ainda assim, temos boas perspectivas em médio prazo.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Palha

Aqui, temos uma ótima chance. Jéssica Bate-Estaca deve ser oficializada como próxima desafiante ao cinturão de Rose Namajunas. A brasileira tem boas chances de vitória com o seu jogo em pé afiado, muita explosão e potência nos golpes, assim tem tudo para dificultar a vida da americana. Se não houver imprevistos e a luta for confirmada, a tendência é que tenhamos a brasileira disputando o cinturão em outubro ou novembro.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Mosca

A divisão amplamente dominada por Demetrious Johnson que varreu a categoria. Tem o recorde de defesas de cinturão, já são 11. O campeão tem luta marcada contra Henry Cejudo. São cinco os brasileiros ranqueados nessa categoria: Jussier Formiga (4º) (um dos poucos bem ranqueados que ainda não enfrentou o campeão), Wilson Reis (7º), Alexandre Pantoja (8º), Matheus Nicolau (11º) e Deiveson Figueiredo (14º). Jussier Formiga vem de duas vitórias consecutivas. Se conseguir uma luta contra um adversário duro como Sérgio Pettis nos próximos meses e vencer, provavelmente diante do campeão, possivelmente no início do
próximo ano.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Galo

Marlon Moraes vem de uma vitória acachapante contra o até então invicto Jimmie Rivera e se credenciou a próximo desafiante ao cinturão de TJ Dillashaw. Porém, o campeão tem luta marcada contra Cody Garbrandt. Se TJ vencer, a luta contra o brasileiro deve ocorrer por meados de dezembro. Se der Cody, provavelmente será marcada a trilogia entre ambos e o brasileiro teria que fazer mais uma luta pra se manter em atividade e lutar pelo cinturão somente em 2019. Raphael Assunção é outro brasileiro que está bem ranqueado nessa divisão.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Pena

Apesar das seguidas derrotas nas últimas lutas e da indefinição quando ao seu futuro no MMA, José Aldo ainda é a maior esperança brasileira entre os Penas. Se tudo der certo as chances dele voltar a lutar pelo cinturão são boas. O campeão Max Holloway, que projeta subir de divisão num breve futuro, vai encarar Brian Ortega. Se o desafiante vencer, o caminho do brasileiro ficaria interessante. Aldo tem luta marcada contra Jeremy Stephens. Se vencer bem e com um pouco de sorte ele pode ser alçado a próximo desafiante. Se considerarmos que Ortega já terá vencido Holloway e Frankie Edgar, e nunca enfrentou o brasileiro. Outro brasileiro que vem bem na divisão é Renato Moicano, mas ainda distante de chagar a uma luta por cinturão.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Leve

Talvez a categoria mais competitiva do UFC. Só temos Edson Barboza como brasileiro ranqueado nessa divisão. Atualmente ele é o número 6, porém está muito distante de lutar pelo título. Barboza já foi derrotado pelo campeão Khabib Nurmagomedov e vem de derrota para Kevin Lee.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Meio-Médio

A derrota de Rafael dos Anjos foi uma pancada para os fãs brasileiros. Rafael era a grande esperança brasileira de cinturão este ano. Porém, apesar da derrota para
Covington ele continua no caminho do cinturão porque ainda é um dos principais nomes da divisão. Uma nova luta com um desempenho convincente como a que ele fez contra Robbie Lawler vai recolocá-lo nos trilhos. O cinturão da divisão certamente será unificado ainda este ano e se Tyron Woodley vencer, as chances do brasileiro crescem. Kamaru Usman vem ganhando força na divisão e esse seria o adversário ideal para Rafael encarar, e se possível no mesmo evento de Woodley vs Covington. Se tudo der certo, no início de 2019 Rafael poderá ter nova chance pelo título. Demian Maia que vem de duas derrotas ficou distante. Alex Cowboy está em 14º no ranking e é uma esperança brasileira em longo prazo.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Médio

Apesar da derrota para Kevin Gastelum, Ronaldo Jacaré ainda pode sonhar com o cinturão. A vitória de Robert Whittaker sobre Yoel Romero foi boa para o brasileiro, que não perdeu tempo, e já pediu uma revanche contra o cubano. Whittaker deve encarar Gastelum provavelmente entre outubro e dezembro. Caso Jacaré consiga arrumar uma revanche contra Yoel Romero e  vencer, provavelmente estará como principal nome para enfrentar o vencedor de Whittaker vs Gastelum. Seria interessante pra ele também, se Cris Weidman permanecesse inativo por mais algum tempo. Machida vem de duas vitórias, mas pela idade e pelo caminho que precisaria percorrer, está distante. Paulo Borrachinha, Cara de Sapato e Thiago Marreta já chegaram ao ranking da divisão e são esperanças brasileiras para breve. Especialmente o primeiro que conta com a admiração de Dana White.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Meio-Pesado

O campeão Daniel Cormier tem luta marcada para julho na categoria de cima contra Stipe Miocic e isso deve travar a divisão pelo menos até o final do ano. Os dois brasileiros ranqueados na divisão tem lutas marcadas. Maurício Shogun encara Volkan Oezdemir e Glover Teixeira pega Ilair Latifi. Uma vitória deve colocar ambos os brasileiros a uma luta do title shot. Alexander Gustafsson provavelmente deverá ser o próximo desafiante nessa categoria.

Brasileiros e o cinturão do UFC: Peso Pesado

Assim como no meio-pesado a super-luta que irá ocorrer em julho entre o campeão Stipe Miocic e Daniel Cormier vai travar a divisão. Levando-se em conta que Fabricio Werdum foi pego em exame antidoping pela USADA e está esperando o desenrolar da contraprova e talvez até julgamento, não se sabe quando voltará a lutar. O brasileiro que teria melhores chances é Júnior Cigano, atualmente em 5º no ranking da categoria.

O problema é que Cigano vem de um longo período de inatividade e de uma derrota acachapante contra o atual campeão. Sendo assim, dificilmente veremos algum brasileiro disputando o cinturão dos Pesados a curto ou médio prazo. Portanto podemos esperar pelo menos mais dois brasileiros disputando cinturão ainda este ano. Com grandes chances que estes sejam Jéssica Bate-Estaca pelo Peso Palha e Marlon Moraes pelo Peso Galo. Apesar da fase no momento não ser das melhores para o MMA brasileiro dentro do UFC, esse cenário pode mudar ainda este ano.

Texto enviado por: Diego Piñeyrua Neto, atual representante do Octógono Virtual
Foto: Christoper Lee/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Faltando um pouco mais de um mês para o UFC Fight Night 129, o card sofreu uma importante baixa. O suíço Volkan Oezdemir está impedido de sair dos Estados Unidos, decorrente de problemas judiciais, o que impossibilita de enfrentar o brasileiro Maurício Shogun na cidade de Santiago, no Chile no dia 19 de maio.

Volkan se envolveu em uma confusão em Fort Lauderdale na Flórida (EUA) em agosto de 2017. Segundo o boletim de ocorrência, o peso-meio-pesado agrediu um homem chamado Kevin Cohen, deixando em estado inconsciente durante 14 minutos.

Leia também: Megan Anderson enfrenta Holly Holm em estreia no UFC 

Tempo mais tarde, Oezdemir pagou a fiança de US$ 10 mil (R$ 32,5 mil) e foi liberado. A princípio, o Ultimate não se pronunciou sobre o caso. Ao que tudo indica, o duelo deverá ser remarcado, conforme apurou o site Combate.

Aos 28 anos, Volkan é considerado um dos grandes nome da divisão dos meio-pesado. Após emplacar cinco vitórias seguidas na categoria, enfrentou o campeão Daniel Cormier no UFC 220, entretanto, foi superado no segundo round por nocaute técnico.

Conforme noticiou a ESPN, Alexander Gustafsson irá enfrentar Volkan Oezdemir, pela divisão dos meio-pesados no UFC 227, que será realizado no dia 4 de agosto no Staples Center em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos

Sem adversário para Gustafsson, o Ultimate removeu Volkan do combate contra Shogun que seria realizado no UFC Fight Night 135, em Hamburgo, no dia 22 de julho. Segundo informações do site Combate, Anthony Smith será o próximo adversário do brasileiro para o mesmo evento.

Leia também: Trilogia entre Chuck Liddell e Tito Ortiz está confirmada

Aos 31 anos de idade, Alexander Gustafsson vai para 14º luta no Ultimate. Atualmente, o sueco vem de dois triunfos consecutivos, sobre: Jan Blachowicz em 2016 e Glover Teixeira em setembro de 2017 no UFC Fight Night 109. O peso-meio-pesado disputou duas vezes o cinturão da categoria, entretanto, foi superado nas duas oportunidades, contra Jon Jones no UFC 165 e para Daniel Cormier no UFC 192.

Surpresa recente na divisão, Volkan Oezdemir chegou emplacar cinco vitórias seguidas na carreira, sendo três no UFC, diante de Ovince Saint-Preux, Misha Cirkunov e Jimi Manuwa. Após a sequência positiva, o suíço disputou o título máximo contra Daniel Cormier, todavia, acabou derrotado por nocaute técnico no UFC 220.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO:

CARD PRINCIPAL:
Peso-galo: TJ Dillashaw x Cody Garbrandt
Peso-mosca: Demetrious Johnson x Henry Cejudo
Peso-meio-pesado: Alexander Gustafsson x Volkan Oezdemir
Peso-pena: Cub Swanson x Renato Moicano
CARD PRELIMINAR:
Peso-médio: Derek Brunson x Antônio Cara de Sapato
Peso-mosca: Polyana Viana x JJ Aldrich
Peso-galo: Benito Lopez x Ricky Simon
Peso-galo: Ricardo Carcacinha x Kyung Ho Kang
Peso-palha: Danielle Taylor x Weili Zhang
Peso-pena: Wuliji Buren x Bharat Khandare
Peso-galo: Bethe Correia x Irene Aldana
Peso-galo: Benito Lopez x Ricky Simón
Peso-pena: Sheymon Moraes x Matt Sayles
Peso-galo: Brett Johns x Pedro Munhoz

Está confirmado a primeira luta do UFC Fight Night 137, que será realizado na cidade de São Paulo no Ginásio do Ibirapuera. O brasileiro Luiz Henrique KLB enfrentará Mark Godbeer pela divisão dos meio-pesados no dia 22 de setembro. A informação foi dada inicialmente pelo site Combate.

Em má fase no Ultimate, Luiz Henrique KLB irá fazer sua estreia nos meio-pesados, após emplacar duas derrotas consecutivas, para Marcin Tybura e por último Arjan Singh Bhullar no UFC 215. Em cinco combates no UFC, o atleta da Tata Fight Team venceu apenas dois.

Leia também: Contrato com o UFC chega ao fim, e Lyoto Machida assina com o Bellator

Também em fase irregular na organização, Mark Godbeer também busca recuperação. Após estrear com derrota para Justin Ledet, o inglês se recuperou com duas vitórias seguidas, entretanto, voltou a sentir o gosto amargo da derrota após ser superado por Dmitry Sosnovsky no UFC Fight Night 127 por decisão unânime.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO: 

Luiz Henrique KLB x Mark Godbeer

O UFC Fight Night 134 segue recebendo adições em seu card. Conforme noticiou o site Kimura.se, o brasileiro Glover Teixeira irá enfrentar o sueco Ilir Latifi, pela divisão dos meio-pesados.

Em busca de uma nova sequência para disputar o cinturão, Glover Teixeira vai em busca do segundo triunfo seguido. O mineiro de 38 anos vêm de vitória sobre Misha Cirkunov por nocaute técnico no UFC On Fox 26. Anteriormente, o peso-meio-pesado foi derrotado pelo sueco Alexander Gustafsson por nocaute no UFC Fight Night 109.

Leia também: Cigano e mais dois brasileiros são liberados pela USADA

Depois de interromper uma sucessão de três vitórias consecutivas, Ilir Latifi perdeu para Ryan Bader por nocaute no UFC Fight Night 93. Após o revés, o sueco derrotou Tyson Pedro, e por último Ovince Saint Preux por finalização no UFC On Fox 28.

O UFC Fight Night 134 será realizado em Hambugo na Alemanha no dia 22 de julho.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO:

Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Maurício Shogun
Peso-meio-pesado: Glover Teixeira x Ilir Latifi
Peso-médio: Vitor Miranda x Abu Azaitar
Peso-meio-pesado: Justin Ledet x Aleksandar Rakic
Peso-meio-pesado: Darko Stosic x Jeremy Kimball
Peso-leve: Marc Diakiese x Nasrat Haqparast

Presidida pelo ex-pugilista Oscar de la Hoya, a empresa Golden Boy Promotions confirmou a trilogia entre Chuck Liddell e Tito Ortiz, pela divisão dos meio-pesados, conforme noticiou a ESPN nesta segunda-feira (02). Ainda não foi anunciado o local e data para o evento.

Esse será o terceiro encontro entre os ex-companheiros de treino. O primeiro foi em 2004 no UFC 47, onde Liddell levou a melhor por nocaute aos 38s do segundo round. Em revanche marcada para o UFC 66 em dezembro de 2006, Chuck Liddell novamente venceu, dessa vez por nocaute técnico no terceiro round.

Leia também: Pedro Munhoz enfrenta Brett Johns no UFC 227

O terceiro embate foi agendado para 2010, quando foram treinadores do The Ultimate Fighter, todavia, o duelo foi cancelado após Tito sofrer uma lesão. Na ocasião, Rich Franklin entrou em seu lugar e venceu “The Iceman” por nocaute no primeiro round.

Aos 48 anos de idade, Chuck Liddell possui 21 vitórias e oito derrotas, e vem de cinco derrotas nas últimas seis lutas, sendo a última luta em 2010 contra Franklin. Já Tito Ortiz, com 43 anos, detém um cartel com 19 vitórias, 12 derrotas e um empate. Seu último combate foi no Bellator 170 em janeiro de 2017 quando derrotou Chael Sonnen por finalização no primeiro round.

Com uma atuação para lá de convincente, o chinês Yadong Song garantiu o prêmio de performance da noite após o UFC Fight Night 132 neste sábado em Cingapura. Além do prospecto, Ovince Saint Preux também levou “bolada” de US$ 50 mil (cerca de R$ 188 mil). A luta da noite, ficou para o duelo entre Shane Young e Rolando Dy.

Aos 20 anos, Yadong Song emplacou o quinto triunfo consecutivo, sendo o segundo no UFC. A promessa do MMA chinês venceu o brasileiro Felipe Sertanejo com um nocaute brutal após uma cotovelada devastadora no segundo round.

Leia também: Com o fim do contrato com o UFC, Lyoto Machida assina com o Bellator

Após resistir uma forte pressão de Tyson Pedro, o haitiano Ovince Saint-Preux tirou da cartola uma finalização ainda no primeiro round com uma chave de braço reta. Considerada a luta da noite, Shane Young e Rolando Dy protagonizaram um duelo bastante movimentando, aonde Shane saiu o vitorioso por nocaute técnico no segundo round.

CONFIRA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O UFC FIGHT NIGHT 132

A luta principal do UFC Fight Night 134 está confirmada. Volkan Oezdemir irá enfrentar o brasileiro Maurício Shogun, pela divisão dos meio-pesados. O duelo estava marcado para o UFC Chile, todavia, o combate foi desmarcado após o suíço passar por problemas judiciais nos Estados Unidos.

Aos 36 anos, Maurício Shogun vai em busca da quarta vitória consecutiva. O brasileiro vem de vitória sobre Minotouro, Corey Anderson e por último sobre Gian Villante no UFC Fight Night 106, em março de 2017. Na carreira, o veterano detém 25 vitórias e 10 derrotas.

Leia também: Cigano e mais dois brasileiros são liberados pela USADA

Sem dúvidas, Volkan Oezdemir é umas das maiores surpresas dos últimos anos na divisão dos meio-pesados. O suíço de 28 anos emplacou cinco vitórias seguidas na carreira, sendo quatro delas no UFC até se credenciar ao título máximo. Em confronto contra Daniel Cormier no UFC 220, Oezdemir foi superado por nocaute técnico no segundo round.

O UFC Fight Night 134 será realizado no dia 22 de julho, em Hamburgo na Alemanha.

As principais notícias do esporte que mais cresce no mundo, em um só lugar. 

Contate-nos:  

[email protected]

© Copyright 2015-2018 Tudo Sobre MMA| desenvolvido por: Vedrak Devs