O Retorno de Deiveson Figueredo ao Palco do UFC

|OPINIÃO| Deiveson Figueiredo retorna ao palco mais famoso do MMA no UFC 256 menos de um mês depois de vencer sua última luta.

Deiveson Figueiredo mantém seu cinturão do UFC 255

(Photo by Mike Roach/Zuffa LLC)

O Deus da Guerra manteve seu cinturão, dos Pesos Moscas Masculinos (até 57kg) após uma vitória relativamente fácil, através de uma guilhotina muito justa em Alex Perez, no UFC 255, que aconteceu em Las Vegas, Nevada, nas instalações do UFC APEX, no dia 21 de Novembro de 2020.

A luta começou disputada em pé, com o brasileiro e campeão, controlando a distância com chutes altos, mas sem muita efetividade para ambos os lados. Foi quando o americano, com ascendência mexicana, decidiu entrar nas pernas de Daico buscando sair da trocação mais franca e assim, derrubá-lo. Isso não deu certo e ele sofreu uma transição incrível, Figueiredo inverteu a posição e passou a dominar as ações, indo para suas pernas buscando possivelmente alguma chave ali.

A luta se embolou no chão e ambos abandonaram aquela posição, Deiveson deu as costas e assim que foi capturado por Perez, virou-se de frente e laçou o pescoço do desafiante. Foi o começo do fim. A guilhotina já estava ajustada antes do erro técnico de Alex, que se ergueu ainda de joelhos e fez guilhotina encaixar ainda mais. Ele não teve outra opção a não ser dar os três tapinhas rapidamente. 

Cinturão para o Brasil. Mas uma vitória para Daico e o Peso Mosca Masculino (até 57kg) está em chamas.

No mesmo evento, Brandon Moreno, o novíssimo desafiante ao cinturão da categoria também venceu. Ele derrotou Brandon Royval numa luta que em alguns momentos pareceu totalmente unilateral com o domínio do então vencedor. A vitória foi declarada como um nocaute técnico via socos, mas a verdade é que Royval lesionou seu braço durante a investida de Moreno, que o dominava no chão, por cima, em posição de vantagem.

Retorno ao maior palco de MMA do mundo

Moreno ao vencer sua luta fez o gesto pedindo o cinturão já conhecido pelos amantes de MMA. Algo que não passou em branco para o campeão que na entrevista pós luta, ainda dentro da arena Apex, pediu para Dana White organizar uma luta com Moreno em dezembro.

E ao que parece, é isso que vai acontecer, segundo o mandatário do UFC. 

“Nós vamos mantê-lo aqui. Ele [Deiveson] não vai voar de volta para o Brasil, vamos colocá-lo de volta logo mais”, disse Dana White, “[Essa luta vai acontecer] em dezembro, estamos trabalhando para isso”

A luta vai encabeçar o card do evento numerado 256, que recentemente perdeu, outra vez, sua luta principal, que seria encabeçada por Petr Yan e Aljamain Sterling, ainda por motivos desconhecidos. Esse evento vai acontecer no dia 12 de Dezembro.

É, é isso mesmo que você leu, os dois vão sair na porrada 21 um dias depois das suas últimas atuações. É simplesmente a disputa de cinturão mais rápida da história do evento.

Vai dizer que os dois não são brabos? Isso é MMA de verdade meus amigos!

Retrospecto e Análise Resumida de Brandon “The Assassin Baby” Moreno

(Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Com 9 combates pelo UFC, uma rápida saída e volta triunfal, enfileirando 4 de 5 lutas (porque uma delas foi um empate), o Bebê Assassino (?) tem ao todo sete triunfos, além de duas derrotas. Não é nada mal para uma categoria com menos nomes como o Peso Mosca Masculino.

Moreno é um atleta grande para a categoria, com 1,70 de altura e quase 10 cm a mais de alcance é capaz de implementar um jogo de trocação perigoso, mas efetivo. 

Usando a distância como segurança, pode jogar golpes bem alongados e se valer de contra golpes – o chute alto de direita é um dos poderosos que costumam abalar seus adversários. Apesar disso é um trocado regular que boxear bem e tem esquivas afiadas, contudo está sempre se abrindo. Sempre, principalmente quando ataca.

Porém, seu carro forte é a luta agarrada. Brandon é um grappler de marca maior, mesmo não sendo um faixa preta ainda, ele já superou gente com maior gabarito que ele – alô Formiga, tudo bem? Suas habilidades no chão são sua maior arma, mas o ponto mais interessante são suas transições de posições, tanto nas favoráveis quando nas desfavoráveis. Ali é onde parece se sentir em casa e oferece o maior risco.

Retrospecto e Análise Resumida de Deiveson “Deus da Guerra” Figueiredo

(Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images)

Deiveson Figueiredo, Deus da Guerra, ou Daico para os mais chegados, em um atleta de MMA brasileiro que acumula em seu cartel um total de 20 vitórias em 21 lutas. Dentro do UFC, o campeão dos Peso Moscas (categoria até 57kg) tem 10 lutas e 9 triunfos, a única derrota veio por uma decisão apertada contra seu compatriota, o Jussier Formiga – ué, mma é uma caixinha de surpresas, não é?.Mas é importante dizer que, depois dessa derrota Daico não parou mais, foram 5 vitórias (a conquista do título) sendo que só uma foi por decisão, as demais? Tudo nocaute e finalização.

O campeão tem 1,65 de altura e 1,73 de alcance, o que não o confere um tamanho tão destacável, mas seu porte físico o torna grande para a categoria. Sem dúvidas o brasileiro é imponente. 

Seu jogo, norteado por uma base firme na luta agarrada, conquistada pela prática natural da luta marajoara (uma espécie de luta olímpica que nasceu com a população indígena do norte do Pará) somada às práticas de wrestler e jjb, o fazem ser impecável quando se trata de grappling. Não à toa, por toda sua carreira, Deiveson, emplacou finalizações impressionantes – em especial aquela guilhotina brutal com a qual finalizou seu último adversário. Poderoso, e com investidas inteligentes e quase mágicas ele consegue fazer inversões e buscar posições nada ortodoxas.

Mas o Deus da Guerra não é apenas um tubarão quando se trata da luta agarrada. Daico tem potência em ambas as mãos e é dono de um boxe muito efetivo e agressivo. Sempre marchando para cima, ele acredita no seu queixo e no seu jogo de pressão para por seu adversário na lona. Em verdade, não é apenas seu boxê, mas o campeão vem mostrando uma franca evolução na sua habilidade de trocar golpes, usando bem esquivas, guardas, chutes altos e baixos.

Figueiredo é uma potência e poucos parecem estar aptos a lidar com isso.

No maior palco do MMA mundial, Deiveson e Brandon vão pela Guerra

Eu consigo imaginar três situações para esse combate. E não é difícil você, leitor, que é safo na parada, imaginar algo parecido. Então vamos trocar uma ideia aqui:

  1. Deiveson brutaliza

Essa é a mais fácil de todas. E com certeza você tá cravando esse resultado pra luta principal do próximo dia 12. Mas vamos chegar nessa resposta analisando alguns elementos do combate.

Moreno é um trocador eficiente que abusa do alcance e ainda alonga mais seus golpes. O problema é que Deiveson é um pequeno tanque de guerra e absorve tudo. Com a guarda baixa, Brandon não terá muito o que fazer caso não inflija algum dano em Daico e se verá frente a frente a um predador de alto nível. Na curta distância, seus braços compridos jogam contra o desafiante que além de estar desprotegido pode não ter muito o que fazer além de aceitar o que o Deus da Guerra propor por alguns instantes – o suficiente para ser bombardeado pela pesado mão do campeão. 

Nocaute. Brutal. E o Rhodes indo ao delírio na sua narração.

  1. Deiveson finaliza

Essa já é mais complicada, mas ainda é possível. Moreno é muito habilidoso no chão, eu o consideraria bem ‘liso’ – aquele cara que escapa de tudo. 

Acho complicado, porque apesar de Daico ser um bom lutador no chão ele já foi vencido por alguém ‘melhor’ que ele nessa área – Ah, Rodrigo, mas isso faz anos e o Formiga já até vazou do UFC. Sim! Mas ainda é perigoso, principalmente porque Moreno já venceu o próprio formiga.

Contudo, meu mmamigo (meu deus, que piadinha horrível), a potência de Figueiredo é uma arma que pode não ser mortal para produzir um KO clássico – daqueles que a mão entre e um cara cai, em alguns casos, mas é o suficiente para deixar seu adversário atordoado para que o campeão o pegue com seu jogo de finalizações. E é nesse cenário que eu acredito.

Deiveson obriga um ferido e atordoado Moreno a bater ou apagar – talvez em mais uma guilhotina magnífica.

  1. Moreno Choca o mundo

Como falei, o Assassin Baby é enjoadíssimo no chão e isso pode se prevalecer. Brandon pode transiciionar em alguma queda ou entrada de queda que o brasleiro e, campeão, proponha e cair numa posição de superioridade forçando-o a bater.

Algo que pode acontecer também, mas acredito que não vá, é que os golpes alongados de Moreno machuquem Deiveson e abram caminho para mais uma finalização do americano.

Não é o ideal, mas é possível – ainda mais por estarmos falando de MMA, não é mesmo?

Conclusões Finais

Um combate movimentado com momentos de tensão (positiva ou negativa) para nós como público. Mas com a certeza de um grande combate com uma vantagem de 60 a 40 para o Brasileiro, segundo meus cálculos totalmente aleatórios.

Dito isso, me despeço de vocês agora e espero que vocês tenham curtido essa leitura, um abraço!

Escrito por Rodrigo Carvalho

Leia também: Após perder eleição, Rony Jason diz que vai colocar fogo em bandeira de Quixadá

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes