Autor: Kelvin Ramirez

BJ Penn

Ex-lutador do UFC BJ Penn é preso no Havaí

BJ Penn
BJ Penn se aposentou após uma sequência de sete derrotas (Foto: Getty Images)

O ex-lutador do UFC BJ Penn se envolveu em uma polêmica no último final de semana. No sábado (23), em Honokaa, no Havaí, EUA, o americano foi preso por suspeita de embriaguez na direção. A notícia foi dada pelo site MMA Fighting.

Veio a tona a prisão do havaiano após um vídeo vazar. Nele é possível ver BJ algemado e xingando aos ser colocado dentro da viatura. Foi a segunda vez que o ex-campeão do UFC foi preso por embriaguez. O ex-campeão foi solto e está sendo investigado.

Na primeira ocasião em fevereiro de 2020, BJ bateu sua caminhonete em um caminhão, e na época foi aberto investigação para verificar o nível alcoólico do atleta.

Em outra polêmica registrada, BJ Penn se envolveu em uma briga de rua, onde acabou nocauteado. Além de briga na rua e problemas com embriaguez, Penn recentemente foi acusado por uma mulher de ser o pai de sua filha.

Sua ex-mulher também entrou com um processo, já que ela acusa ele de violência doméstica. Desde então os dois entraram em um duelo judicial pela custódia de seus filhos.

BJ Penn encerrou sua carreira com 16 vitórias, 14 derrotas e dois empates. Sua última luta foi em maio de 2019 quando saiu derrotado na decisão unânime em luta contra Clay Guida.

Leia também: Dustin Poirier ignora Michael Chandler e mira brasileiro Charles do Bronx:

Dustin Poirier mira brasileiro para disputa pelo cinturão!

Dustin Poirier ignora Chandler e mira Charles do Bronx: “Acompanho ele há 10 anos “

Se depender de Dustin Poirier, o duelo pelo cinturão vago da divisão dos leves parece estar definido. Após derrotar Conor McGregor no último sábado (23), no UFC 257 em Abu Dhabi, o americano revelou que estaria disposto a enfrentar o brasileiro Charles do Bronx, e rechaçou um possível confronto com Michael Chandler.

“Posso garantir que não vou lutar contra Michael Chandler. Eles podem fazer o que quiser com a divisão, realmente não me importo. Se algo fizer sentido, então faremos Nenhum desrespeito ao Michael Chandler. Não é um golpe contra ele, são apenas meus sentimentos em relação à categoria e ao esporte. Perdi para o Khabib, voltei e fiz a “Luta do Ano” para vocês, levantei minha mão contra um adversário do top 5 depois disso. Voltei e Khabib não quer mais voltar, depois consigo uma das maiores lutas que se pode conseguir. E nocauteei esse cara também”, falou Dustin.

Para Dustin Poirier, o que pesa para Charles do Bronx é o histórico dentro da organização, já que o atleta da Chute Boxe não perde há oito lutas. Enquanto Michael Chandler fez ainda sua primeira luta no evento no último sábado.

“Acho que ele tem mais argumentos para disputar o título. Acompanho esse cara há 10 anos no UFC, em duas categorias diferentes. Ele lutou contra os melhores dos melhores. E ele já foi nocauteado e se levantou, e provou o que é MMA e o que é perseverança. Respeito isso. Não que eu não respeite Michael Chandler, só acho que há mais trabalho para ele do que vencer um cara que acabei de vencer”, esclareceu Poirier

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC 257 – DUSTIN POIRIER X CONOR

Conor McGregor x Dustin Poirier

Grito de córner brasileiro de Poirier “entrou na mente” de Conor McGregor

Engana-se quem ache que nenhum brasileiro teve participação na luta principal do UFC 257, deste sábado (23) em Abu Dhabi na Ilha da Luta. Em coletiva após o evento, o irlandês Conor McGregor admitiu que um grito do brasileiro Thiago “Pitbull”, que estava no córner de Dustin Poirier, acabou ecoando durante a luta.

Chutes nas pernas aplicado pelo americano sobre Conor acabou sendo um dos pontos de desequilíbrio para a vitória brutal de Poirier sobre o irlandês. No momento crucial que culminou na vitória de Dustin já era possível ver que Conor sofria com os golpes desferidos na região das pernas.

Segundo Conor, ao ver que Tiago Pitbull estava como treinador de Poirier, já imaginava que uma das armas seria os chutes baixos.

“Quando eu vi que ele tinha Thiago Alves no corner, eu sabia o que me esperava. Eu sabia que ele ia tentar ganhar na base do chute baixo. Foi a minha primeira vez de experimentar isso. Ele acertou uma no começo, e o Thiago falou: “essa foi boa”, e eu estava pensando: “filho da p***, foi uma boa mesmo”. E isso foi acumulando”, disse McGregor.

Conor que chegou de muletas para a entrevista, voltou a frisar que os chutes baixos foram determinantes para o desfecho da luyta.

“Minha perna está completamente morta. Mesmo eu achando que estava conseguindo ficar em pé, estava muito comprometida. Sinto como se tivesse uma bola de futebol americano na minha perna”, revelou Conor.

THiago Pitbull é ex-atleta do UFC, e chegou a disputar o cinturão dos meio-médios do Ultimate. Especialista na luta em pé, o brasileiro atualmente é treinador da American Top Team.

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC 257 – POIRIER X CONOR

Conor McGregor (Foto: Getty Images)

Dana sobre pay-per-views do UFC 257: “Top 3 de todos os tempos”

O duelo principal do UFC 257 deste sábado (23) marcou muito mais que uma simples revanche para a organização. Segundo anunciou o presidente Dana White em coletiva de imprensa após o show, o evento ficou no top 3 de maiores vendas de pay-per-view da história do UFC.

“Foi uma noite boa, uma ótima noite. Foi top 2 de todos os tempos (pay-per-view). Está no top 2 ou no top 3 de todos os tempos”, disse Dana.

Se em 2014, Conor McGregor atropelou Dustin Poirier, no reencontro o americano devolveu na mesma moeda. Apesar de um primeiro round positivo para o irlandês, que chegou a conectar bons golpes, na segunda etapa Dustin Poirier provou ser um novo lutador.

O americano usou a técnica a seu favor, soube aproveitar o momento certo e liquidou a fatura de forma brutal com por nocaute técnico no segundo round.

RESULTADOS DO UFC 257:

CARD PRINCIPAL:
Peso-leve: Dustin Poirier venceu Conor McGregor por nocaute técnico (socos) aos 2:32 do 2º round
Peso-leve: Michael Chandler venceu Dan Hooker por nocaute técnico aos 2:30 do 1º round
Peso-mosca: Joanne Calderwood venceu Jessica Eye por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Peso-médio: Makhmud Muradov venceu Andrew Sanchez por nocaute técnico (socos) aos 2:59 do 3º round
Peso-palha: Marina Rodriguez venceu Amanda Ribas por nocaute técnico (socos) aos 54s do 2º round


CARD PRELIMINAR:
Peso-casado (71,2kg): Arman Tsarukyan venceu Matt Frevola por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26)
Peso-médio: Brad Tavares venceu Antônio Cara de Sapato por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Peso-galo: Julianna Peña venceu Sara McMann por finalização (mata-leão) aos 3:39 do 3º round
Peso-meio-pesado: Marcin Prachnio venceu Khalil Rountree Jr por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso-casado (68kg): Movsar Evloev venceu Nik Lentz por decisão unânime (29-28, 28-29, 29-28)
Peso-mosca: Amir Albazi venceu Zhalgas Zhumagulov por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

Dustin Poirier detona Conor

(Vídeo) Dustin Poirier destrói Conor McGregor em revanche no UFC 257

No duelo mais aguardado do UFC 257 deste sábado (24), uma reviravolta marcou o confronto entre Dustin Poirier e Conor McGregor. Depois de um primeiro round melhor para o irlandês, que levava vantagem na luta em pé, Poirier voltou para o segundo round e surpreendeu ao terminar por nocaute técnico após uma sequência avassaladora.

Foi a primeira derrota por nocaute de Conor McGregor na carreira, que após a luta disse que a inatividade e golpes nas pernas dados pelo americano foram primordiais para o desfecho. O irlandês também pediu uma terceira luta.

Já Dustin Poirier, alegou que a estratégia seria ser ‘técnico’ e não ir para briga. O americano confessou ter sentido alguns golpes do ex-campeão, mas ressaltou que foi importante para que ele “mudasse” o nível para conseguir a vitória.

COMO FOI A LUTA:

Conor começou buscando emplacar os primeiros socos, mas Dustin respondeu levando o irlandês para o solo. Sem sucesso na transição do americano, o duelo voltou a ficar em pé. A luta ficou com Dustin e Conor disputando o clinche na grade, porém o duelo retornou para a trocação franca. McGregor disparava os melhores golpes até o final do round

No segundo round, Conor continuou levando vantagem na troca franca de golpes no início. Dustin tentava travar a chegada do ex-campeão disparando chutes baixos, até que em boa sequência o americano conectou potentes golpes que fizeram Conor balançar. Sem reação, McGregor virou presa fácil de Dustin que terminou a luta por nocaute técnico.

Confira o momento da vitória de Dustin Poirier sobre Conor McGregor:

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC 257

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

UFC 257: Poirier x Conor

UFC 257 – Resultados: Dustin Poirier x Conor McGregor 2

Neste sábado (23) aconteceu o UFC 257 diretamente da Ilha da Luta em Abu Dhabi. Foi o primeiro evento numerado de 2021. O duelo principal aconteceu pela divisão dos leves entre o irlandês Conor McGregor e o americano Dustin Poirier.

O confronto co-principal marcou a estreia do ex-campeão do Bellator, Michal Chandler. O americano enfrentou pela divisão dos leves o neozelandês Dan Hooker.

Abrindo o card principal, Marina Rodriguez e Amanda Ribas fizeram um duelo brasileiro pela categoria peso-palha. Outro brasileiro presente no card é Antônio Cara de Sapato, que enfrentou o americano Brad Tavares na categoria dos médios.

RESULTADOS DO UFC 257 EM TEMPO REAL:

CARD PRINCIPAL:
Peso-leve: Dustin Poirier venceu Conor McGregor por nocaute técnico (socos) aos 2:32 do 2º round
Peso-leve: Michael Chandler venceu Dan Hooker por nocaute técnico aos 2:30 do 1º round
Peso-mosca: Joanne Calderwood venceu Jessica Eye por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Peso-médio: Makhmud Muradov venceu Andrew Sanchez por nocaute técnico (socos) aos 2:59 do 3º round
Peso-palha: Marina Rodriguez venceu Amanda Ribas por nocaute técnico (socos) aos 54s do 2º round


CARD PRELIMINAR:
Peso-casado (71,2kg): Arman Tsarukyan venceu Matt Frevola por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26)
Peso-médio: Brad Tavares venceu Antônio Cara de Sapato por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Peso-galo: Julianna Peña venceu Sara McMann por finalização (mata-leão) aos 3:39 do 3º round
Peso-meio-pesado: Marcin Prachnio venceu Khalil Rountree Jr por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso-casado (68kg): Movsar Evloev venceu Nik Lentz por decisão unânime (29-28, 28-29, 29-28)
Peso-mosca: Amir Albazi venceu Zhalgas Zhumagulov por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)

Leia também: McGregor afirma ter a resposta para “destruir” Khabib

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

Ottaman Azaitar fora do UFC

UFC 257: Ultimate demite Ottman Azaitar após violação de protocolo

O lutador Ottman Azaitar não é mais lutador do UFC. A organização encerrou o contrato com o peso-leve após uma violação do protocolo de segurança da Covid-19.

O anúncio veio durante a pesagem oficial, e em seguida o presidente Dana White confirmou o desligamento em entrevista para BT Sport. Segundo Dana, Ottman e sua equipe deram as pulseiras para amigos adentrarem em local não permitido.

“Ele e sua equipe cortaram suas pulseiras, deram para alguém fora da bolha (local onde o plantel do UFC está hospedado). Eu não sei como eles fizeram isso”, revelou Dana, que confirmou a demissão: ” Ele não é mais um lutador do UFC e não vai lutar amanhã”, finalizou Dana.

Ottman Azaitar enfrentaria Matt Frevola no UFC 257 deste sábado (23), porém com o cancelamento da luta o americano ganhou um novo adversário, Arman Tsarukyan. O russo-armênio enfrentaria o alemão Nasrat Haqparast, que deixou o evento após não comparecer a pesagem em decorrência de problemas de saúde.

CONFIRA OS RESULTADOS DA PESAGEM OFICIAL DO UFC 257:

CARD PRINCIPAL
Peso-leve (até 70,8kg): Dustin Poirier (70,8kg) x Conor McGregor (70,3kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Dan Hooker (70,8kg) x Michael Chandler (70,8kg)
Peso-mosca (até 57,2kg): Jessica Eye (57,2kg) x Joanne Calderwood (57,2kg)
Peso-médio (até 84,4kg): Andrew Sanchez (84,4kg) x Makhmud Muradov (84,4kg)
Peso-palha (até 52,6kg): Marina Rodriguez (52,6kg) x Amanda Ribas (52,6kg)


CARD PRELIMINAR
Peso-leve (até 70,8kg): Matt Frevola (70,5kg) x Arman Tsarukyan (71,2kg)*
Peso-médio (até 84,4kg): Brad Tavares (84,1kg) x Antônio Cara de Sapato (83,9kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Julianna Peña (61,7kg) x Sara McMann (61,2kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg): Khalil Rountree Jr. (93,4kg) x Marcin Prachnio (93,4kg)
Peso-casado (até 68kg): Nik Lentz (68kg) x Movsar Evloev (68kg)
Peso-mosca (até 57,2kg): Amir Albazi (57,2kg) x Zhalgas Zhumagulov (57,2kg)

Leia também: McGregor afirma ter a resposta para “destruir” Khabib

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

Conor McGregor tranquilo

Conor deixa lado “falastrão” e prega respeito antes do UFC 257

Conor McGregor fez história no MMA ao conquistar dois cinturões de forma simultânea, além de vencer grandes lutadores. Porém, o irlandês também se destacava fora do octógono. Com um estilo peculiar, McGregor possuía um “Trash Talking” de primeira linha, e acumulava polêmicas antes de suas lutas no UFC.

Era normal presenciarmos Conor sempre exaltado e deixando um ambiente hostil para as lutas, porém, ao que tudo indica esse lado “mala” do ex-campeão parece ter chegado ao fim, ou talvez, tido uma pausa.

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (21), Conor mais uma vez surpreendeu e pregou respeito com Poirier. Elogiou o projeto social do americano e ainda falou sobre a crescente na carreira do adversário.

“Tenho uma garrafa de “Proper” para você, adoraria compartilhar. Ele está na direção certa. Acho que todo o seu negócio é bastante impressionante. Depois que ele perdeu para mim, há muitos anos, se ergueu, se tornou campeão e tem dado de volta muita coisa. Estou honrado de dividir o octógono com esse cara. Sei que temos esse fogo de competir que ainda está lá. Não há como negar isso, nós temos um duelo e será um incêndio, mas o respeito é admirável por esse homem na minha frente”, falou Conor.

Por sua vez, Dustin também elogiou Conor e revelou que o ex-campeão começou a fazer doações para seu projeto social.

“Não quero fazer parecer como se estivéssemos aqui massageando as costas um do outro, mas o time do Conor procurou minha fundação e eles estão começando a fazer doações para a “The Good Fight Foundation”, e temos grandes planos com isso. Então, Conor, de homem para homem, você vai ajudar muita gente com isso”, disse Poirier

O primeiro encontro entre os dois aconteceu em 2014. Em um duelo marcado por bastante provocações fora do octógono, McGregor saiu o vitorioso por nocaute ainda no primeiro round.

Leia também: McGregor afirma ter a resposta para “destruir” Khabib

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

Conor McGregor alfinetou o russo Khabib

Conor McGregor afirma ter a “resposta para destruir” Khabib

Após Dana White anunciar que o retorno de Khabib dependerá possivelmente de como será o duelo entre Conor McGregor e Dustin Poirier no UFC 257, no próximo sábado (23), o irlandês quebrou o silêncio e criticou o russo.

“Eu acho que ele está com medo de lutar comigo, com certeza. Eu não o culpo. Eu sei exatamente o que ele tem que enfrentar. Eu lutei com o melhor dele naquela noite e ele lutou com o pior de mim naquela noite. Ele sabe disso, eu sei disso e a equipe dele sabe disso. Eu tenho a resposta para destruir este cara”, disparou Conor em entrevista à “ESPN”.

Ainda na entrevista, Conor voltou a alfinetar Khabib, disse que o ex-campeão não pode abandonar a divisão e ainda deu alguma opções de lutas.

“Eu acho que a mão dele está mostrando que ele não é um lutador de verdade, na minha opinião. Quero dizer, como você poderia se aposentar? Como pode ir embora? Há tantas lutas para se fazer. Pense em Diaz, Ferguson, Oliveira, a revanche comigo. Acho que é um absurdo ele ir embora” disparou McGregor.

Últimas aparições de Khabib Nurmagomedov e Conor McGregor

Conor McGregor e Khabib Nurmagomedov se enfrentaram em 2018 no UFC 229, e na ocasião o “falastrão” acabou derrotado por finalização. Desde então o russo defendeu o cinturão por mais duas vezes, contra Dustin Poirier e Justin Gaethje, enquanto Conor retornou em janeiro de 2020 e venceu Donald Cerrone por nocaute.

Leia também: Teste positivo para maconha não terá mais punição no UFC

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

Max Holloway x Calvin Kattar

Max Holloway aplicou 274 golpes na cabeça de Cattar no UFC Fight Island 7

E a sonora vitória de Max Holloway diante de Calvin Kattar neste sábado (16) na Ilha da Luta em Abu Dhabi, registrou número atípicos para uma grande batalha. A vitória convincente do havaiano no UFC Fight Island 7 pode ser exemplificada com números.

Max atingiu Calvin Kattar com 445 golpes, sendo 274 apenas na região da cabeça. A região do corpo foi atingida 117 vezes, enquanto as pernas de Calvin sofreu 54 pancadas. Apesar de resistir bravamente aos ataques do ex-campeão, Kattar conectou apenas 133 golpes dos 283 que tentou.

Os número expressivos também refletiram na pontuação dos juízes com uma goleada na papeleta de (50-43, 50-43, 50-42). Holloway e Cattar levaram um prêmio de performance de “luta da noite” no valor de US$ 50 mil (R$ 264,6 mil).

Apesar de possuir duas derrotas para o atual campeão dos penas, Alexander Volkanovski, a boa performance de Holloway rendeu elogios pelo presidente Dana White, que revelou uma possibilidade concreta de acontecer a trilogia com o atual campeão.

“Hoje ele lutou contra um cara difícil que um monte de gente dizia que venceria ele. Ele foi lá e o tratou como o sexto do ranking (…) Penso que ele merece essa luta contra Volkanovski novamente”, disse Dana.

Leia também: Teste positivo para maconha não terá mais punição no UFC

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC HOLLOWAY X CATTAR

Holloway vence Calvin Kattar

Max Holloway dá show e vence Calvin Kattar no UFC Fight Island 7

E no primeiro evento de 2021, o UFC retornou para a “Ilha da Luta” em Abu Dhabi. O duelo principal foi pela divisão dos penas entre o ex-campeão, Max Holloway e Calvin Kattar.

Em uma guerra de cinco rounds, o havaiano Holloway levou a melhor por decisão unânime, depois de um verdadeiro show ao dominar o duelo do início ao fim com uma performance digna de um ex-campeão.

A luta: Max Holloway começou mais agressivo, buscando mais a luta. Kattar tentava responder no contragolpe o ex-campeão. Holloway seguia mostrando bastante contundência e não parava de andar para frente. Na metade para o final do round o ímpeto de Holloway aumentou, e não deixava Calvin responder. Max aplicava boas sequências e atingia Kattar com facilidade na luta franca.

O pesadelo de Kattar continuou no segundo round. Holloway esbanjava poder ofensivo e não dava brechas. Com um pouco mais de dois minutos pela primeira vez Calvin conseguiu conectar um soco potente em Max, porém o ex-campeão rapidamente respondeu com mais uma sequência poderosa. No final do segundo round por muito pouco a luta não foi interrompida, após Max conceder uma blitz depois de um potente chute na cabeça que atordoou Calvin Kattar, mas

O terceiro round foi intenso. Calvin tentava se recuperar na luta, porém Holloway se mostrava muito agressivo e continuou com sua estratégia. Vários golpes entravam no frontal de Kattar, que não conseguia achar Max no octógono.

A torcida presente na arena aclamava o nome de Holloway no quarto round, e o havaiano seguia com uma pressão assustadora. Aplicou inúmeros golpes no rosto de Calvin que seguia de pé bravamente.

Perdendo claramente a luta, Calvin veio para o quinto round para o tudo ou nada. Max tratou de dominar o centro do octógono e apenas administrou sua vitória.

NÃO FOI O DIA DO HERMANO!

Sem lutar desde novembro de 2018, Santiago Poniznibbio sentiu o tempo fora e acabou derrotado. O argentino “gente boa” vinha embalado com uma sequência de sete vitórias seguidas, mas foi parado pelo chinês Li Jingliang por nocaute técnico ainda no primeiro round.

Confira os resultados do UFC Holloway x Kattar:

CARD PRINCIPAL:

Peso pena: Max Holloway venceu Calvin Kattar por decisão unânime (50-43, 50-43, 50-42)
Peso meio-médio: Carlos Condit venceu Matt Brown por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Peso meio-médio: Li Jingliang venceu Santiago Ponzinibbio por nocaute (socos) aos 4m25 do 1º round
Peso médio: Alessio Di Chirico venceu Joaquin Buckley por nocaute (chute alto) aos 2m12s do 1º round
Peso médio: Punahele Soriano venceu Dusko Todorovic por nocaute técnico (socos) aos 4m48s do 1º round

CARD PRELIMINAR:

Peso-galo: Joselyne Edwards venceu Wu Yanan por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Peso-pesado: Carlos “Boi” venceu Justin Tafa por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Peso meio-médio: Ramazan Emeev venceu David Zawada por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Peso-galo: Vanessa Melo venceu Sarah Moras por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27)
Peso-pena: Austin Lingo venceu Jacob Kilburn por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-27)

Leia também: Teste positivo para maconha não terá mais punição no UFC

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

Uso de maconha não terá mais punição no UFC

Teste positivo para maconha não terá mais punição no UFC

A USADA punirá caso indícios de uso excessivo de maconha seja notado

Nesta última quinta-feira (15), o Ultimate em parceria com a USADA (Agência Antidoping dos EUA) anunciou que não punirá atletas do UFC que testarem positivo para maconha, mais precisamente a substância THC, principal elemento psicoativo da planta.

No comunicado imposto pela USADA, foi relatado que os lutadores ainda correm o risco de sofrer punições caso seja feito a comprovação que o atleta tenha usado a substância afim de melhorar seu desempenho. Ou seja, eles continuaram sendo testados normalmente.

No protocolo anterior, o atleta era punido caso o exame realizado indicassem um uso superior da substância de THC acima de 180 ng/ml. Segundo Jeff Novitzky, diretor de saúde e performance do UFC, ao site “MMA Fighting”, a decisão foi tomada de forma científica.

“Como tudo que fazemos neste programa, é baseado na ciência. Especialmente nesta era de pandemia, tivemos todos esses problemas com lutadores aceitando lutas de última hora e terminando com resultados positivos para maconha e sempre investigamos depois. “Quando você usou?” E sempre o uso tinha sido dias ou semanas antes da luta. O que a ciência mostra é que há tantas variáveis nos níveis de THC no sangue e na urina que não há correlação científica entre esse número e um impedimento. E a única coisa que nos importamos na luta de uma perspectiva antidoping é se o lutador está prejudicado”, disse Jeff. (Tradução retirada do site Combate).

Jeff Novitzky, diretor de saúde e performance do UFC (Foto: Getty Images)

Ainda sobre uma possível punição pelo uso da maconha, Jeff explicou que indícios durante o período da competição determinará se o lutador está afetado ou não pela substância.

“É inerente que “melhora de performance” significa que você está afetado pela maconha, que está sob influência. Estamos supondo que, se você está sob a influência, há algum benefício de melhora de performance. Os cenários que posso pensar seriam se um lutador aparecesse na noite da luta no vestiário com olhos vermelhos, se cheiram a maconha, estão com a fala mais lenta ou com olhar distante. Há evidência que eles usaram recentemente maconha, acho que isso qualificaria como fator de melhora de performance, porque eles estão afetados numa luta”, relatou Jeff Novitzky.

Leia também: Desembolando o peso-médio do UFC: Quem é o regente?

SIGA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM

UFC 256

UFC 256 – Resultados: Deiveson x Brandon Moreno

E no último evento numerado de 2020, o UFC 256 trouxe também a última disputa de cinturão do ano. O brasileiro Deiveson Figueiredo colocou o cinturão dos moscas em jogo contra o mexicano Brandon Moreno, neste sábado (12) em Las Vegas (EUA).

Foi a segunda defesa de cinturão do “Deus da Guerra”, defendeu o título pela primeira vez no último dia 21 contra o americano Alex Perez. Em seu cartel, Figueiredo detém 18 vitórias, cinco derrotas e um empate

No mesmo dia, Brandon Moreno venceu Brandon Royal por nocaute técnico no primeiro round. Foi a terceira vitória consecutiva do mexicano de 27 anos.

A co-luta principal do UFC 256 marcou possivelmente o próximo desafiante ao cinturão dos leves. O brasileiro Charles Oliveira enfrentou o americano Tony Ferguson mirando uma chance pelo título.

ACOMPANHE OS RESULTADOS DO UFC 256 EM TEMPO REAL:

CARD PRINCIPAL:
Peso-mosca: Deiveson Figueiredo e Brandon Moreno foi declarado empate majoritário (47-46, 47-47, 47-47)
Peso-leve: Charles do Bronx venceu Tony Ferguson por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-26)
Peso-palha: Mackenzie Dern venceu Virna Jandiroba por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso-médio: Kevin Holland venceu Ronaldo Jacaré por nocaute aos 1m45s do 1 º round
Peso-pesado: Ciryl Gané venceu Junior Cigano por nocaute técnico aos 2m34s do 2º round

CARD PRELIMINAR:
Peso-pena: Cub Swanson venceu Daniel Pineda por nocaute aos 1m52s do 2º round
Peso-leve: Rafael Fiziev venceu Renato Moicano por nocaute aos 4m05s do 1º round (30-27, 30-27, 30-27)
Peso-pena: Gavin Tucker venceu Billy Quarantillo por decisão unânime
Peso-palha: Tecia Torres venceu Sam Hughes por nocaute técnico (interrupção médica) aos 5:00 do 1º round
Peso-pena: Chase Hooper venceu Peter Barrett por finalização aos 3m2s do 3º round

Leia também: Após perder eleição, ex-UFC Rony Jason diz que vai colocar fogo em bandeira de Quixadá

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

UFC e o plano de demissões

Dana White revela ‘limpa’ no UFC: “60 demissões”

Se a notícia da demissão do veterano Yoel Romero do UFC surpreendeu muitas pessoas, ao que tudo indica, ele foi só o primeiro a compor uma lista grande de dispensas do Ultimate que está por vir, segundo comunicou Dana White.

O presidente da organização revelou que não será apenas o cubano que deixará a franquia. Aproximadamente 60 lutadores serão demitidos. Ainda segundo Dana, isso deve pelo fato de que atualmente a organização está com o plantel muito extenso.

“Nós vamos passar por cortes severos até o fim do ano. Provavelmente teremos 60 demissões antes do primeiro dia do ano (2021). O Yoel perdeu quatro das últimas cinco lutas e ele tem 44 anos. Nosso plantel está muito inflado nesse momento. Então nós vamos ter que fazer alguns grandes cortes antes do fim do ano. Vocês vão ver muitos nomes conhecidos sendo dispensados nas próximas semanas”, disse Dana.

O UFC que vem passando por grandes desafios em 2020. Já que a pandemia afetou incisivamente o evento, que ainda teve uma proposta diferenciada e manteve as edições com um evento por semana.

Atletas saindo do card contaminado pelo coronavírus forçaram o Ultimate a inflar o plantel, já que substituições nas lutas foram recorrentes ao longo do ano.

Leia também: Após perder eleição, ex-UFC Rony Jason diz que vai colocar fogo em bandeira de Quixadá

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Deiveson Figueiredo mantem o cinturão

Deiveson Figueiredo finaliza Alex Perez e mantem cinturão no UFC 255

E o rei da categoria peso-mosca do Ultimate ainda segue o mesmo. O brasileiro Deiveson Figueiredo fez uma nova vítima neste sábado (21) no UFC 255 em Las Vegas (EUA) e manteve o cinturão após finalizar o desafiante Alex Perez ainda no primeiro round.

Com muita confiança, o brasileiro não precisou usar seu poder em pé e provou ter um jogo justo no chão. Aproveitou uma falha do adversário e com uma grande transição conseguiu encaixar uma finalização com menos de dois minutos de luta.

A luta: Deiveson começou disparando chutes potentes, Alex Perez respondeu no contragolpe e buscou a luta agarrada, porém o brasileiro surpreendeu deu um bote nas pernas do americano e tentou a finalização, mas Perez avançou e ficou em posição de vantagem por cima no solo, entretanto o cenário mudou quando Deiveson aproveitou uma brecha do americano e terminou a luta com uma guilhotina.

Deiveson Figueiredo ampliou seu cartel para 20 vitórias e apenas uma derrota. O brasileiro vem de cinco vitórias consecutivas e emplacou a primeira defesa de cinturão. Em entrevista após a luta, Figueiredo pediu uma luta contra o mexicano Brandon Moreno, que é o atual número um da categoria e derrotou neste sábado Brandon Royval por nocaute técnico.

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC 255

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Valentina Shevchenko

Valentina Shevchenko supera Jennifer Maia na decisão no UFC 255

Na co-luta principal do UFC 255 neste sábado (21) em Las Vegas, a campeã Valentina Shevchenko manteve o cinturão peso-mosca. Na sua frente estava a brasileira Jennifer Maia, que chegou a ter um momento de controle na luta, porém não o suficiente para frear a pressão da quiguistanesa que levou a melhor por decisão unânime.

A luta: O duelo começou quente com as duas lutadoras indo para trocação franca. Em aproximação Valentina levou Jennifer para o solo e ficou por cima. A brasileira buscava travar os braços da campeã afim de não dar espaço para Shevchenko golpear no ground and pound. Ainda que tenha ficado em posição de domínio durante boa parte do primeiro round, Valentina não conseguia contundência nos golpes e não arriscava muitos ataques.

Não demorou muito e nos primeiros instantes do segundo round novamente Valentina tentou levar a luta para o chão. Mas dessa vez Jennifer Maia resistiu e agarrou a quiguistanesa de costas para a grade. Na briga pela melhor posição na luta agarrada em pé, Maia levou vantagem, conseguiu quedar a campeã e ficou por cima e controlou a luta até o final do segundo assalto.

A terceira etapa teve Jennifer Maia buscando a luta agarrada, mas dessa vez a campeã rechaçou a aproximação da brasileira. O duelo ficou no centro do octógono e Shevchenko acertou um bom chute alto e um direto na guarda da brasileira, em sequência emplacou uma belíssima queda e foi para cima da desafiante, porém não demorou muito para Jennifer conseguir reestabelecer a luta em pé e tentar agarrar Valentina, que revidou terminando o round com mais uma queda.

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

No penúltimo round Valentina voltou a mostrar mais potência nos golpes desferidos em pé e conseguia conectar boas sequências na guarda da brasileira. Com um pouco mais de três minutos Maia acertou dois cruzados de direita na campeã, porém Valentina respondeu com uma queda e foi para o amassa na curitibana no chão. Trabalhando posição no solo por cima, Valentina conseguiu ir para as costas, enquanto a brasileira tentava resistir as investidas.

No último assalto, Jennifer Maia foi para o tudo ou nada. Perdendo a luta, e orientada pelo seu corner a buscar a vitória pela via rápida, foi para cima de Valentina no começo, porém a campeã respondeu com algumas sequências em pé. Maia tentou surpreender a campeã na luta agarrada na grade, mas o combate voltou a se desenvolver na trocação. Shevchenko conseguia levar vantagem e seguia conectando bons golpes no frontal da brasileira.

Em decisão oficial dos juízes laterais, Valentina Shevchenko foi declarada vencedora por decisão unânime e emplacou a quinta defesa do cinturão peso-mosca.

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC 255

UFC 255 Deiveson x Perez

UFC 255 – Resultados: Deiveson Figueiredo x Alex Perez

E um dos eventos mais importantes para o Brasil em 2020, o UFC 255 aconteceu neste sábado (21), em Las Vegas (EUA). O duelo principal marcou a primeira defesa de cinturão do brasileiro Deiveson Figueiredo, que colocou o cinturão peso-mosca e jogo contra o americano Alex Perez.

A co-luta principal foi um duelo feminino entre a campeã peso-mosca Valentina Shevchenko diante da brasileira Jennifer Maia. A quirguistanesa foi para a quinta defesa de título. .

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

ACOMPANHE OS RESULTADOS DO UFC 255 EM TEMPO REAL:

CARD PRINCIPAL:
Peso-mosca: Deiveson Figueiredo venceu Alex Perez por finalização (guilhotina) aos 1m57s do 1º round
Peso-mosca: Valentina Shevchenko venceu Jennifer Maia por decisão unânime (49-46, 49-46, 49-46)
Peso-meio-médio: Tim Means venceu Mike Perry por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)
Peso-mosca: Katlyn Chookagian venceu Cynthia Calvillo por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Peso-meio-pesado: Paul Craig venceu Maurício Shogun por nocaute técnico (socos) aos 3m36s do 2º round

CARD PRELIMINAR:
Peso-mosca: Brandon Moreno venceu Brandon Royval por nocaute técnico aos 4m59s do 1º round
Peso-médio: Joaquin Buckley venceu Jordan Wright por nocaute aos 18s do 2º round
Peso-mosca: Antonina Shevchenko venceu Ariane Lipski por nocaute técnico (socos) aos 4m33s do 2º round
Peso-meio-médio: Nicolas Dalby venceu Daniel Rodriguez por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)
Peso-meio-médio: Alan Jouban venceu Jared Gooden por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Peso-médio: Kyle Daukaus venceu Dustin Stoltzfus por decisão unânime
Peso-meio-médio: Sasha Palatnikov venceu Louis Cosce por nocaute técnico (socos) aos 2m27s do 3º round

Leia também: Após perder eleição, Rony Jason diz que vai colocar fogo em bandeira de Quixadá

Rony Jason

Após perder eleição, Rony Jason diz que vai ‘colocar fogo’ em bandeira de Quixadá

O ex-lutador do UFC, Rony Jason foi candidato a vereador pela cidade de Quixadá (Ceará) nas eleições 2020. Prata da casa, o atleta conseguiu 96 votos e não foi eleito.

Em um áudio que começou a circular neste domingo (15) após a apuração de votos, Rony Jason se mostrou bastante insatisfeito com a votação e se revoltou em um grupo no WhatsApp, onde supostamente estava apoiadores de sua campanha.

“Eu tirei menos votos do que pessoas que tem aqui no grupo. Eu imagino que num grupo desse aqui, no mínimo, teria um voto a mais ou então multiplicaria por dois”, falou Rony na gravação.

Ainda no áudio, Jason falou em “humilhação” e afirmou que colocaria fogo na bandeira de Quixadá.

“Amanhã eu estou tocando fogo na bandeira que eu tenho de Quixadá. Porque eu não vou tá me arrombando todo com mais de 120 pontos no rosto, levantando a bandeira de Quixadá, pra ser tão humilhado como eu fui nessa eleição”, disse Rony Jason.

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Procurado pelo “Tudo Sobre MMA”, o cearense revelou não estar arrependido pelo áudio, porém voltou atrás e falou que não colocará fogo na bandeira da sua cidade natal.

“Não trabalho com falsidade, falei mesmo! Eu sangro por essa cidade e uma parte dela é corrupta. Fiz uma campanha limpa e honesta, e jamais colocaria fogo na minha bandeira. Defendo a cidade e minha bandeira a 21 anos. Fiz o áudio no calor do momento, onde vi que nem pessoas da minha família votaram em mim”, desabou Rony Jason de forma exclusiva para o Tudo Sobre MMA.

Leia também: Lutador do UFC é condenado a 22 meses de cadeia

Amanda Nunes

Amanda Nunes deixa luta contra Megan Anderson e duelo acontecerá em 2021

O duelo entre Amanda Nunes e Megan Anderson deverá acontecer somente em 2021. Segundo informou a ESPN, a brasileira deixou o duelo que estava marcado para acontecer no UFC 256, no dia 12 de dezembro. O motivo de sua saída ainda é desconhecido.

Amanda Nunes defenderia o cinturão dos penas pela segunda vez. A primeira aconteceu em junho, quando venceu Felicia Spencer. A Leoa detém também o cinturão dos galos, no qual já defendeu cinco vezes.

Até o momento o Ultimate não se pronunciou oficialmente. Ao que tudo indica, o duelo principal do UFC 256 será entre o campeão dos galos Petr Yan e Aljamain Sterling.

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

DOS ANJOS COM NOVO ADVERSÁRIO

Faltando menos de uma semana para o evento, o brasileiro Rafael dos Anjos ganhou um novo adversário. Depois de Islam Makhachev deixar a luta contra o ex-campeão, o irlandês Paul Felder entrou para substituir o russo.

O duelo continuará sendo a luta principal e terá cinco rounds. O embate marcará o retorno de Rafael dos Anjos no peso-leve. Já Paul Felder não luta desde fevereiro, quando foi derrotado por Dan Hooker.

Leia também: Lutador do UFC é condenado a 22 meses de cadeia

Glover Teixeira

Glover Teixeira vence Thiago Marreta e emplaca a quinta vitória consecutiva

Em um duelo brasileiro neste sábado (09), no UFC Vegas 12, o veterano Glover Teixeira levou a melhor sobre o compatriota Thiago Marreta por finalização no terceiro round. O combate foi cheio de reviravoltas, mas a resistência de Glover e seu poder no chão fizeram a diferença.

O primeiro round começou com Marreta provando seu poder de nocaute, e com uma boa sequência de golpes em pé forçaram Glover levar a luta para o chão onde ficou até o final da luta aplicando alguns socos no rosto de Marreta.

O segundo round foi ainda melhor para Glover. O mineiro de 41 anos não precisou de muito tempo para novamente levar o duelo para o solo. Teixeira mostrava muita técnica e domínio e por muito pouco não terminou a luta com um mata-leão nos últimos segundos do round.

E no derradeiro terceiro round, foi a vez de Thiago Marreta passar pelo melhor momento. Após uma tentativa equivocada de Glover em buscar a luta agarrada, Marreta desferiu uma bomba no frontal de Glover, que sentiu e foi para o chão, porém, Teixeira resistiu bravamente aos ataques, reverteu a posição foi para as costas e terminou a luta por finalização mata-leão ainda no terceiro round.

Glover Teixeira emplacou a quinta vitória consecutiva e pediu uma chance pelo cinturão. Já Thiago Marreta, que retornou após um longo período afastado em decorrência de lesões que sofreu na última luta, quando foi superado por Jon Jones.

RESULTADOS UFC VEGAS 13 GLOVER X MARRETA:

CARD PRINCIPAL:
Glover Teixeira venceu Thiago Marreta por finalização com 1m49s do R3
Andrei Arlovski venceu Tanner Boser por decisão unânime (triplo 29-28)
Raoni Barcelos venceu Khalid Taha por decisão unânime (triplo 30-27)
Giga Chikadze venceu Jamey Simmons por nocaute técnico aos 3m51s do R1
Yan Xiaonan venceu Cláudia Gadelha por decisão unânime (triplo 29-28)


CARD PRELIMINAR:
Trevin Giles venceu Bevon Lewis por nocaute técnico com 1m26s do R3
Alexandr Romanov venceu Marcos Pezão por finalização aos 4m48s do R1
Darren Elkins venceu Luiz Eduardo Garagorri por finalização aos 2m22s do R3
Max Griffin venceu Ramiz Brahimaj por nocaute técnico aos 2m03s do R3
Gustavo Lopez venceu Anthony Birchak por finalização aos 2m43s do R1

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Leia também: Lutador do UFC é condenado a 22 meses de cadeia

Anderson Silva x Uriah Hall

Anderson Silva é nocauteado em despedida contra Uriah Hall

Após mais uma série de eventos na Ilha da Luta em Abu Dhabi, o Ultimate retornou à Las Vegas neste sábado (31) para mais uma edição. O confronto principal foi muito especial, pois marcou a possível despedida do ex-campeão Anderson Silva. Mas quem estava para estragar a festa do brasileiro era o jamaicano Uriah Hall.

E não deu outra, o coadjuvante Uriah Hall superou o brasileiro por nocaute técnico no quarto round aos 1m24s de luta.

Ainda que o nocaute doloroso possa alimentar uma ideia de superioridade absoluta do adversário, “Spider” chegou a ter bons momentos na luta, principalmente no primeiro round onde mostrou boa movimentação e leva vantagem, enquanto Hall respeitava o ex-campeão e não conseguia ter sucesso nos ataques ao brasileiro.

Já o segundo round foi mais parelho. Os dois lutadores voltaram mais focados, porém o jamaicano ainda estava tímido na luta e não se soltava. Anderson Silva apesar de não fugir do combate também não conseguia encaixar uma boa sequência de golpes.

O terceiro round foi derradeiro para o final da luta. Anderson e Uriah Hall seguia na trocação em pé, e Spider teve um bom momento após conectar alguns golpes no jamaicano, que depois de reclamar de uma possível dedada no olho do brasileiro conectou um potente soco de direita que fez Anderson ir ao solo e acabar salvo pelo gongo antes da interrupção do árbitro.

E na quarta etapa Hall voltou mais agressivo buscando a luta, e em aproximação do brasileiro aplicou um golpe que levou Spider em knockdown, no chão, Anderson ainda tentou se defender, mas o ataque poderoso de Uriah forçou o árbitro a interromper a luta por nocaute técnico.

Foi a terceira vitória consecutiva de Uriah Hall, e após a luta o jamaicano se desabou no choro mostrando respeito por Anderson Silva. Em entrevista após o duelo, Spider não cravou que essa foi sua última luta da carreira, disse que irá conversar primeiro com sua equipe e família para decidir o seu futuro.

RESULTADOS DO UFC VEGAS 12:

CARD PRINCIPAL
Uriah Hall venceu Anderson Silva por nocaute técnico aos 1m24s do R4
Bryce Mitchell venceu Andre Fili por decisão unânime (29-28, 30-27 e 30-27)
Greg Hardy venceu Maurice Greene por nocaute técnico aos 1m12s do R2
Kevin Holland venceu Charlie Ontiveros por desistência verbal aos 2m39s do R1
Thiago Moisés venceu Bobby Green por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)


CARD PRELIMINAR
Alexander Hernandez venceu Chris Gruetzemacher por nocaute técnico a 1m46s do R1
Adrian Yanez venceu Victor Rodriguez por nocaute aos 2m46s do R1
Sean Strickland venceu Jack Marshman por decisão unânime (30-27, 39-27, 30-27)
Jason Witt venceu Cole Williams por finalização aos 2m09s do R2
Dustin Jacoby venceu Justin Ledet por nocaute técnico aos 2m38s do R1
Miles Johns venceu Kevin Natividad por nocaute aos 2m51s do R3

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Leia também: Lutador do UFC é condenado a 22 meses de cadeia

Khabib x Justin

Khabib finaliza Justin Gaethje e anuncia aposentadoria no UFC 254

Khabib Nurmagomedov ampliou seu cartel invicto neste sábado (24), no UFC 254 na Ilha da Luta em Abu Dhabi. Em mais um domínio completo do russo, Khabib não teve dificuldades e finalizou o americano Justin Gaethje no segundo round e manteve o cinturão dos leves.

Ainda no octógono após a luta, Khabib anunciou aposentadoria do esporte. Foi a primeira luta do campeão após a morte de seu pai, Abdulmanap Nurmagomedov, que faleceu há poucos meses vítima da covid-19.

Na entrevista, Khabib revelou que fez uma promessa para sua mãe que não voltará ao octógono. O campeão se emocionou ao falar de seu pai, e disse que não faz mais sentido voltar a lutar sem a presença dele.

Leia também: Lutador do UFC é condenado a 22 meses de cadeia

Nurmagomedov encerra sua carreira com uma marca expressiva de 29 vitórias e nenhuma derrota. Conquistou o cinturão da categoria após bater Al Iaquinta em 2018, e desde então emplacou três defesas de título, contra Conor McGregor, Dustin Poirier e agora Justin Gaethje.

“Cowboy brasileiro” vacila e estreante não perdoa!

Único brasileiro escalado para o UFC 254, Alex Cowboy foi rapidamente superado pelo estreante Shakvat Rakhmonov ainda no primeiro round.

Cowboy foi punido com alguns golpes em pé, Rakhmonov tentou levar a luta para o chão, porém o brasileiro conseguiu fazer a defesa e tentou levar luta para o solo, entretanto, acabou se descuidando ao deixar o pescoço livre a acabou finalizado com uma guilhotina.

Alex Cowboy buscava a terceira vitória consecutiva na organização. O atleta de Três Rios (RJ) vinha de duas vitórias, uma sobre Max Griffin e outra diante de Peter Sobotta.

RESULTADOS DO UFC 254:

CARD DO EVENTO:
Khabib Nurmagomedov venceu Justin Gaethje por finalização aos 1m34s do R2
Robert Whittaker venceu Jared Cannonier por decisão unânime (triplo 29-28)
Alexander Volkov venceu Walt Harris por nocaute técnico aos 1m15s do R2
Phil Hawes venceu Jacob Malkoun por nocaute aos 18s do R1
Lauren Murphy venceu Liliya Shakirova por finalização aos 3m31s do R2
Magomed Ankalaev venceu Ion Cutelaba por nocaute técnico aos 4m19s do R1

CARD PRELIMINAR:
Tai Tuivasa venceu Stefan Struve por nocaute aos 4m59s do R1
Casey Kenney venceu Nathaniel Wood por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27)
Shavkat Rakhmonov venceu Alex Cowboy por finalização aos 4m40s do R1
Sam Alvey e Da Un Jung empataram na decisão dividida (28-29, 29-28 e 28-28)
Miranda Maverick venceu Liana Jojua por nocaute técnico aos 5m do R1
Joel Alvarez venceu Alexander Yakovlev por finalização aos 3m do R1

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Ortega x Zumbi

Brian Ortega supera Zumbi Coreano na decisão: Jéssica nocauteia no 1º round

Aconteceu neste sábado (17) o penúltimo evento na “Ilha da Luta”, neste retorno do UFC em Abu Dhabi. Liderando o card, Brian Ortega e o Zumbi Coreano buscavam uma vitória para se aproximarem de uma disputa pelo cinturão.

E quem levou a melhor foi o americano. Ortega dominou o sul-coreano durante os cinco rounds e saiu o vitorioso por decisão unânime dos juízes. Após a luta, Brian pediu uma chance pelo cinturão contra o campeão Alexander Volkanovski.

Ortega que já disputou o cinturão da categoria. Na época enfrentou Max Holloway e acabou derrotado por nocaute técnico. Foi a primeira derrota na carreira do americano.

Leia também: Lutador do UFC é condenado a 22 meses de cadeia

Quase todos os brazucas vão mal em Abu Dhabi!

Salvando a noite brasileira, Jéssica Andrade não deu chances para Katlyn Chookagian e saiu vitoriosa por nocaute técnico ainda no primeiro round. O início do fim para a americana foi após Jéssica aplicar um potente gancho no fígado, onde abriu o caminho para terminar a luta na via rápida.

Com o triunfo na estreia no peso-mosca, Jéssica Andrade escreveu o seu nome na história como a primeira lutadora a lutar em três divisões.

Claúdio Hannibal e Thominhas Alemeida também foram representantes verde e amarelo na noite. E os dois não conseguiram trazer a vitória. Thomas acabou superado na decisão unânime por Jonathan Martinez, enquanto Hannibal perdeu para James Krause também por decisão.

A primeira brasileira em ação na noite foi Poliana Botelho. A peso-mosca não lutava há quase um ano e acabou saindo derrotada na decisão unânime em luta contra Gillian Robertson

CARD PRINCIPAL
Brian Ortega venceu Chan Sung Jung por decisão unânime (triplo 50-45)
Jéssica Bate-Estaca venceu Katlyn Chookagian por nocaute técnico aos 4m55s do R1
Jimmy Crute venceu Modestas Bukauskas por nocaute aos 2m01s do R1
James Krause venceu Cláudio Hannibal por decisão unânime (triplo 30-27)
Jonathan Martinez venceu Thomas Almeida por decisão unânime (triplo 30-27)


CARD PRELIMINAR
Guram Kutateladze venceu Mateusz Gamrot por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)
Gillian Robertson venceu Poliana Botelho por decisão unânime (29-28, 29-27 e 29-27)
Jun Yong Park venceu John Phillips por decisão unânime (triplo 30-25)
Fares Ziam venceu Jamie Mullarkey por decisão unânime (triplo 29-28)
Maxim Grishin venceu Gadzhimurad Antigulov por nocaute técnico aos 4m58s do R2
Said Nurmagomedov venceu Mark Striegl por nocaute técnico aos 51s do R1

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Jacaré

Ronaldo Jacaré retorna contra Marvin Vettori no UFC 256

Sem lutar há quase um ano, o retorno de Ronaldo Jacaré está marcado. Segundo apurou site “BJ Penn”, o brasileiro irá substituir o russo Omari Akhmedov em luta contra o italiano Marvin Vettori, em Las Vegas no dia 12 de dezembro no UFC 256.

Jacaré não vence desde novembro de 2018, quando nocauteou o ex-campeão Chris Weidman. Desde então perdeu duas vezes consecutivas, contra Jack Hermansson na decisão unânime, e por último contra o agora campeão dos meio-pesados, Jan Blachowicz, na decisão dividida.

Leia também: Lutador do UFC é condenado a 22 meses de cadeia

Do outro lado estará Marvin Vettori. O italiano de 27 anos vive fase contrária ao brasileiro. Já soma três vitórias consecutivas na organização, enfileirando Cézar “Mutante”, Andrew Sanchez e na última luta Karl Roberson em junho deste ano.

A última derrota do italiano foi para o atual campeão dos médios, Israel Adesanya. Em luta parelha, o nigeriano levou a melhor por decisão dividida dos juízes, em abril de 2018.

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

  • 1
  • 2